Banner Portal
Desvendando relações
PDF

Palavras-chave

Malha
Redes sociais
Teoria ator-rede

Como Citar

AZEVEDO, Leonardo Francisco de. Desvendando relações: redes, atores e malhas. Tematicas, Campinas, SP, v. 28, n. 55, p. 343–365, 2020. DOI: 10.20396/tematicas.v28i55.13428. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/tematicas/article/view/13428. Acesso em: 30 maio. 2024.

Resumo

Compreender a experiência humana para além da dicotomia agência-estrutura é um desafio encarado por diferentes teorias e escolas antropológicas. Nesse trabalho apresentaremos três diferentes teorias que buscaram superar a explicação estruturalista do mundo: os estudos de redes sociais, propostos pela antropologia britânica na segunda metade do século XX – nomeadamente a “Escola de Manchester”, como forma de superar o estrutural-funcionalismo; a Teoria ator-rede proposta pelo francês Bruno Latour, como forma de superar a “sociologia do social”; e a noção de malha, elaborada por Tim Ingold na construção de uma “antropologia da vida”. Todas as três perspectivas, de alguma maneira, recorrem ao conceito de “rede”. Entretanto, tal presença tem sentidos radicalmente diferentes em cada uma delas.   

https://doi.org/10.20396/tematicas.v28i55.13428
PDF

Referências

BARNES, John. Class and Committees in a Norwegian Island Parish. In: BARNES, John. Models and interpretations. Cambrige: Cambrige University Press, 1990, p. 39-58.

BARNES, John. Redes sociais e processo político. In: FELDMAN-BIANCO, Bela (Org.). Antropologia das Sociedades Contemporâneas. Métodos. São Paulo; Editora UNESP, 2010, p. 237-364.

BATESON, Gregory. Steps To An Ecology Of Mind. Chicago: University of Chicago Press, 2000.

BOTH, Elizabeth. Família e rede social. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1976.

DELEUZE, Gilles. & GUATTARI, Félix. O que é um conceito? In: Deleuze, Gilles. & Guattari, Félix. O que é Filosofia? Rio de Janeiro: Editora 34, 1992, p. 25-47.

DUTRA, Rogéria Campos de Almeida. Família e Redes Sociais: um estudo sobre práticas e estilos alimentares no meio urbano. (Tese de doutorado). PPGAS, Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2007.

FELDMAN-BIANCO, Bela (Org.). Antropologia das Sociedades Contemporâneas. Métodos. São Paulo; Editora UNESP, 2010.

GLUCKMAN, Max. Análise de uma Situação Social na Zululândia Moderna. In. FELDMAN-BIANCO, Bela (Org.). Antropologia das Sociedades Contemporâneas. Métodos. São Paulo; Editora UNESP, 2010, p. 237-364.

INGOLD, Tim. Culture, nature, environment: steps to an ecology of life. In: Ingold, T. The perception of the Enviroment. Essays on livelihood, dwelling and skill. London: Routledge, 2000, p. 13-26.

INGOLD, Tim. Rethinking the animate, re-animating thought. Ethnos. 7(1): 9-20, 2006.

INGOLD, Tim. Trazendo as coisas de volta à vida: emaranhados criativos num mundo de materiais. Horizontes antropológicos. 18 (37): 25-44, 2012.

INGOLD, Tim. Repensando o animado, reanimando o pensamento. In: INGOLD, Tim. Estar Vivo: Ensaios sobre movimento, conhecimento e descrição. Petrópolis: Editora Vozes, 2015, p. 115-126.

INGOLD, Tim. Quando a formiga se encontra com a aranha: teoria social para artrópodes. In: INGOLD, Tim. Estar Vivo: Ensaios sobre movimento, conhecimento e descrição. Petrópolis: Editora Vozes, 2015, p. 144-152.

INGOLD, Tim. Contra o espaço: lugar, movimento, conhecimento. In: INGOLD, Tim. Estar Vivo: Ensaios sobre movimento, conhecimento e descrição. Petrópolis: Editora Vozes, 2015, p. 215-229.

KUHN, Thomas. “As revoluções como mudanças de concepção de mundo”. In: KUHN, Thomas. A estrutura das revoluções científicas. São Paulo: Perspectiva, 1978, p. 145-171.

KUHN, Thomas. O caminho desde A Estrutura. São Paulo: Editora UNESP, 2006.

LATOUR, Bruno. Ethnography of a ‘high-tech’ case: about Aramis. In: LEMONNIER, Pierre (Org.) Technological Choices: Transformation in Material Cultures Since the Neolithic. London: Routledge, 1993, p. 372-398.

LATOUR, Bruno. Gabriel Tarde and the end of the Social. In: JOYCE, Patrick (Org.). The Social in question. New Bearings in History and the Social Sciences. London: Routledge, 2002, p. 117-132.

LATOUR, Bruno. Reagregando o social: uma introdução à teoria do ator-rede. Salvador: EDUFBA-EDUSC, 2012.

LAW, John. Actor network theory and material semiotics. In: TURNER, Bryan S. (Org.). The new Blackwell companion to social theory. West Sussex: Wiley, 2008, p. 141-158.

LAW, John. Material Semiotics. 2019. Disponível em: https://www.heterogeneities.net/publications/Law2019MaterialSemiotics.pdf. Acesso em: 02 jun. 2020.

MITCHELL, J. Clyde. The concepts and use of social networks. In: MITCHELL J. Clyde (ed). Social Networks in Urban Situations: Analysis of Personal Relationships in Central African Towns. Manchester: Manchester University Press, 1969, p. 1- 50.

VARGAS, Eduardo; LATOUR, Bruno; KARSENTI, Bruno; AÏT-TOUATI, Frédérique; SALMON, Louise. O debate entre Tarde e Durkheim. Teoria e Sociedade, 2015, número especial: 28-61.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2020 Leonardo Francisco de Azevedo

Downloads

Não há dados estatísticos.