Por uma ciência econômica feminista

Autores

  • Fabiana Sanches Grecco Universidade Estadual de Campinas
  • Juliane da Costa Furno Universidade Estadual de Campinas
  • Marilane Oliveira Teixeira Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/tematicas.v26i52.11701

Palavras-chave:

Economia feminista

Resumo

A Economia Feminista é um campo de estudos da Ciência Econômica e uma abordagem política que orienta diversos grupos feministas. A sua construção é fruto da imbricação entre a produção acadêmica e as lutas feministas e é desenvolvida tanto nos centros de estudos e pesquisas como nos espaços de atuação política feminista: Organizações Não Governamentais (ONGs), movimentos sociais e associações de mulheres trabalhadoras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabiana Sanches Grecco, Universidade Estadual de Campinas

Doutoranda em Ciência Política no Instituto de Filosofia e Ciências Humanas pela Universidade Estadual de Campinas.

Juliane da Costa Furno, Universidade Estadual de Campinas

Doutoranda em Desenvolvimento Econômico pela Universidade Estadual de Campinas.

Marilane Oliveira Teixeira, Universidade Estadual de Campinas

Doutora em Desenvolvimento Econômico e Social pela Universidade Estadual de Campinas.

Referências

BERGMANN, Barbara. “The Economics of Women’s Liberation”. In: “Successful Women in the Sciences”. Annals of the New York Academy of Sciences, 208 (March): 154-60, 1973.

CARRASCO, Cristina. “La Economía Feminista: Una apuesta por otra economía”. In: VARA, María Jesús (Ed.). “Estudios sobre género y economía”. Madrid: Akal, 2006.

ENGLAND, Paula. “The separative self: androcentric bias in neoclassical assumptions”. In:

FERBER, Marianne A.; NELSON, Julie A. (Eds.). “Beyond Economic Man: Feminist Theory and Economics”. Chicago: University of Chicago Press, 1993.

FERBER, Marianne A.; NELSON, Julie A. (Eds.). “Beyond Economic Man: Feminist Theory and Economics”. Chicago: University of Chicago Press, 1993.

HARDING, Sandra. “Conclusion: Epistemological Questions”. In: HARDING, Sandra (Ed.). “Feminism & Methodology: Social Science Issues”. Indiana University Press/Open University Press, pp. 181-190, 1987.

HARDING, Sandra. “Rethinking Standpoint Epistemology: What is ‘Strong Objectivity’”. In: Linda Alcoff e Elizabeth Potter (Eds). “Feminist Epistemologies”. New York: Routledge, 1992.

HARDING, Sandra. “Can feminist thought make economics more objective?”. Feminist Economics, 1:1, 7-32, 1995.

PÉREZ OROZCO, Amaia. “Economía del género y economia feminista ¿Conciliación o ruptura?”. Revista Venezolana de Estúdios de la Mujer. Caracas, Vol. 10 - N° 24, 2005.

PICCHIO, Antonella. “A Economia Política e a Pesquisa Sobre as Condições de Vida”. In: FARIA, Nalu; MORENO, Renata. “Análises feministas: outro olhar sobre a economia e a ecologia”. São Paulo: SOF, Coleção Cadernos Sempreviva. Série Economia e Feminismo, 2012.

PUJOL, Michèle. “Feminism and anti-feminism in early economic thought”. London: Edward Elgar, 1992.

Downloads

Publicado

2018-12-31

Como Citar

GRECCO, F. S.; FURNO, J. da C.; TEIXEIRA, M. O. Por uma ciência econômica feminista. Tematicas, Campinas, SP, v. 26, n. 52, p. 11–22, 2018. DOI: 10.20396/tematicas.v26i52.11701. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/tematicas/article/view/11701. Acesso em: 30 nov. 2022.

Edição

Seção

Apresentação