Fontes orais e as práticas de alfabetização no Grupo Escolar Bom Jesus de 1955 a 1971

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20888/ridphe_r.v4i2.9683

Palavras-chave:

Alfabetização. Memória. História Oral

Resumo

Estudar as práticas da alfabetização é ir além da análise do material didático utilizado. Este trabalho é parte de uma pesquisa que busca na memória das professoras construir a história da alfabetização, no período de 1955 a 1971, no Grupo Escolar Bom Jesus em Uberlândia -MG. Utilizamos como aporte teórico a Nova História Cultural que traz novas possibilidades de pesquisa e de fontes. Desse modo, a história oral é fundamental para a realização deste estudo, pois é a partir das vozes das próprias alfabetizadoras que construímos a história da alfabetização no Grupo Escolar Bom Jesus. Buscamos identificar quem foram essas alfabetizadoras para entender quais as representações e apropriações realizadas por elas, naquele período, e tentamos construir uma parte da história da alfabetização em Uberlândia. Os resultados revelam que as práticas são carregadas de valores e representações que essas profissionais construíram e constroem ao longo do exercício do magistério primário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Michelle Castro Lima, Instituto Federal Goiano

Doutora em Educação pela Universidade Federal de Uberlândia. Professora no curso de Pedagogia atua principalmente nas áreas de História da Educação, alfabetização e formação de professores.

Marco Antônio Franco Amaral, Instituto Federal Goiano

Doutorando na Universidade de Coimbra. Professor no curso de Pedagogia

Sônia Maria dos Santos, Universidade Federal de Uberlândia

Professora titular no programa de pós-graduação em educação da Universidade Federal de Uberlândia.

Referências

AGUIAR, M. A. Entrevista cedida à pesquisa História de alfabetizadoras uberlandenses: modos de fazer no Grupo Escolar Bom Jesus – 1955 a 1971, em 2010.

BLOCH, Marc. Apologia da História ou o ofício de Historiador. Trad. André Telles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002.

BOURDÉ, Guy; MARTIN, Hervé. As escolas históricas. São Paulo: Publicações Europa-América, 2018.

BRASIL. Decreto-Lei nº 8.530, de 2 de janeiro de 1946. Lei Orgânica do Ensino Normal. Disponível em: <http://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1940-1949/decreto-lei-8530-2-janeiro-1946-458443-publicacaooriginal-1-pe.html>. Acesso em: 26 nov. 2015.

______. Lei nº 5.692, de 11 de agosto de 1971. Coleção de Leis do Brasil. p. 59, v. 5. Disponível em: <http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1970-1979/lei-5692-11-agosto-1971-357752-publicacaooriginal-1-pl.html>. Acesso em: 26 nov. 2015.

BUENO, Belmira Oliveira; CATANI, Denice Barbara; SOUSA, Cynthia Pereira de. (Org.). A vida e o ofício dos professores. São Paulo: Escrituras, 1998.

CHARTIER, Roger. A História Cultural: entre práticas e representações. 2. ed. Portugal: DIFEL, 1990.

______. Os desafios da escrita. Tradução de Fúlvia M. L. Moretto. São Paulo: UNESP, 2002.

DELGADO, Lucilia de Almeida Neves. História oral: memória, tempo, identidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

FORQUIN, Jean-Claude. Escola e cultura: As bases sociais e epistemológicas do conhecimento escolar. Trad. Guacira Lopes Louro. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993.

GATTI JÚNIOR, Décio. Apontamento sobre a pesquisa histórico-educacional no campo das

instituições escolares. Cadernos de História da Educação, v. 1. n. 1, jan./dez. 2002.

GINZBURG, Carlo. Mitos, Emblemas e Sinais: morfologia e história. São Paulo: Cia das Letras, 1989.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. Tradução de Beatriz Sidou. São Paulo: Centauro, 2006.

JULIA, Dominique. A cultura escolar como objeto histórico. Trad. Gisele de Souza. Revista Brasileira de História da Educação, SBHE. Campinas, SP: Autores Associados, n. 1, p. 09-43, jan./jun. 2001.

MANCINI, S. A. Entrevista cedida à pesquisa História de alfabetizadoras uberlandenses: modos de fazer no Grupo Escolar Bom Jesus – 1955 a 1971, em 2010.

MEIHY, José Carlos Sebe Bom. Manual de História Oral. São Paulo: Loyola, 2013.

______; HOLANDA, Fabíola. História oral: como fazer, como pensar. São Paulo: Contexto, 2007.

NORA, Pierre. Entre Memória e História: a problemática dos lugares trad. Yara Aun Khoury. Projeto História: Revista do Programa de Estudos de Pós-Graduação em História e do Departamento de História da PUC-SP. São Paulo, SP, n. 10, p. 7-28, dez. 1981.

PAFUME, S. Entrevista cedida à pesquisa História de alfabetizadoras uberlandenses: modos de fazer no Grupo Escolar Bom Jesus – 1955 a 1971, em 2010.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. A História e História Cultural. Belo Horizonte, MG: Autêntica, 2012.

THOMPSON, Paul. A voz do passado, história oral. São Paulo: Paz e Terra, 1998.

Downloads

Publicado

2018-12-29

Como Citar

LIMA, M. C.; AMARAL, M. A. F.; SANTOS, S. M. dos. Fontes orais e as práticas de alfabetização no Grupo Escolar Bom Jesus de 1955 a 1971. RIDPHE_R Revista Iberoamericana do Patrimônio Histórico-Educativo, Campinas, SP, v. 4, n. 2, p. 343–364, 2018. DOI: 10.20888/ridphe_r.v4i2.9683. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/ridphe/article/view/9683. Acesso em: 23 jul. 2021.

Edição

Seção

DOSSIÊ TEMÁTICO