Análises das experiências de educação patrimonial no ensino de história pelos estudantes das escolas EREM Porto Digital e EREM Paulista (Pernambuco/Brasil)

Palavras-chave: Ensino de História. Educação Patrimonial. História Local.

Resumo

Resultado de um Trabalho de conclusão de curso, esta pesquisa emergiu de um conjunto de atividades vinculadas aos projetos “Retratos do Recife: século XX, memória e patrimônio” e “Tecelões da memória operária: a História do Paulista didatizada” e desenvolvidas por bolsistas do Programa Institucional e Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID-História) da Universidade Federal de Pernambuco, nos anos de 2014 e 2015, em duas escolas estaduais de referência do ensino médio: EREM Porto Digital (localizada no Recife Antigo/ PE) e EREM Paulista (no bairro da Torres Galvão/ PE), respectivamente, cujo objetivo foi vivenciar a Educação Patrimonial através do estudo da História Local. Dos resultados dos referidos projetos, aprofundamos a temática em questão, por intermédio de entrevistas feitas a grupos de estudantes das duas ditas escolas– metodologia de grupo focal– com o objetivo de analisar as experiências de Educação Patrimonial na vida dos entrevistados. Percebemos que, de maneira geral, as atividades com Educação Patrimonial geraram um sentimento de pertencimento e uma ampliação de conhecimentos históricos, sociais e culturais sobre os bairros estudados.

Biografia do Autor

Isabela Nathália Nunes Tristão, Universidade Federal da Paraíba

Mestranda em Educação pela Universidade Federal da Paraíba (2019/2021). Graduanda no curso de Bacharelado em Arquivologia pela Universidade Federal da Paraíba (2019). Graduada no curso de Licenciatura em História pela Universidade Federal de Pernambuco (2017). Atuou como bolsista do Programa Institucional e Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID de História da UFPE (2014/2017) e no Programa Institucional de Bolsa de Iniciação Científica (PIBIC-PROPESQ) com o projeto: 'Registros referentes ao trabalho docente em Recife e em Olinda, na série documental Instrução Pública (1889-1913)'. Nutre interesse de pesquisa na área de História da Educação, especificamente: História da Educação no final do século XIX e início do século XX, em Pernambuco

Adriana Maria Paulo da Silva, Universidade Federal de Pernambuco

Graduada (licenciatura e bacharelado) em História pela Universidade Federal Fluminense (1994), Mestra em Educação pela Universidade Federal Fluminense (1999) e Doutora em História pela Universidade Federal de Pernambuco (2006). Atualmente é professora Associada da Universidade Federal de Pernambuco, lotada no Departamento de Métodos e Técnicas de Ensino e professora do Programa de Pós-graduação em Educação. É coordenadora do Mestrado profissional em ensino de História da UFPE (PROFHISTÓRIA/UFPE). É líder do Grupo de Pesquisa História da educação e das práticas de educabilidade no mundo ibero-americano. É vice-coordenadora do GT 02 (História da Educação) da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação (ANPEd). É membro do Comitê de ética em pesquisa com seres humanos da UFPE. Tem experiência na pesquisa em História da Educação, com ênfase no século XIX e em História do Império do Brasil, e no ensino de História para a educação básica. Atua pesquisando e ensinando, principalmente, os seguintes temas: história social da educação, história social do trabalho docente, historiografia e ensino de história

Referências

ALVIM, R. A sedução da cidade. Os operários-camponeses e a fábrica dos Lundgren. Rio de Janeiro: Graphia Editorial,1997.
BARBOSA, Vilma de Lurdes. Ensino de História local: redescobrindo sentidos. Sæculum - Revista de História, João Pessoa, jul./ dez. 2006.
BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Fundamental 1º e 2º Ciclos – História. Brasília: MEC/SEF, 1997.
BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Fundamental 3º e 4º Ciclos – História. Brasília: MEC/SEF, 1998.
BRASIL. Lei nº 9.394/96 – Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: Ministério da Educação, 1996.
BRASIL. Orientações Curriculares Para O Ensino Médio: Conhecimentos de História. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2006.
BRAYNER, Natália Guerra. Patrimônio cultural imaterial: para saber mais. Brasília, DF: IPHAN, 2007.
CABRINI, Conceição et all. O ensino de História: revisão urgente. S. Paulo: Brasiliense, 2000.
CARVALHO, Carlos Henrique de. A história local e regional: dimensões possíveis para os estudos histórico-educacionais. Cadernos de História da Educação – nº 6, jan/ dez. 2007.
CAVALCANTI, Carlos Bezerra. O Recife e seus bairros. Recife: Câmara Municipal do Recife, 1998.
CAVALCANTI, Carlos Bezerra; CAVALCANTI, Vanildo Bezerra. O Recife e suas ruas: se essas ruas fossem minhas. Recife: IAHGP, 2010.
FONSECA, Maria Cecília Londres. Para além da pedra e cal: por uma concepção ampla de patrimônio cultural. In: Memória e Patrimônio: Ensaios Contemporâneos. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.
FONSECA, Maria Cecília Londres. O patrimônio em processo: trajetória da política federal de preservação no Brasil. Rio de Janeiro: UFRJ/ IPHAN, 1997.
FONSECA, Selva Guimarães. Caminhos da história ensinada. Campinas: Papirus, 1993.
FONSECA, Selva Guimarães. Didática e prática de ensino de História. Campinas: Papirus, 2003.
FREIRE, E. C., RAMOS S. R. V., DIONISIO, A. P., PIBID UFPE: Por uma nova cultura institucional na formação docente. Recife: Editora Universitária da UFPE, 2014.
GASPAR, Lúcia. Palácio do Governo de Pernambuco. Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: . Acesso em: 14 nov. 2017.
GASPAR, Lúcia. Teatro Santa Isabel. Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife. Disponível em: . Acesso em: 14 nov. 2017.
GONDIM, S. M. G. Grupos focais como técnica de investigação qualitativa: desafios metodológicos. São Paulo: Paidéia, 2003, p. 149 – 161.
GUILLEN, Isabel C. M.; GRILLO, M. A. F.; FARIAS, Rosilene Gomes. Mercado de São Jose. Memória e História. 1. ed. Recife: FADURPE, 2010.
GRUNBERG, E. Manual de atividades práticas de educação patrimonial. Brasília: IPHAN, 2007.
HORTA, Maria de Lourdes Parreiras, Lições das coisas: o enigma e o desafio da Educação Patrimonial. Boletim do Programa Nacional de Museus, Fundação Nacional pro-Memória, S. 1, 1985.
HORTA, Maria de Lourdes Parreiras, Fundamentos da Educação Patrimonial. Ciência & Letras. nº27, p. 13-35, Porto Alegre: FAPA, 2000.
HORTA, Maria de Lourdes Parreira et all. Guia Básico de Educação Patrimonial. Brasília: IPHAN/ Museu Imperial, 1999.
KINALSKI, D.D.F, et al. Focus group on qualitative research: experience report. Rev Bras Enferm, 2017. Disponível em: .
LAVILLE, Christian. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Artmed; Belo Horizonte: UFMG, 1999.
LEMOS, Carlos A .C. O Que é Patrimônio Histórico. São Paulo, Brasiliense, 1987.
LE GOFF, Jacques. História e memória. 7ªed. Revista. Campinad, SP: Editora da UNICAMP, 2013.
LOPES, José Sérgio Leite. A Tecelagem dos Conflitos de Classe na “Cidade das Chaminés”. São Paulo: Editora UnB, 1988.
LUBAMBO, Catia W. O Bairro do Recife: entre o Corpo Santo e o Marco Zero. Recife: Fundação Cidade e Cultura do Recife, 1991.
MAUAD, Ana Maria. Através da imagem: fotografia e história interfaces. Tempo, Rio de Janeiro, v. 1, nº 2, 1996, p. 73 – 98.
PINTO, M. H. M. N. F. Educação Histórica e Patrimonial: concepções de alunos e professores sobre o passado em espaços do presente. Universidade do Minho – instituto de Educação. Tese de doutoramento, 2011.
POLLAK, Michel. Memória e identidade social. Estudos históricos, Rio de Janeiro, vol. 5, nº 10, p. 200 – 212, 1992.
ROCHA, Ana Luiza Carvalho da; ECKERT, Cornelia. A cidade: sede de sentidos. In: Antropologia e patrimônio cultural: diálogos e desafios contemporâneos / (org) Manuel Ferreira Lima Filho, Jane Felipe Beltrão, Cornelia Eckert. Blumenau: Nova Letra, 2007
SAMUEL, Raphael. História local e História oral. Revista brasileira de História. Vol. 9, nº 19. São Paulo: ANPUH/ Marco zero, set. pp. 219-243, 1989.
SOARES, A. L. R.. Dr. Jeckyl and Mister Hide ou. In: Leandro Henrique Magalhães; Elisa Roberta Zanon; Patrícia Martins Castelo Branco. (Org.). A Construção de Políticas Patrimoniais: Ações Preservacionistas de Londrina, Região Norte do Paraná e Sul do Pais. 1ed.Londrina: UniFil, 2009, v. 1, p. 19-34.
SCHIAVON, C. G. B.; SANTOS, T. F. Educação Patrimonial: um caminho à discussão sobre a cidadania a partir da história local. Udesc em Ação, v. 5, p. 01-10, 2011.
TEIXEIRA, C. A. R. A Educação Patrimonial no Ensino de História. Biblos (Rio Grande), v. 22, 2008.
TOLEDO, M. A. L. T.. História local, historiografia e ensino: sobre as relaçoes entre teoria e metodologia do ensino de História. Antíteses (Londrina), v. 3, p. 1-16, 2010.
TRISTÃO, I; SILVA, A. M. P. História Local e Educação Patrimonial: a experiência do PIBID na Escola Estadual do Paulista. Educação Básica Revista. V. 4, p. 83 – 93, 2018.
THOMPSON, E. P. O termo ausente: experiência. In: A miséria da Teoria. Rio de Janeiro, Zahar, 1981.
Publicado
2019-12-02
Como Citar
Nathália Nunes Tristão, I., & Silva, A. M. P. da. (2019). Análises das experiências de educação patrimonial no ensino de história pelos estudantes das escolas EREM Porto Digital e EREM Paulista (Pernambuco/Brasil). RIDPHE_R Revista Iberoamericana Do Patrimônio Histórico-Educativo, 5, e019027. https://doi.org/10.20888/ridphe_r.v5i0.9906