Mediadoula: atenção ao(à) visitante da exposição Sentidos do Nascer

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20888/ridphe_r.v4i2.9672

Palavras-chave:

Mediadores. Doula. Exposição sobre parto.

Resumo

A experiência da exposição Sentidos do Nascer ressalta a importância da escuta-acolhimento como uma das dimensões essenciais da mediação museal. Essa exposição tem o objetivo de contribuir para a mudança da percepção da sociedade sobre o nascimento, incentivando a valorização do parto normal. Neste artigo descrevemos a interação com o público, relacionando a função de mediador(a) às características do trabalho das doulas. Assim, criamos o termo mediadoula para representar essa atividade e argumentamos sobre sua relevância. Para contextualizar essa experiência, descrevemos a exposição Sentidos do Nascer, seus propósitos e abordagem.

Biografia do Autor

Bernardo Jefferson de Oliveira, Faculdade de Educação. Universidade Federal de Minas Gerais/UFMG

Licenciado em Geografia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1983), mestrado em Filosofia pela Universidade Federal de Minas Gerais (1988). É doutor em Filosofia pela UFMG (2000), com estágio doutoral na Harvard University (1998). Realizou pós doutoramento no MIT, em 2004 , e na Universidade de Sorbonne, em 2011. É professor titular da Fadculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais. Foi diretor do museu Espaço do Conhecimento UFMG e bolsista produtividade do CNPq (1D). Tem experiência na área história da educação, história da ciência, filosofia da técnica, museus de ciência e imaginário científico.

Juliana Prochnow dos Anjos, Faculdade de Educação. Universidade Federal de Minas Gerais/UFMG

Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Minas Gerais (2006), Mestre em Educação pelo Programa de Pós-graduação Conhecimento e Inclusão Social em Educação pela UFMG (2013) e Doutora pelo mesmo programa (2019). Tem experiência com ações educativas em museus e como professora de Educação Infantil e séries iniciais do Ensino Fundamental.

Sônia Lansky, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

Professora do Mestrado Profissional “Promoção da saúde e prevenção da Violência” da UFMG.

Referências

BOHREN, Meghan A. et al. Continuous support for women during childbirth. Cochrane, 6 July 2017. Disponível em: <http://www.cochrane.org/CD003766/PREG_continuous-support-for-women-during-childbirth>. Acesso em: 20 ago. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Datasus. Disponível em: <http://datasus.saude.gov.br/sistemas-e-aplicativos/eventos-v/sinasc-sistema-de-informacoes-de-nascidos-vivos>. Acesso em: 23 jun. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Sentidos do nascer: percepções sobre o parto e nascimento. Brasília; 2015. 48 p. Disponível em: <http://www.sentidosdonascer.org/blog/2016/03/catalogo-da-exposicao/>. Acesso em: 30 out. 2018.

CONTIER, Djana. A ação dos educadores-mediadores de museus e exposições em controvérsias sociotécnicas. 2018. 255 f . Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo.

DUTRA, Soraia F. A educação na fronteira entre museus e escolas: um estudo sobre as visitas escolares ao Museu Histórico Abílio Barreto. 2012. 468 f. Tese (Doutorado em Educação) -Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG.

GONÇALVES, Taisa. Parteira X Doula: você sabe a diferença? Disponível em: <https://humanizandoideias.wordpress.com/tag/diferenca-entre-doula-e-parteira/>. Acesso em: 20 jul. 2017.

MARANDINO, Martha. Educação em museus: a mediação em foco. São Paulo: Geenf / FEUSP, 2008.

NASCIMENTO, Silvania S. A Relação Museu e Escola: um duplo olhar sobre a ação educativa em seis museus de Minas Gerais. Revista Ensino em Re-Vista, Faculdade de Educação, Universidade Federal de Uberlândia, v. 20, n. 1, p. 179-192, jan./jun. 2013.

PALHARINI, Luciana. A história da atenção ao parto e nascimento: possibilidades dos museus como espaços de comunicação e formação sobre o tema. 2015. 264 f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP.

PEREIRA, Júnia et al. Escola e Museus: diálogos e práticas. Belo Horizonte: Secretaria de Estado da Cultura/ Superintendência dos Museus/ PUC-MG / Cefor, 2007.

PINTO, Simone; GOUVÊA, Guaracira. Mediação: significações, usos e contextos. Revista Ensaio, Belo Horizonte, v. 16, n. 2, p. 53-70, maio./ago. 2014.

SILVA, Raimunda Magalhães da et al . Evidências qualitativas sobre o acompanhamento por doulas no trabalho de parto e no parto. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro , v. 17, n. 10, p. 2783-2794,Oct.2012. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232012001000026&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 03 nov. 2018.

WAGENSBERG, Jorge. O museu “total”, uma ferramenta para a mudança social. Revista História, Ciências, Saúde, Manguinhos, Rio de Janeiro, 2005.

Downloads

Publicado

2018-12-29

Como Citar

OLIVEIRA, B. J. de; PROCHNOW DOS ANJOS, J. .; LANSKY, S. Mediadoula: atenção ao(à) visitante da exposição Sentidos do Nascer. RIDPHE_R Revista Iberoamericana do Patrimônio Histórico-Educativo, Campinas, SP, v. 4, n. 2, p. 325–342, 2018. DOI: 10.20888/ridphe_r.v4i2.9672. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/ridphe/article/view/9672. Acesso em: 17 jan. 2021.

Edição

Seção

DOSSIÊ TEMÁTICO