Banner Portal
Mulheres que amam mulheres
PDF

Palavras-chave

Gênero
Orientação sexual
Lésbicas

Como Citar

PIASON, Aline da Silva; STREY, Marlene Neves. Mulheres que amam mulheres: perspectivas acerca do processo de auto-reconhecimento e visibilidade social. Tematicas, Campinas, SP, v. 20, n. 40, p. 105–136, 2012. DOI: 10.20396/tematicas.v20i40.11542. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/tematicas/article/view/11542. Acesso em: 29 maio. 2024.

Resumo

O presente artigo é fruto de algumas reflexões da pesquisa realizada com mulheres que se identificam como lésbicas, com idades acima de 19 anos e residentes na cidade de Porto Alegre. O objetivo deste estudo é conhecer o processo de reconhecer-se lésbica e a vivência desta orientação sexual, bem como conhecer a percepção das participantes frente à visibilidade ou invisibilidade dessa orientação sexual na família e na sociedade. Utiliza-se nesta pesquisa, o enfoque dos estudos de gênero apoiados em teorias pós-estruturalistas. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevistas narrativas que, após serem transcritas, foram submetidas à análise de discurso. Os resultados apontam que assumir para si mesmas seus desejos sexuais por outra mulher envolve um processo de lutas e negociações entre as pressões externas e resistências internas; consideram necessário ultrapassar as experiências de invisibilidade a família e na sociedade, almejando serem respeitadas em seus direitos enquanto pessoas e cidadãs. Por fim, são feitas sugestões quanto à realização de intervenções psicossociais que visam promover o empoderamento destas mulheres.

https://doi.org/10.20396/tematicas.v20i40.11542
PDF

Referências

ADELMAN, M. Paradoxos da Identidade: A Política de Orientação Sexual no Século XX. Revista Sociologia Política, Curitiba, v. 14, p. 163-171, 2000.

BOURDIEU, P. Outline of a Theory of Practice. Cambridge: Cambridge University Press, 1977, 248p.

BRAIDOTTI, R. Sujeitos Nômades. Corporización y Diferencia Sexual em la Teoria Feminista Contemporânea. México: Paidós, 1998, 256p.

BRITZMAN, D.P. O Que é essa Coisa Chamada Amor: Identidades Homossexuais, Educação e Currículo. Educação e Realidade, v. 21, n. 1, p. 71-96, 1996.

BUTLER, J. Fundamentos Contingentes: o Feminismo e a Questão do Pós-Modernismo. Cadernos Pagu, v. 11, p. 11-42, 1998.

BUTLER, J. Problemas de Gênero: Feminismo e Subversão da Identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, 236p.

CARRILLO, M.J., SANCHES, E.T. Metodología y Procedimientos de Análisis. In Barberá, E., Benlloch, I. M. (Orgs.) Psicología y Género. Madrid: Pearson Educacion, 2004, p. 81-106.

CECHIN, A. F. Vivências em Espaços Educativos Formais ou Informais e a Constituição de Identidades Homossexuais. Porto Alegre, 2005. Projeto de Tese (Doutorado em Educação). Programa de Pós-Graduação em Educação, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

CHAMBERLAND, L. O Lugar das Lesbianas no Movimento das Mulheres. Labrys: Estudos Feministas. v.1-2, jul-dez, 2002. Disponível em: http://www.unb.br/ih/his/gefem/labrys1_2/livre/htm. Acesso em: 16 abr. 2007.

COLLING, A. A Construção Histórica do Feminino e do Masculino. In STREY, M. N.; CABEDA, S. T. & PREHN, D. R. (Org.). Gênero e Cultura: Questões Contemporâneas. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004, p. 13-38.

CÓRDOVA, L. F. Amor Sem Vergonha: Trajetórias Pessoais e Vida Conjugal entre Gays e Lésbicas na Comunidade de Ratones. Florianópolis, 2000. Dissertação (Mestrado em Psicologia), Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Universidade Federal de Santa Catarina.

CÓRDOVA, L. F. Trajetória de Homossexuais na Ilha de Santa Catarina: Temporalidades e Espaços. In Lago, M. C.; Toneli, M. J.; Beiras, A.; Vavassori, M. B. & Muller, R. C. (Org.). Gênero e Pesquisa em Psicologia Social. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2008, p. 97-112.

COSTA, C. L. O Sujeito no Feminismo: Revistando os Debates. Cadernos Pagu, v. 19, p. 59-90, 2002.

EICHER, W. Sexualidad Normal y Patológica la Mujer. Madrid: Morata, 1978, 328p.

FICHER, R. M. Foucault e a Análise de Discurso em Educação. Cadernos de Pesquisa, v. 114, p. 97-223, 2001.

FOUCAULT, M. Da Amizade como Modo de Vida. Entrevista de Michel Foucault a Ceccaty, Danet & le Bitoux. Tradução: Wanderson Flor do Nascimento. Gai Pied, v. 25, p.38-39, abril, 1981. Disponível em: http://www.unb.br/fe/tef/filoesco/foucault/amitie.html. Acesso em: 15 ago 2008.

FOUCAULT, M. A Arqueologia do Saber. Rio de Janeiro: Forense, 1986, 239p.

FOUCAULT, M. A história da sexualidade I: a vontade de saber. 12. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1988, 152p.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1996, 295p.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir: o nascimento da prisão. 25. ed. Petrópolis: Vozes, 2002, 262p.

GATTI, J. Mais amor mais tesão: história da homossexualidade no Brasil. Revista Estudos Feministas, v. 7 n. 2, p. 145-163, 1999.

GEDRO, J. Lesbians: identifyng, Facing, and Navigating the Duble Bind of Sexual. New Directions for Adult and Continuing Education, v. 112, p. 41-50, 2006.

GODOY, R. M. Encontros prazerosos: modos e estilos de vida de mulheres lésbicas em Florianópolis. Florianópolis, 2001. Dissertação (Mestrado em Psicologia) Programa de Pós-Graduação em Psicologia – Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina.

GODOY, R. M. Modos de vida de mulheres lésbicas em Florianópolis. In LAGO, M.C.; TONELI, M. J.; BEIRAS, A.; VAVASSORI, M. B. & MULLER, R.C. (Org.). Gênero e pesquisa em psicologia social. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2008, p. 75-90.

GÓIS, J. B. H. Desencontros: as relações entre os estudos sobre a homossexualidade e os estudos de gênero no Brasil. Revista Estudos Feministas, v. 11, n. 1, p. 289-297, 2003.

GOMIDE, S. Formação da identidade lésbica: do silêncio ao queer. In GROSSI, M. P.; UZIEL, A. P. & MELLO, L. (Org.). Conjugalidades, parentalidades e identidades lésbicas, gays e travestis. Rio de Janeiro: Garamond, 2007, p. 405-422.

HEAPHY, B. Sexuality, gender and ageing: resources and social change. Current Sociology, v. 55 n. 920, p. 193-210, 2007.

JOVCHELOVITCH, S., BAUER, M.W. Entrevista Narrativa. In BAUER, M.W. GASKEL,G. (Eds.). Pesquisa Qualitativa com texto, imagem e som: Manual Prático. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2002, p. 90-113.

LACERDA, M., PEREIRA, C., CAMINO, L. Um Estudo sobre as Formas de preconceito contra homossexuais na perspectiva das representações sociais. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 15 n. 1, p. 165-178, 2002.

LAURETIS, T. Eccentric Subjects: feminist theory and historical consciousness. Feminist Studies, v. 16 n. 1, p. 115-150, 1990.

LOURO, G. L. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis, R. J: Vozes, 1997, 179p.

LOURO, G. L. Teoria queer – uma política pós-identitária para a educação. Revista Estudos Feministas, v. 9 n. 2, p. 541-553, 2001.

LOURO, G. L. Heteronormatividade e homofobia. In: Simpósio Paraná-São Paulo de sexualidade e Educação Sexual, 1, 2005, São Paulo. Anais I Simpósio Paraná-São Paulo de sexualidade e Educação Sexual. São Paulo: Araraquara, 2005. 1 CD ROM.

LOURO, G. L. Pedagogias da sexualidade. In Louro, G.L. (org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. 3 ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2007, p. 07-34.

MOREIRA, L. A. Vida de equilibrista? Mães trabalhadoras em diferentes contextos sociais. Porto Alegre, 2008. Dissertação (Mestrado em Psicologia), Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social e Institucional, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

MOTT, L. O lesbianismo no Brasil. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1987, 220p.

NARVAZ, M. Metodologias Feministas. In Congresso Norte-Nordeste de Psicologia, 4, 2005, Bahia. Anais do IV Congresso Norte-Nordeste de Psicologia: Bahia: Salvador, 2005. 1 CD ROM.

NARVAZ, M., NARDI, H. C. E MORALES, B. Nas tramas do discurso: A abordagem discursiva de Michel Pêcheux e de Michel Foucault. Revista de Psicologia Política v. 6 n. 12, 2006. Disponível em: http://www.fafich.ufmg.br/~psicopol/seer/ojs/viewarticle.php?id=14&layout=html. Acesso em: 28 mar 2008.

NICHOLSON, L. Interpretando o gênero. Revista Estudos Feministas, v. 8, n. 2, p. 9-41, 2000.

NUNAN, A. Homossexualidade: do preconceito aos padrões de consumo. Rio de Janeiro: Caravansarai, 2003, 360p.

OLIVEIRA, C. S. de. Assumir-se lésbica: desafios e enfrentamentos. In Seminário Internacional fazendo genero, 7, 2006, Florianópolis. Anais do Seminário Internacional Fazendo Gênero 7: Gênero e Preconceitos. Florianópolis: UFSC, 2006. Disponível em: http://w.fazendogenero7.ufsc.br/st_20.html. Acesso em: 18 abr 2007.

PAIVA, A. C. S. Reserva e Invisibilidade: a construção da homoconjugalidade numa perspectiva micropolítica. In GROSSI, M. P.; UZIEL, A. P. & MELLO, L. (Org.). Conjugalidades, parentalidades e identidades lésbicas, gays e travestis. Rio de Janeiro: Garamond, 2007, p. 23-46.

PEREIRA,V.L. Gênero: dilemas de um conceito. In STREY, M. N., CABEDA, S. T. L. & PREHN, D. R. (Orgs.) Gênero e cultura: questões contemporâneas. Porto Alegre:EDIPUCRS, 2004, p. 173-198.

PERRIN, C. & CHETCUTI, N. Além das aparências: sistema de gênero e encenação dos corpos lesbianos. Labrys: Estudos Feministas. v. 1-2. juldez, 2002. Disponível em: http://www.unb.br/ih/his/gefem/labrys1_2/htm. Acesso em: 16 abr 2007.

PERUCCHI, J. Eu, tu, elas: investigando os sentidos que mulheres lésbicas atribuem ás relações sociais que elas estabelecem em um gueto GLS de Florianópolis. Florianópolis, 2001. Dissertação (Mestrado em Psicologia),

Programa de Pós-Graduação em Psicologia – Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina.

PERUCCHI, J. Eu, tu, elas... in the ghetto: os sentidos do homoerotismo feminino sob a ótica do território. In Lago, M.C.; Toneli, M. J.; Beiras, A.; Vavassori, M. B. & Muller, R.C. (Org.). Gênero e pesquisa em psicologia social. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2008, p. 61-74.

PRADO, M. A., MACHADO, F. V. Preconceito contra homossexuais: a hierarquia da invisibilidade. São Paulo: Cortez, 2008, 144p.

RICH, A. Compulsory heterosexuality and lesbian existence. Signs: Journal of women in culture and society, 5, p. 631-660, 1980.

SCARDUA, A., SOUZA FILHO, E. A. O debate sobre a homossexualidade mediado por representações sociais: perspectivas homossexuais e heterossexuais. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 19 n. 3, p. 482-490, 2006.

SCOTT, J. W. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação e Realidade, v. 16 n. 2, p. 5-22, 1990.

SEDGWICK, E. K. Epistemology of the closet. Los Angeles, USA: University of California Press, 1990, 269p.

SELEM, M. C. O. A Liga Brasileira de Lésbicas: produção de sentidos na construção do sujeito político lésbicas. Labrys: Estudos Feministas. v. 12, jul-dez, 2007. Disponível em: http://www.unb.br/ih/his/gefem/labrys12/livre/celia.htm. Acesso em: 18 mar 2008.

SELEM, M. C. O. Quem é essa mulher? lugares e sujeitos do feminismo. Anais do Seminário Internacional Fazendo Gênero 7: Gênero e Preconceitos. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 2006. Disponível em: http://www.fazendogenero7.ufsc.br/st_20.html. Acesso em: 16 abr. 2007.

STREY, M. N. Ser sujeito ou ser o outro? Algumas reflexões históricas. In STREY, M. N.; CABEDA, S. T. & PREHN, D.R. (Org.). Gênero e cultura: questões contemporâneas. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004, p. 129-148.

SWAIN, T. N. Feminismo e lesbianismo: quais os desafios? Labrys: Estudos Feministas. v. 1-2, jul-dez, 2002. Disponível em: http://www.unb.br/ih/his/gefem/labrys1_2/index.html. Acesso em: 15 abr. 2007.

SWAIN, T. N. O normal e o abjeto: a heteronormatividade compulsória e o destino biológico das mulheres. Labrys: Estudos Feministas. v. 6, ago-dez, 2004. Disponível em: http://www.unb.br/ih/his/gefem/labrys6/index.html. Acesso em: 15 abr. 2007.

SWAIN, T. N. Lesbianismos, cartografia de uma interrogação. In RIBEIRO, P. R. C., SILVA, M.R.S DA, SOUZA, N. G. S de. et al. (Orgs.) Corpo, Gênero e Sexualidade: Discutindo práticas educativas. Rio Grande: FURG, 2007.

SWAIN, T. N. Os limites do corpo sexuado: diversidade e representação social. Labrys: Estudos Feministas. jan-jun, 2008. Disponível em: http://www.unb.br/ih/his/gefem/labrys13/leituras/anahita.html. Acesso em: 10 set. 2008.

SUTER, E. A., BERGEN, K. M., DAAS, K. L. & DURHAM, W. T. Lesbian culples’ management of public-private dialetical contradictions. Journal of Social and Personal Relationships, v. 23 n. 3, p. 349-365, 2006.

TODESCHI, L. A. O ensino da história e a invisibilidade da mulher. Ciências Sociais, São Leopoldo: Unisinos, v. 40 n. 165, p. 153-164, 2004.

TOURAINE, A. O mundo das mulheres. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007, 204p.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2012 Aline da Silva Piason, Marlene Neves Strey

Downloads

Não há dados estatísticos.