Banner Portal
Pessoas, indivíduos e ciborgues
PDF

Palavras-chave

Antropologia
Metodologia de pesquisa
Cultura
Sociedade
Feminismo

Como Citar

ESCOURA, Michele. Pessoas, indivíduos e ciborgues: conexões e alargamentos teórico-metodológicos no diálogo entre antropologia e feminismo. Tematicas, Campinas, SP, v. 22, n. 44, p. 113–140, 2014. DOI: 10.20396/tematicas.v22i44.10974. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/tematicas/article/view/10974. Acesso em: 20 maio. 2024.

Resumo

O método comparativo durante muito tempo serviu de base para a discussão metodológica na Antropologia. A partir deste pano de fundo, Marilyn Strathern destacou- se como um nome fundamental no campo teórico e fez de suas etnografias na Melanésia uma chave de comparação e contraposição ao ocidente. Escrevendo no entremeio dos anos de 1980 e entre as críticas epistemológicas pós-modernas que abalaram os alicerces das Ciências Humanas, a antropóloga apoiou-se em um movimento teórico-metodológico que colocou em suspensão não só dados etnográficos, mas também conceitos fundantes da disciplina antropológica. Neste artigo retomamos o percurso metodológico de Marilyn Strathern para evidenciar suas estratégias de análise e os deslocamentos das noções de indivíduo e sociedade que ela provocou ao aproximar a antropologia e o feminismo. Ao mesmo tempo, buscamos colocar em prática seu exercício metodológico e ao trazer Donna Haraway e Judith Butler para o diálogo, buscamos evidenciar como as noções de conexões parciais, hibridismo e criação de ciborgues podem revelar expansões e alargamentos na própria teoria stratherniana. 

https://doi.org/10.20396/tematicas.v22i44.10974
PDF

Referências

BOURDIEU, Pierre. A Dominação Masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2007.

BUTLER, Judith. Problemas de Gênero: feminismo e subversão da identidade Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

BUTLER, Judith. Undoing Gender. New York: Routledge, 2004.

INGOLD, Tim. “1989 Debate: The concept of society is theorectically obsolete”. In: Key Debates in Anthropology. London: Routledge, 1996.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade 1: a vontade de saber. Rio de Janeiro: Edições Graal, [1976]2010.

FOUCAULT, Michel. História da Sexualidade 2: o uso dos prazeres. Rio de Janeiro: Edições Graal, [1984]2003.

FOUCAULT, Michel. História da Sexualidade 3: o cuidado de si. Rio de Janeiro: Edições Graal, [1984]2005.

HARAWAY, Donna. “Saberes Localizados: a questão da ciência para o feminismo e o privilégio da perspectiva parcial”. Cadernos Pagu, Campinas, n. 5, 1995.

HARAWAY, Donna. “Manifesto ciborgue: ciência, tecnologia e feminismo-socialista no final do século XX”. In: HARAWAY, Donna e KUNZRU, Hari. SILVA, Tomaz Tadeu da. (Org.). A Antropologia do ciborgue: as vertigens do pós humano. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

LAQUEUR, Thomas. Inventando o sexo: corpo e gênero dos gregos a Freud. Rio de Janeiro, Relume-Dumará, 2001.

MACHADO, Paula Sandrine: “O sexo dos anjos: um olhar sobre a anatomia e a produção do sexo (como se fosse) natural”, CadernosPagu, n. 24, 2005.

SIMONI, A. T & CARDOSO, G. R. & OLIVEIRA, L. P. & BULAMAH. R. C. Porcos e celulares: uma conversa com Marilyn Strathern sobre antropologia e arte. Apresentação de Magda Ribeiro e Luisa Pessoa de Oliveira. Tradução de Alessandra Tráldi Simoni e Guilherme Ramos Cardoso. IN: Proa - Revista de Antropologia e Arte [on-line]. ano 02, vol. 01, n. 02, nov. 2010. Disponível em: http://www.ifch.unicamp.br/proa/EntrevistasII/marilyn.html. Acesso em: 24/12/2010.

STRATHERN, Marilyn. O gênero da dádiva: problemas com as mulheres e problemas com a sociedade na Melanésia. Campinas: Editora da UNICAMP, 2006.

STRATHERN, Marilyn. PartialConnections [Updated edition]. Oxford: Altamira Press, [1991] 2004.

WAGNER, Roy. A invenção da cultura. São Paulo: Cosac Naify, 2010.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2014 Michele Escoura

Downloads

Não há dados estatísticos.