Memórias sobre a Tecnologia Assistiva: contribuições da História Oral para a análise dos processos de mediação no percurso acadêmico de pessoas com Deficiência Visual

Palavras-chave: História Oral, Tecnologia Assistiva, Deficiência Visual

Resumo

Este ensaio aborda as contribuições da História Oral para a reflexão sobre os processos de mediação implicados nas mudanças tecnológicas e os impactos da Tecnologia Assistiva na história da educação de pessoas com deficiência visual. O estudo se debruça sobre as memórias de uma pessoa com deficiência visual, registradas em entrevista. Investiga os modos como ela reconstrói a história sobre os usos dos recursos de Tecnologia Assistiva e sobre as formas de mediação que atravessam esses processos. As ferramentas da História Oral permitiram enfocar uma narrativa singular, que se entrecruza com contextos históricos, sociais, culturais e econômicos, que perpassam a história das políticas educacionais e a história das conquistas pela garantia dos direitos das pessoas com deficiência. As análises nos levaram a refletir sobre os processos de mediação e as concepções sobre deficiência implicadas nos instrumentos, entendidos como técnicos, mas também semióticos, com repercussões para a discussão sobre o papel da Educação em sua relação com a Tecnologia Assistiva.

Biografia do Autor

Celma dos Anjos Domingues, Universidade Estadual de Campinas

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Saúde, Interdisciplinaridade e Reabilitação. Departamento Desenvolvimento Humano e Reabilitação / FCM.

Adriana Lia Friszman de Laplane, Universidade Estadual de Campinas

Departamento Desenvolvimento Humano e Reabilitação / FCM.

Ricardo Santhiago, Universidade Federal de São Paulo

Instituto das Cidades

Referências

ALBERTI, V. Historia oral: a experiência do CPDOC. Rio de Janeiro, RJ: Editora Fundação Getulio Vargas, 1990.

ALBERTI, V. De “versão” a “narrativa” no Manual de história oral. História Oral, v. 15, n. 2, p. 159-166, jul.-dez. 2012.

ALMEIDA, J. et. al. Performance e objeto biográfico: Questões para a história oral de vida. Oralidades, v. 2, p. 101-9, 2007.

ALMEIDA, M. A. Mediações da cultura e da informação: perspectivas sociais, políticas e epistemológicas. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, v. 1, n. 1, p. 1-23, 2008. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/article/view/0000007779/9c727eacaa9e6378f8ea11ddc6bd1f07. Acesso em: setembro de 2018.

______. A PRODUÇÃO SOCIAL DO CONHECIMENTO NA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO. (Portuguese). THE SOCIAL PRODUCTION OF KNOWLEDGE IN THE INFORMATION SOCIETY. (English), v. 19, n. 1, p. 11, 2009.

ALVES, Z. M. M. B. et al. Análise qualitativa de dados de entrevista: uma proposta. Paidéia (Ribeirão Preto), n. 2, p. 61-69, 1992. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/paideia/n2/07.pdf. Acesso em: setembro de 2018.

BOSI, E. O tempo vivo da memória: Ensaios de Psicologia Social. Cotia: Ateliê, 2003.

BOSI, E. Memória e sociedade: lembranças de velhos. 17. ed.. São Paulo, SP: Companhia das Letras, 2012.

BRASIL. Ministério da Educação. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, Janeiro de 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf. Acesso em: setembro de 2018.

BRASIL. Subsecretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Comitê de Ajudas Técnicas. Tecnologia Assistiva. Brasília: CORDE, 2009a.

BRASIL. Decreto 6949/2009: Promulga a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, assinados em Nova York, em 30 de março de 2007. Publicado no Diário Oficial da União em 25 de agosto de 2009. 2009b. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/decreto/d6949.htm. Acesso em: setembro de 2018.

BRASIL. Decreto 7.611/2011: Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. 2011a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/decreto/d7611.htm. Acesso em: setembro de 2018.

BRASIL. Decreto Nº 7.612, de 17 de Novembro de 2011: institui o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência - Plano Viver sem Limite. 2011b. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/decreto/d7612.htm Acesso em: setembro de 2018.

BRASIL. Lei Nº 13.146, DE 6 DE JULHO DE 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm. Acesso em: setembro de 2018.

COSTA, C. B. D. A escuta do outro: os dilemas da interpretação. 17, 2014. Disponível em: http://revista.historiaoral.org.br/index.php?journal=rho&page=article&op=view&path%5B%5D=403. Acesso em: setembro de 2018.

D'AUBIN, A. Working for barrier removal in the ICT area: Creating a more accessible and inclusive Canada. Information Society, v. 23, n. 3, p. 193-201, 2007.

DELGADO, L. D. A. N. História e memória: Metodologia da história oral. In: (Ed.). História oral - memória, tempo, identidades: Belo Horizonte: Autêntica, 2006. p.15-31.

DINIZ, D. O que é deficiência. São Paulo: Brasiliense, 2012.

AUTOR, ano.

FERREIRA, M. D. M.; AMADO, J. Usos & abusos da história oral. 8a. ed. Rio de Janeiro, RJ: Editora FGV, 2006.

FERRI, D. Does accessible technology need an ‘entrepreneurial state’? The creation of an EU market of universally designed and assistive technology through state aid. International Review of Law, Computers and Technology, v. 29, n. 2-3, p. 137-161, 2015.

GARCIA, J. C. D. Deficiência e Tecnologia Assistiva: Conceitos e Implicações para as Políticas Públicas. In: ARCHER, C. D. T. E. I.-C. R. (Ed.). I Simpósio Internacional de Tecnologia Assistiva. Campinas: CNRTA-CTI, 2014.

GARCIA, J. C. D.; PASSONI, I. R.; GALVÃO FILHO, T. A. A inovação em tecnologia assistiva no brasil: possibilidades e limites. São Paulo: Anais do I Simpósio Internacional de Estudos sobre a Deficiência – SEDPcD/Diversitas/USP Legal. junho 2013.

JENKINS, Henry. Cultura da Convergência. 2. ed. - São Paulo: Aleph, 2009

MCLUHAN, M. Os Meios de Comunicação como Extensões do Homem. São Paulo: Cultrix, 1969.

PATAI, D. Construindo um eu: Uma história oral de mulheres brasileiras. In: (Ed.). História oral, feminismo e política. São Paulo: Letra e Voz, 2010. p.19-64.

PORTELLI, A. História oral como arte da escuta. São Paulo: Letra e Voz, 2016.

REILY, L. Escola inclusiva: Linguagem e mediação. Campinas, SP: Papirus, 2004.

SANTAELLA, L. Revisitando o corpo na era da mobilidade. In: Lemos, A.; Josgrilbert, F (org.) Comunicação e mobilidade: aspectos socioculturais das tecnologias móveis de comunicação no Brasil. Salvador: EDUFBA, 2009.

THOMPSON, P. R. A voz do passado: história oral. Rio de janeiro: Paz e Terra, 1992.

THOMPSON, J. B. Ideologia e cultura moderna: teoria social crítica na era dos meios de comunicação de massa. Rio de Janeiro: Vozes, 1995.

VILANOVA, M. Pensar a subjetividade: Estatísticas e fontes orais. In: FERREIRA, M. D. M. e ESCOLAS::CPDOC (Ed.). História oral e multidisciplinaridade: Diadorim Editora, 1994. p.45-73.

Publicado
2019-04-30
Como Citar
Domingues, C. dos A., Laplane, A. L. F. de, & Santhiago, R. (2019). Memórias sobre a Tecnologia Assistiva: contribuições da História Oral para a análise dos processos de mediação no percurso acadêmico de pessoas com Deficiência Visual. RIDPHE_R Revista Iberoamericana Do Patrimônio Histórico-Educativo, 5, e019010. https://doi.org/10.20888/ridphe_r.v5i0.9707
Seção
Dossiê Temático