A prática do swing e a dimensão do prazer

Autores

  • Olivia Von Der Weid Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.20396/tematicas.v20i40.11427

Palavras-chave:

Gênero , Sexualidade, Prazer

Resumo

O objetivo deste artigo é refletir sobre questões referentes às relações afetivo sexuais entre homens e mulheres na sociedade atual a partir da experiência de casais adeptos da prática do swing. Particularmente, procuro compreender quais dimensões da experiência estariam envolvidas no discurso dos adeptos do swing sobre o prazer que obtém em sua prática. Busco analisar os diferentes aspectos que parecem relacionados ao se falar em prazer para os adeptos da troca de casais: a fantasia, a transgressão, a intensidade e o controle. Qual o sentido que os casais entrevistados dão para a sua experiência? Até onde vai a busca pela satisfação de fantasias sexuais? Há um limite para a intensificação do prazer? A reflexão está baseada na análise de 13 entrevistas realizadas com casais adeptos da prática do swing entre os anos de 2003 e 2007 na cidade do Rio de Janeiro. Também são fontes de análise as anotações resultantes de observação participante realizada em dezenove encontros semanais de casais praticantes de swing, em uma casa especializada na Zona Sul carioca e outra no Centro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Olivia Von Der Weid, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Mestre em Sociologia (com concentração em Antropologia) pelo programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia (PPGSA) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Referências

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

CAMPBELL, C. The romantic ethic and the spirit of modern consumerism. Oxford: Blackwell, 1995.

DAMATTA, R. Carnavais, Malandros e Heróis: para uma sociologia do dilema brasileiro. Rio de Janeiro: Zahar, 1983.

DUARTE, L. F. D. A sexualidade nas ciências sociais: leitura crítica das convenções. In: PISCITELLI,A. & GREGORI, M. F. & CARRARA, S. (Orgs.). Sexualidade e saberes: convenções e fronteiras. Rio de Janeiro: Garamond, p. 39-80, 2004.

ELIAS, N. & DUNNING, E. A busca da excitação. Lisboa: Difel, 1992.

FOUCAULT, M. História da sexualidade: a vontade de saber. São Paulo: Graal, 2005.

GASPAR, M. D. Garotas de programa. Rio de Janeiro: Zahar, 1988.

GREGORI, M. F. Prazer e perigo: notas sobre feminismo, sex-shops e S/M. In: PISCITELLI,A. & GREGORI, M. F. & CARRARA, S. (Orgs.). Sexualidade e saberes: convenções e fronteiras. Rio de Janeiro: Garamond, p. 235-255, 2004.

MORAES, E. R. Sade. A Felicidade Libertina. Rio de Janeiro: Imago, 1994.

PARKER, R. G. Corpos, prazeres e paixões. São Paulo: Best Seller, 1991.

RUBIN, Gayle. Thinking sex: notes for a radical theory of the politics of sexuality. In: VANCE, C. (Org.). Pleasure and danger: exploring female sexuality. New York: Routledge, p. 267-319, 1984.

SIMMEL, G. As grandes cidades e a vida do espírito (1903). Mana, Vol. 11, n. 2, 2005, p. 577-591.

VARGAS, E. V. Os Corpos Intensivos: sobre o estatuto social do consumo de drogas legais e ilegais. In: DUARTE, L. F. D. & ODINA, F. L.Doença, Sofrimento, Perturbação: perspectivas etnográficas. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 1998, p. 121-136.

VON DER WEID, O. Masculino e Feminino na prática do swing. Sexualidade, Saúde e Sociedade Revista Latino-Americana, América do Norte, 0, dez. 2009. Disponível em: http://www.e-publicacoes.uerj.br/ index.php/SexualidadSaludySociedad/article/view/43. Acesso em: 13 Jan. 2010.

MORAES, E. R. Sade. A Felicidade Libertina. Rio de Janeiro: Imago, 1994.

PARKER, R. G. Corpos, prazeres e paixões. São Paulo: Best Seller, 1991.

RUBIN, Gayle. Thinking sex: notes for a radical theory of the politics of sexuality. In: VANCE, C. (Org.). Pleasure and danger: exploring female sexuality. New York: Routledge, p. 267-319, 1984.

SIMMEL, G. As grandes cidades e a vida do espírito (1903). Mana, Vol. 11, n. 2, 2005, p. 577-591.

VARGAS, E. V. Os Corpos Intensivos: sobre o estatuto social do consumo de drogas legais e ilegais. In: DUARTE, L. F. D. & ODINA, F. L.Doença, Sofrimento, Perturbação: perspectivas etnográficas. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 1998, p. 121-136.

Downloads

Publicado

2012-12-30

Como Citar

WEID, O. V. D. A prática do swing e a dimensão do prazer. Tematicas, Campinas, SP, v. 20, n. 40, p. 35–66, 2012. DOI: 10.20396/tematicas.v20i40.11427. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/tematicas/article/view/11427. Acesso em: 3 jul. 2022.