Banner Portal
O altermundialismo no campo das lutas contra-hegemônicas
PDF

Palavras-chave

Altermundialismo
Fórum social mundial
Lutas sociais

Como Citar

ARIAS, S. O altermundialismo no campo das lutas contra-hegemônicas: a tensão em torno do projeto político social. Tematicas, Campinas, SP, v. 23, n. 45, p. 183–208, 2015. DOI: 10.20396/tematicas.v23i45/46.11106. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/tematicas/article/view/11106. Acesso em: 28 fev. 2024.

Resumo

Ao longo da segunda metade dos anos 1990 surgiram em diversos países sedes dos encontros das organizações multilaterais, tais como a OMC, o FMI e o Banco Mundial, manifestações de oposição às políticas neoliberais, resultando no início de um novo movimento autodenominado altermundialista. Das marchas de protestos cada vez mais constantes nasceu o projeto do Fórum Social Mundial (2001). Considerado por seus entusiastas como o novo protagonista da esquerda do século XXI, esse movimento, não obstante proclame a necessidade de construção de um outro mundo, alega diferenciar-se na sua forma de ação, organização e projeto de transformação da chamada esquerda tradicional. É nesse sentido que o altermundialismo é apresentado por parte da literatura como um movimento plural e não hierárquico no qual encontrar-se-iam reunidos diferentes grupos sociais em nome de questões amplas e universais que transcenderiam os limites colocados pelos interesses de uma classe. A prova disso estaria sobretudo na diversidade de suas demandas que incluiriam, além de justiça social, a igualdade de gênero, a liberdade de orientação sexual, a preservação ambiental e a paz mundial. Este artigo propõe-se a discutir o problema da transformação social trazido à tona pelo altermundialismo a partir do Fórum Social Mundial.



https://doi.org/10.20396/tematicas.v23i45/46.11106
PDF

Referências

AGUITON, Christophe. O mundo nos pertence. São Paulo: Viramundo, 2002.

AGUITON, Christophe. Une nouvelle étape. L’Economie politique: L’altermondialisme a-t-il un avenir? Paris, nº 25, p. 37-41, janeiro 2005.

AMIN, Samir; HOUTART, François. (Orgs.). Mundialização das resistências: o estado das lutas 2003. São Paulo: Cortez, 2003.

ARIAS, Santiane. O perfil de classe média do movimento altermundialista: o caso da ATTAC. Tese defendida no IFCH/UNICAMP, 2001.

ATTAC. Édito: Relancer ou bifurquer? Lignes d’attac, n.72, décembre 2008.

AZZI, Diego Araujo. Sujeitos e utopias nos movimentos antiglobalização. São Paulo: FFLCH/USP (Dissertação apresentada ao programa de pós-graduação em sociologia da FFLCH/USP). 2007.

BUENROSTRO, Alejandro; OLIVEIRA, Arellano e Ariovaldo Umbelino de. Chiapas: construindo a esperança. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

CHESNAIS, François. Tobin or not tobin? Porque tributar o capital financeiro internacional em apoio aos cidadãos. São Paulo: UNESP, ATTAC, 1999.

DI GIOVANNI, Julia Ruiz. Seattle, Praga e Gênova: política antiglobalização pela experiência da ação de rua. Dissertação apresentada ao departamento de antropologia da FFLCH/USP. São Paulo, 2007.

FÓRUM SOCIAL MUNDIAL. Carta de Princípios. Disponível: http://memoriafsm.org/page/carta

HOBSBAWN, Eric. Era dos Extremos: o breve século XX (1914-1991). São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

HOUTART, François; POLET, François (coordenadores). Outro Davos: mundialização de resistências e lutas. São Paulo: Cortez, 2002.

JURIS, Jeffrey S. Juris et all. Movement Building and the United States.Social Forum, Social Movement Studies: Journal of Social, Cultural and Political Protest, 13:3, 328-348, 2014.

KLEIN, Naomi. Acreditando no fim do fim da história. In: LOUREIRO, Isabel; LEITE, José C; CEVASCO, Maria Elisa (orgs). O espírito de Porto Alegre. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

LEITE, José Correa. As invenções da política: sobre a existência da política e suas transformações. São Paulo: PUC-SP (Tese de doutorado apresentada ao programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo), 2005.

LEITE, José Corrêa. Fórum Social Mundial: a história de uma invenção política. São Paulo: Perseu Abramo, 2003.

LOUREIRO, Isabel; LEITE, J. C.; CEVASCO, M. E. O espírito de Porto Alegre. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

MARTINS, Antônio. Que outro mundo é possível. Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória, 2006. Disponível em: http://memoriafsm.org/bitstream/handle/01/443/2006_07.01_Balan%C3%A7o_9_por.pdf?

PLEYERS, Geoffrey. Les défis du Forum Social Mondial 2009. In http://www.laviedesidees.fr/Les-defis-du-Forum-Social-Mondial.html?lang=fr, 28/01/2009.

PLEYERS, Geoffrey. El altermundialismo en México. México: Colegio de México, 2010.

PLIHON, D. L’altermondialisme, version moderne de l’anticapitalisme ? In BIDET, J. ; DUMÉNIL, G (Org.). Dossier Altermondialisme anticapitalisme, Actuel Marx, n.44, Paris, PUF, 2008, p. 31-40.

RABELO, M.P; FRANSCISCHETTO, G.P.P. (Re)conhecer para dialogar: a universidade popular dos movimentos sociais como um projeto educativo emancipatório. Depoimentos, Vitória, n. 14, p. 79-94, jul./dez. 2008.

RAMONET, Ignácio. A ideia antiglobalização. In: MINÀ, Gianni. Um outro mundo é possível. Rio de Janeiro: Record, 2003.

RAMONET, Ignácio. A necessidade da utopia neoliberalismo. CarosAmigos. São Paulo: Casa Amarela, ano 4, n. 44, p. 16-17, nov., 2000.

RAMONET, Ignacio. Désarmer les marches. Le monde diplomatique. Paris, 01/12/1997.

SANTOS, Boaventura de Sousa. O Fórum Social Mundial: manual de uso. São Paulo: Cortez, 2005.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. Novos estud. – CEBRAP [online]. 2007, n. 79, p. 71-94. ISSN 1980-5403.

WHITAKER, Francisco. Fórum Social Mundial: origem e objetivos. Disponível em: http://www.dhnet.org.br/w3/fsmrn/biblioteca/20_francisco_whitaker.html, 2000.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2015 Santiane Arias

Downloads

Não há dados estatísticos.