Banner Portal
Acervos arquivísticos audiovisual e sonoro da Fiocruz
fitas
PDF
ÁUDIO
VÍDEO

Palavras-chave

Acervo arquivístico audiovisual
Acervo arquivístico sonoro
Preservação digital
Fiocruz

Como Citar

PONTES, E. B.; SOARES, M. L. A. . Acervos arquivísticos audiovisual e sonoro da Fiocruz: uma reflexão acerca de sua preservação digital. Revista Brasileira de Preservação Digital, Campinas, SP, v. 3, n. 00, p. e022003, 2022. DOI: 10.20396/rebpred.v3i00.16594. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/rebpred/article/view/16594. Acesso em: 28 fev. 2024.

Resumo

Introdução: Os acervos arquivísticos audiovisual e sonoro são considerados conjuntos documentais de caráter histórico-administrativo, assim formando-se outro caráter que é a produção pela própria instituição, instituindo-se uma memória audiovisual e sonora. Objetivo: Apresentar uma breve reflexão sobre o que tem sido empreendido para a preservação digital dos acervos arquivísticos, audiovisual e sonoro, cujas responsabilidades são de duas unidades da Fiocruz. Estes acervos arquivísticos estão localizados respectivamente na VideoSaúde Distribuidora/ICICT e no Departamento de Arquivo e Documentação/COC, possuem em comum o fato de serem documentos de arquivo os quais representam um patrimônio cultural da saúde pública brasileira. Metodologia: Consiste em uma revisão bibliográfica chamando a atenção para o advento da preservação digital que contribui para a prática dos procedimentos metodológicos adotados em acervos arquivísticos. Discutiremos sobre quais práticas de preservação digital estão incidindo sobre os referidos acervos, e remetemos a uma questão estratégica, que é o conceito de autenticidade bem como na discussão sobre memória, história oral, documento sonoro, documento audiovisual (videográfico), patrimônio, arquivo e preservação digital. Resultados: Destacamos aqui, dois acervos arquivísticos: um acervo referente ao gênero audiovisual na ação de um diagnóstico para a preservação digital e suas estratégias, o outro acervo cujo gênero é sonoro consiste na versão preliminar de um manual de boas práticas dos documentos sonoros enquanto entrevistas, relatos e depoimentos como proposição de um plano de preservação digital. Conclusão: Apontam para a importância em preservar a memória audiovisual e sonora da saúde pública, cujas iniciativas de preservação digital correspondem aos planos e as políticas institucionais adotadas.

https://doi.org/10.20396/rebpred.v3i00.16594
PDF
ÁUDIO
VÍDEO

Referências

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS. Norma Brasileira de Descrição Arquivística: Nobrade. Rio de Janeiro: Conselho Nacional de Arquivos, 2006. 124 p.

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS. Resolução n.37 - Diretrizes para a Presunção de Autenticidade de Documentos Arquivísticos Digitais. 2012. Disponível em: Projeto_capa_conarq_com_logo.indd (www.gov.br). Acesso em: 10 maio 2021.

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS. Resolução n.28 - Dispõe sobre a adoção da Norma Brasileira de Descrição Arquivística - NOBRADE pelos órgãos e entidades integrantes do Sistema Nacional de Arquivos - SINAR, institui o Cadastro Nacional de Entidades Custodiadoras de Acervos Arquivísticos e estabelece a obrigatoriedade da adoção do Código de Entidades Custodiadoras de Acervos Arquivísticos - CODEARQ: atualizada 2020. 2020. Disponível em: https://www.gov.br/conarq/pt-br/legislacao-arquivistica/resolucoes-do-conarq/resolucao-no-28-de-17-de-fevereiro-de-2009. Acesso em: 02 jun. 2022.

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS. Resolução n.41 - Dispõe sobre a inserção dos documentos audiovisuais, iconográficos, sonoros e musicais em programas de gestão de documentos arquivísticos dos órgãos e entidades integrantes do Sistema Nacional de Arquivos - SINAR, visando a sua preservação e acesso. 2014. Disponível em: Resolução nº 41, de 9 de dezembro de 2014 — Português (Brasil) (www.gov.br). Acesso em: 30 maio 2021.

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS. Diretrizes para a implementação de repositórios arquivísticos digitais confiáveis – RDC-Arq. Rio de Janeiro, 2015. Disponível em: http://www.conarq.gov.br/images/publicacoes_textos/diretrizes_

rdc_arq.pdf . Acesso em: 24 maio 2022.

CONSULTATIVE COMMITTEE FOR SPACE DATA SYSTEMS. Reference model for an Open Archival Information System (OAIS); recommendation. Washington, 2002. 139 p. Disponível em: http://www.ccsds.org/documents/650x0b1.pdf Acesso em: 14 maio 2002.

DURANTI, L. Rumo a uma teoria arquivística de preservação digital: as descobertas conceituais do projeto InterPARES. Arquivo & Administração, Rio de Janeiro, v. 4, n. 1, p. 5-18, jan./jun. 2005.

FORMENTON, D. Identificação de padrões de metadados para preservação digital. 2015. 103 f. Dissertação (Mestrado) - Curso do Programa de Pós-graduação em Ciência, Tecnologia e Sociedade, Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2015.

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. CASA DE OSWALDO CRUZ. Política de preservação e gestão de acervos culturais das ciências e da saúde. Rio de Janeiro: Fiocruz/COC, 2013. Disponível em: http://www.coc.fiocruz.br/index.php/patrimonio-cultural/politica-de-preservacao-e-gestao-de-acervos. Acesso em: 21 maio 2022.

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Preservo - complexo de acervos da Fiocruz: relatório de atividades. Rio de Janeiro: Fiocruz/COC/Presidência, 2021. 60 p. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/49569 Acesso em: 28 maio 2022.

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Casa de Oswaldo Cruz. Programa de preservação digital de acervos da Fiocruz. Rio de Janeiro, 2020. 37 p. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/44220

Acesso em : 28 maio 2022.

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Sistema de Gestão de

Documentos de Arquivos (Sigda). Padrão de metadados de documentos arquivísticos digitais da Fundação Oswaldo Cruz: manual de aplicação para a fase produção de documentos. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2020. Disponível em: http://www.sigda.fiocruz.br/documentos-de-referencia. Acesso em: 27 maio 2022.

MACHADO, J. G. N.; MÁRDERO ARELLANO, M. A.; LOPES, C. H. Preservação de documentos audiovisuais: avaliação da aplicabilidade do Archivematica. Revista Brasileira de Preservação Digital, Campinas, SP, v. 1, 2020. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/rebpred/article/view/14235.

Acesso em: 10 maio 2022.

MACIEL, L. R. Inventário do Acervo Sonoro da Casa de Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro: Fiocruz/COC, 2020 (documento digital - versão 22 jan. 2020).

MÁRDERO ARELLANO, M. A. Preservação de documentos digitais. Ciência da Informação, Brasília, 2004, v.33 n.2 p. 15-27.

MENESES, U. T. B. de. A crise da memória, história e documento. In: Zélia Lopes Da Silva (Org). Arquivos, patrimônio e memória: trajetórias e perspectivas. São Paulo: UNESP/FAPESP, 1999. p.11 - 29.

NORA, Pierre. ‘Entre memória e história: a problemática dos lugares’, In Projeto História, São Paulo, PUC-SP, n. 10, p. 7-28, dez. 1993.

PEREIRA, Fernanda C. Arquivos, memória e justiça: Gestão documental e preservação de acervos judiciais no Rio Grande do Sul, 2011. Disponível em: Arquivos, memória e justiça : gestão documental e preservação de acervos judiciais no Rio Grande do Sul (ufrgs.br). Acesso em: 31 maio 2021.

PINHEIRO, M. J. de A.; COELHO, C. M. T. Políticas de preservação institucionais da Fiocruz: desafios e conquistas recentes. In: X Seminário Internacional de Políticas Culturais. 2019. Rio de Janeiro. Anais do X Seminário Internacional de Políticas Culturais. RJ. Fundação Casa de Rui Barbosa, 2019, p. 1724-1737. Disponível em:

http://www.ppgdap.uff.br/wp-content/uploads/2020/03/Anais-X-SIPC-Final_compressed-1.pdf Acesso em: 28 maio 2022.

PONTES, E. B. VideoSaúde Distribuidora da Fiocruz: uma análise diagnóstica do acervo. Dissertação (Mestrado em Preservação e Gestão do Patrimônio Cultural das Ciências e da Saúde). Rio de Janeiro: FIOCRUZ/COC, 2021. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/50203.

Acesso em: 28 maio 2022.

PRADO FILHO, H. R. do. ‘A qualidade dos metadados dos documentos de arquivo’. Revista Digital AdNormas, Edição 78, Ano 2, Out. 2019. Disponível em: https://revistaadnormas.com.br/2019/10/29/a-qualidade-dos-metadados-dos-documentos-de-arquivo/. Acesso em: 21 maio 2022.

PRAXEDES, K. et al. A gestão e a preservação de documentos arquivísticos digitais na Fundação Oswaldo Cruz. In: APOYOnline - ANIVERSÁRIO DA CONFERÊNCIA E OFICINA DE PRESERVAÇÃO E PATRIMÔNIO, 30., 2019, Rio de Janeiro. Anais eletrônicos [...] Rio de Janeiro (RJ). 2019. p. 64 - 65. Disponível em: https://apoyonline.org/wp-content/uploads/2019/09/Abstract-Book-Rio-2019-Jan8-2020-.pdf Acesso em: 31 maio 2022

SANGLARD, G.; COSTA, R. da G.-R. Patrimônio Cultural da Saúde: uma década de reflexão e atuação sobre o campo. Revista Memória em Rede, v. 11, n. 20, p. 5-24, jan./jun. 2019. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/44898 Acesso em: 28 maio 2022.

SANTOS, H. M. D.; FLORES, D. Preservação de documentos arquivísticos digitais autênticos: reflexões e perspectivas. Acervo - Revista do Arquivo Nacional, v. 28, n. 1, p. 241-253, 2015. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/41235. Acesso em: 02 jun. 2022.

TARTAGLIA, A. R. de S. As encadernações da coleção de obras raras e especiais da Casa de Oswaldo Cruz: um estudo para sua preservação. 164 p. Dissertação (Mestrado Profissional em Preservação e Gestão do Patrimônio Cultural das Ciências e da Saúde) - Fundação Oswaldo Cruz. Casa de Oswaldo Cruz, 2018.

THOMSON, A.; FRISCH, M.; HAMILTON, P. ‘Os debates sobre memória e história: alguns aspectos internacionais’. In: AMADO, Janaína; FERREIRA, Marieta de Moraes (Orgs). Usos e Abusos da História Oral. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006, p. 65 - 91.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Eliane Batista Pontes, Magda Lucia Almada Soares (Autor)

Downloads

Não há dados estatísticos.