Agroecologia e feminismo no Vale do Ribeira

contribuição para o debate sobre reprodução social

Autores

  • Isabelle Hillenkamp Universidade Federal de São Carlos
  • Miriam Nobre Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.20396/tematicas.v26i52.11707

Palavras-chave:

Agroecologia, Feminismo, Solidariedade, Reprodução Social, Sujeito político

Resumo

Este artigo apresenta os resultados de uma pesquisa-ação realizada junto a uma rede de mulheres agricultoras do município de Barra do Turvo, no Vale do Ribeira (SP), apoiada pela ONG feminista SOF, no âmbito de um projeto de promoção da agroecologia. Analisamos o processo de mudança social que este projeto impulsiona, observando como certas dimensões da reprodução social são ressignificadas e transformadas. Consideramos as condições das mudanças observadas no que diz respeito à constituição de um sujeito político entorno da agroecologia em âmbito nacional e local e à construção de solidariedade entre mulheres em meio a diferentes conflitos. Consideramos esta transformação como um processo em andamento, que parte da ressignificação da produção agrícola, e gera valorização do trabalho das mulheres, provocando algumas renegociações das relações de gênero e um novo engajamento das mulheres em questões políticas. As solidariedades observadas se fortaleceram com base em objetivos comuns dentro e entre os grupos de mulheres cuja natureza e lugar nos bairros se transformou gradualmente. Essa dinâmica esteve baseada na experimentação e na afirmação progressiva de novas práticas e relações sociais que visam uma maior autonomia e formas ecológica e socialmente mais sustentáveis de reprodução da vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isabelle Hillenkamp, Universidade Federal de São Carlos

Doutorado em Estudos do Desenvolvimento pela Institut de Hautes Études Internat. et du Developp, IHEID, Suiça. Pesquisadora associada ao Departamento de Sociologia da Universidade Federal de São Carlos e Pesquisadora permanente do Institut de recherche pour le développement (IRD, França). Membro do Centre dEtudes en sciences sociales sur les mondes africains, américains et asiatiques. 

Miriam Nobre, Universidade de São Paulo

Mestre pelo Programa de Estudos em Integração da América Latina pela Universidade de São Paulo. Integra a equipe técnica da SOF – Sempreviva Organização Feminista.

Referências

LTIERI, Miguel. Agroecology: The science of Sustainable Agriculture. Boulder: Westview Press, 1995, 433 p.

ALVAREZ, Sonia E. Advocating feminism: the Latin American feminist NGO’boom’. International feminist journal of politics, v. 1, n. 2, p. 181-209, 1999.

BIM, Ocimar. Mosáico do Jacupiranga – Vale do Ribeira, São Paulo: conservação, conflitos e soluções socioambientais. Dissertação (Mestrado em Geografia). Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues; TSIKIOKA, Crismere Gadelha; CARVALHO, Maria Celina Pereira De. O cerco do verde: o olhar dos outros sobre a questão do ambiente. Ambiente & Sociedade, n. 5, p. 155-180, 1999.

CARRASCO, Cristina. A sustentabilidade da vida humana: um assunto de mulheres? In: FARIA, N. e NOBRE, M. A produção do viver: ensaios de economia feminista. São Paulo: Cuadernos Sempreviva, SOF, p. 11-49, 2003.

Downloads

Publicado

2018-12-30

Como Citar

HILLENKAMP, I.; NOBRE, M. Agroecologia e feminismo no Vale do Ribeira: contribuição para o debate sobre reprodução social. Tematicas, Campinas, SP, v. 26, n. 52, p. 167–194, 2018. DOI: 10.20396/tematicas.v26i52.11707. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/tematicas/article/view/11707. Acesso em: 17 jan. 2022.