https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/rebpred/issue/feed Revista Brasileira de Preservação Digital 2022-07-17T01:50:16+00:00 Gildenir Carolino Santos/Miguel Angel Mardero Arellano rbpd@gmail.com Open Journal Systems <p><strong>Escopo</strong>: A <em>Revista Brasileira de Preservação Digital</em> - <strong>RBPD </strong>é uma revista internacional de alto nível acadêmico focada na preservação de conteúdos digitais a partir de uma ampla variedade de perspectivas, incluindo a tecnológica, social, econômica, política e do usuário. Seu alcance é global, abrangendo projetos e práticas dos principais atores internacionais neste campo.<br /><strong>Área do conhecimento</strong>: Ciências Humanas<br /><strong>Ano de fundação</strong>: 2020<br /><strong>E-ISSN</strong>: 2675-3073<br /><strong>Título abreviado</strong>: Rev. Bras. Preserv. Dig.<br /><strong>E-mail</strong>: <a href="https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/rebpred/management/settings/context/mailto:revbrapred@gmail.com" target="_blank" rel="noopener">revbrapred@gmail.com</a><br /><strong>Unidade</strong>: SBU-UNICAMP / Grupo de Pesquisa Estudos e Práticas de Preservação Digital (Ibict)<br /><strong>Prefixo DOI</strong>: 10.20396<br /><a title="CC BY" href="http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/" target="_blank" rel="noopener"><img src="https://econtents.bc.unicamp.br/inpec//public/site/images/administrador/CC_80x152.png" /></a></p> https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/rebpred/article/view/16677 Comemorando os 10 anos da Rede Cariniana em forma de Artigos 2022-07-17T01:50:13+00:00 Gildenir Carolino Santos gilldenir@unicamp.br Miguel Angel Márdero Arellano miguel@ibict.br <p>Lançada em janeiro de 2020, ano do ápice da pandemia, a Revista Brasileira de Preservação Digital [RBPD] é uma publicação editada pela Universidade Estadual de Campinas em parceria com o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia.&nbsp;Inicialmente nos dois primeiros anos da [RBPD], foi difícil a captação de artigos para publicação, mas em virtude da comemoração dos 10 anos da Rede Cariniana, surgiu a possiblidade de realizar um dossiê, no qual os membros da Rede foram convidados a submeterem artigos para compor esta edição comemorativa. A RBPD é um produto que surge pelo esforço do Grupo de Estudos sobre Preservação Digital – Dríade, da Rede Brasileira de Serviços de Preservação Digital – Cariniana, que havia proposto a criação de um canal para a divulgação e disponibilidade da produção brasileira sobre preservação digital, que incluísse a colaboração de membros externos ao grupo.</p> 2022-07-12T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Editores https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/rebpred/article/view/16582 Análise dos status no LOCKSS de periódicos eletrônicos OJS preservados na Rede Cariniana 2022-07-12T18:19:33+00:00 José Antonio Euzébio Paiva joseantonio.e.paiva@gmail.com <p><strong>Introdução:</strong> A Rede Cariniana é uma agência certificada desde 2015 pelo The Keepers Registry do ISSN que realiza a preservação digital de periódicos eletrônicos de forma distribuída. Os periódicos preservados, que utilizam Open Journal Systems em diferentes versões, são mantidos distribuídos utilizando o sistema LOCKSS com o apoio de instituições parceiras. <strong>Objetivo: </strong>Analisar o processo de coleta no LOCKSS de periódicos Open Journal Systems e verificar possíveis soluções em casos de erros. <strong>Metodologia: </strong>Foi verificada uma amostra dos periódicos na Rede, considerando instituições distintas, com o intuito de se verificar a coleta e possíveis soluções nos casos de erros. <strong>Resultados: </strong>Foi listada a quantidade de instituições com periódicos apresentando erros, bem como os tipos a serem revisados posteriormente junto aos editores.<strong> Conclusão: </strong>Espera-se que esta análise auxilie na redução dos erros junto aos editores e técnicos das instituições mantenedoras das revistas.</p> 2022-07-12T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 José Antonio Euzébio Paiva (Autor) https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/rebpred/article/view/16584 Preservação digital de documentos arquivísticos potenciais 2022-07-12T18:19:23+00:00 Vanderlei Batista dos Santos vanderbsantos@gmail.com <p><strong>Introdução</strong>: As políticas e os procedimentos de gestão e preservação de documentos arquivísticos digitais estão cada vez arraigadas nos processos de trabalho e nos processos informacionais das mais diversas instituições. A extensa bibliografia sobre o tema deixa claro que já existe um caminho pavimentado para a produção, tratamento e preservação dos novos documentos arquivísticos digitais. Todavia e quanto aos milhões de registros digitais que foram produzidos, e ainda o são, sem respeito a requisitos arquivísticos? O que fazer quando os registros digitais (documentos) que se originaram de atividades e ações institucionais não foram produzidos ou mantidos de forma que se possa verificar sua autenticidade e confiabilidade? <strong>Objetivo</strong>: Abordar o problema apresentado pelos documentos digitais “arquivísticos” produzidos sem requisitos técnicos que permitam inferir sobre sua confiabilidade e autenticidade, propondo abordagens para confrontar a situação. <strong>Metodologia</strong>: É utilizada a metodologia de pesquisa exploratória do tipo revisão bibliográfica sobre o tema, complementada com a análise da experiência de instituições selecionadas, com informações coletadas por meio de formulário direcionado. <strong>Resultados</strong>: A literatura oferece subsídios para a identificação e o tratamento de documentos digitais que tenham sido produzidos sem requisitos que garantam sua qualificação como arquivístico. Todavia, a experiência das instituições ainda é incipiente, embora respalde as propostas de tratamento discutidas neste estudo. <strong>Conclusão</strong>: Observou-se um cenário de solução potencial, mas ainda distante da realidade, pela falta de mapeamento da situação e a priorização do enfrentamento do problema.</p> 2022-07-12T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Vanderlei Batista dos Santos (Autor) https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/rebpred/article/view/16580 Preservação digital distribuída para teses e dissertações 2022-07-17T01:50:16+00:00 Pâmella Benevides Gonçalves pamella.benevides@unesp.br Clediane de Araújo Guedes Marques clediane.guedes@ufrn.br Flávia Maria Bastos flavia.bastos@unesp.br Fabiana Colares Ferraro fabiana.colares@unesp.br Ana Cristina Figueiredo Loureiro ana-cristina.loureiro@unesp.br <p><strong>Introdução</strong>: As teses e dissertações digitais (ETDs), são documentos importantes e necessários para a conclusão dos cursos de pós-graduação, desse modo, é importante a sua preservação a longo prazo. Devido à especificidade de seus metadados foi elaborada a proposta de preservação digital, para as teses e dissertações da Universidade Estadual Paulista (Unesp) e da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), com base no modelo de Preservação Digital Distribuída (PDD) junto à Rede Cariniana do Instituto Brasileiro de Ciência e Tecnologia (IBICT). <strong>Objetivo</strong>: Estabelecer uma proposta de preservação digital distribuída para as (ETDs) dessas universidades, integrada a seus repositórios institucionais e identificar os requisitos para compor um ciclo de vida para (ETDs) que incorpore o processo de preservação digital. <strong>Metodologia</strong>: Trata-se de um levantamento bibliográfico na área da Ciência da Informação, que considera definições, estratégias e metodologias aplicáveis ao ciclo de vida da preservação digital de ETDs. <strong>Resultados</strong>: A Unesp e a UFRN reconheceram na literatura os requisitos e etapas para compor o processo do ciclo de vida de preservação digital, os quais contemplam todas as etapas, desde sua criação, uso, reuso, migração e/ou emulação e armazenamento. E como parte do processo elaboraram uma “minuta de um modelo da política de preservação digital de coleções em repositórios institucionais e bibliotecas digitais”. <strong>Conclusão</strong>: Constatou que a preservação das ETDs deve ser constante, contínua e atualizada. As instituições prosseguem com os estudos, com o intuito de finalizar o plano de ação e implantação da referida proposta de preservação digital distribuída.</p> 2022-07-12T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pâmella Benevides Gonçalves, Clediane de Araújo Guedes Marques, Flávia Maria Bastos, Fabiana Colares Ferraro, Ana Cristina Figueiredo Loureiro (Autor) https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/rebpred/article/view/16581 Caracterização de repositórios digitais Dataverse conforme o Modelo OAIS 2022-07-12T18:34:13+00:00 Laura Vilela Rodrigues Rezende lauravil.rr@gmail.com <p><strong>Introdução:</strong> Na temática de padrões de modelagem de sistemas de arquivamento, especificamente OAIS (<em>Open Archival Information System</em>), parece correto afirmar que, por se tratar de um modelo abstrato e que não contempla nenhum tipo de implementação, vários desafios surgem quando se busca entender e visualizar sua aplicação prática. Assim, faz-se necessário situar no contexto do modelo OAIS uma solução tecnológica de repositórios digitais considerando aspectos referentes às suas políticas de gestão, acesso e uso além de possíveis processos de curadoria e preparação dos dados. <strong>Objetivo:</strong> Este estudo busca detalhar, com base nas entidades do modelo OAIS, os componentes essenciais de um repositório digital que utiliza o software Dataverse, responsáveis pela gestão do conteúdo digital armazenado. Metodologia: Análise qualitativa, pesquisa bibliográfica e documental.<strong>Resultados:</strong> Relação entre elementos que compõem o modelo OAIS, considerando o fluxo básico de ingestão, depósito, arquivamento e acesso aos dados, e os recursos do software Dataverse, especificações de funcionamento do repositório e ações de curadoria, acesso e uso. <strong>Conclusão:</strong> Entende-se que são muitos os desafios ao se pensar no ecossistema da gestão de dados científicos. No entanto, considerar somente tecnologia não é suficiente ou garantia de que as recomendações dos padrões e modelos internacionais estão sendo seguidos. Fica evidente no modelo OAIS a importância da equipe gestora do repositório para além das funcionalidades oferecidas pelo software. Trazer o modelo OAIS para uma realidade prática parece favorecer seu entendimento, especialmente para os profissionais que estão na fase inicial de implementação de uma solução de gestão de dados científicos.</p> 2012-07-12T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Laura Vilela Rodrigues Rezende (Autor) https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/rebpred/article/view/16598 Uso do Archivematica no Brasil 2022-07-13T11:55:28+00:00 João Guilherme Nogueira Machado guilherme.machado@icict.fiocruz.br Miguel Angel Márdero Arellano miguel1@ibict.br <p><strong>Introdução</strong><strong>: </strong>O desenvolvimento de estratégias de preservação para acervos que constituem o patrimônio cultural do Brasil vem ganhando uma nova conformação desde meados da primeira década dos anos 2000. <strong>Objetivo</strong>: A pesquisa visou identificar instituições brasileiras de patrimônio cultural que fazem uso da solução tecnológica <em>Archivematica</em> para repositórios de preservação. <strong>Metodologia</strong>: Foi analisado o <em>status</em> do uso da ferramenta através de um mapeamento das iniciativas brasileiras conhecidas pela comunidade arquivística da rede Cariniana, com aplicação de questionário abordando definições técnicas (instalação), políticas de planejamento de preservação e gestão de microsserviços orientados pelo modelo OAIS e seu uso concreto nos acervos institucionais. A pesquisa observou que o universo de instituições usuárias do <em>Archivematica</em> no Brasil ainda não possui uma estatística expressiva e que nem todas estão no mesmo nível de aplicação da ferramenta. <strong>Resultados</strong>: Constatou-se a necessidade de que os responsáveis pela gestão estejam minimamente familiarizados com os modelos de entidades funcionais e de informação descritos no OAIS. <strong>Conclusão</strong>: Considerando as limitações encontradas, os dados coletados servem para uma reflexão do uso do <em>Archivematica</em> no Brasil, bem como para possíveis indicações de normativas que orientem as instituições quanto às melhores práticas de aplicação da ferramenta.</p> 2022-07-12T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 João Guilherme Nogueira Machado , Miguel Angel Márdero Arellano (Autor) https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/rebpred/article/view/16583 Resolução RDC-Arq Conarq 2022-07-12T18:19:30+00:00 Tiago Emmanuel Nunes Braga tiagobraga@ibict.br Alex Pereira Holanda alexholanda@ibict.br Tatiana Canelhas Pignataro tatianapignataro@ibict.br <p><strong>Introdução:</strong><span style="font-weight: 400;"> Os repositórios arquivísticos digitais confiáveis buscam oferecer mecanismos para garantir a autenticidade dos objetos informacionais a partir de uma perspectiva arquivística. No Brasil a resolução 43/2015 do Conarq se encarregou de estruturar os requisitos para a implementação deste tipo de repositório e o Hipátia, modelo estruturado no âmbito do IBICT, buscou sistematizar sua implementação. Com a aproximação da publicação de uma atualização da resolução do Conarq, faz-se premente discutir quais serão os impactos no modelo atualmente proposto. Objetivo: Identificar os requisitos propostos pela nova resolução do Conarq e avaliar quais seus impactos no modelo Hipátia. </span><strong>Metodologia:</strong><span style="font-weight: 400;"> A pesquisa se apoia no método de análise documental e possui caráter qualitativo. Ela também possui caráter exploratório, uma vez que avalia possíveis cenários a partir dos requisitos levantados. </span><strong>Resultados:</strong><span style="font-weight: 400;"> A estrutura informacional dos requisitos presentes na resolução do Conarq foi sistematizada em quatro categorias. Estes requisitos foram analisados e suas características descritas. Ao final, foram identificados os desafios a serem superados para a sua incorporação no Hipátia. </span><strong>Considerações finais:</strong><span style="font-weight: 400;"> O modelo Hipátia é inovador em vários sentidos, no entanto, resta claro que não é um modelo finalizado, uma vez que precisa constantemente incorporar avanços informacionais propostos pelas normas vigentes. Ao analisar a nova resolução do Conarq foi possível identificar os caminhos a serem percorridos e quais estratégias podem ser adotadas. Foi possível perceber que é possível sistematizar no modelo vigente mecanismos que permitam às instituições avançar na implementação de repositórios arquivísticos digitais confiáveis.</span></p> 2022-07-12T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Tiago Emmanuel Nunes Braga, Alex Pereira Holanda, Tatiana Canelhas (Autor) https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/rebpred/article/view/16017 Modelo de arquivamento de páginas web para Portais de Periódicos 2022-07-15T12:31:12+00:00 Gildenir Carolino Santos gilbfe@g.unicamp.br Danilo Formenton formenton.danilo@gmail.com Gabriela Ayres Ferreira Terrada gaby.uff@gmail.com <p><strong>Introdução</strong>: O crescimento dos documentos em formato digital tem provocado diversas mudanças no cenário da pesquisa científica, e diversos <em>sites</em> institucionais e de pesquisa se proliferaram de forma acelerada e necessitam de tratamento. Os arquivos da <em>Web</em> têm um papel importante a desempenhar como infraestruturas sociais que permitem a preservação da memória. <strong>Objetivo</strong>: Preservar digitalmente, por meio da ferramenta CONIFER da empresa Rhizome, as páginas <em>Web </em>do Portal de Periódicos Eletrônicos Científicos da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). <strong>Metodologia</strong>: Uma pesquisa de cunho exploratório, com abordagem da <em>microarchiving</em>, tendo como enfoque o levantamento bibliográfico para a elaboração da revisão da literatura sobre a temática em discussão. Utiliza-se como ferramenta o Conifer, que promoveu o arquivamento Web do Portal de Periódicos Eletrônicos da UNICAMP. O formato trabalhado nesta metodologia é o WARC. O WARC é um formato de arquivo para conteúdo da <em>Web</em> que armazena conteúdo da página <em>Web</em>, cabeçalhos de respostas e metadados para um grupo de páginas da <em>Web</em>. <strong>Resultados</strong>: Preservadas atualmente duas (02) revistas do Portal de Periódicos da UNICAMP. <strong>Conclusão</strong>: Espera-se que com essa metodologia possamos ampliar a preservação e arquivamento da <em>Web</em> de páginas institucionais da universidade, bem como oferecer a metodologia para as demais instituições interessadas em arquivar as páginas <em>Web</em> de seus Portais.</p> 2022-07-12T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Gildenir Carolino Santos, Danilo Formenton, Gabriela Ayres Ferreira Terrada (Autor) https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/rebpred/article/view/16587 Preservação de sites oficiais 2022-07-12T18:19:16+00:00 Ana Javes Luz anajaves@gmail.com <p><strong>Introdução</strong>: O artigo apresenta iniciativas de arquivamento da web adotadas em países de três diferentes continentes: América do Norte (Estados Unidos e México), Europa (França e Portugal) e América do Sul (Chile e Brasil), a fim de compreender desafios políticos e tecnológicos que envolvem a preservação de sites oficiais. <strong>Objetivo</strong>: Apresentar as potencialidades e as barreiras que cada iniciativa possui, bem como analisar comparativamente a atual situação brasileira. O artigo detalha ainda o projeto de lei federal no 2.431/2015, em tramitação na Câmara dos deputados, cujo objetivo é impedir o apagamento de informações inseridas em sites oficiais brasileiros. <strong>Metodologia</strong>: Pesquisa histórico-documental e o estudo de caso. <strong>Resultados</strong>: Demonstra que os Estados Unidos se destacam dentre os países analisados, com avançado projeto de arquivamento dos sites dos mandatos presidenciais. O Brasil, por sua vez, não possui uma política pública instituída para salvaguarda dessas mídias. <strong>Conclusão</strong>: A pesquisa permitiu concluir ainda que as iniciativas governamentais atualmente em curso para a preservação de websites oficiais estão em fases distintas de implementação e, dessa forma, alcançam resultados ora satisfatórios, ora aquém do necessário para garantir o acesso presente e futuro aos websites governamentais, fonte de informação sobre temas de interesse público nas democracias contemporâneas. No caso brasileiro, destaca-se também o vácuo institucional sobre o tema, demonstrando a necessidade de dar maior visibilidade ao assunto; de fortalecer articulações institucionais entre entes governamentais e não-governamentais; e de avançarmos na aprovação de uma legislação específica que mude essa realidade.</p> 2022-07-12T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Ana Javes Luz (Autor) https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/rebpred/article/view/16594 Acervos arquivísticos audiovisual e sonoro da Fiocruz 2022-07-13T11:55:32+00:00 Eliane Batista Pontes eliane.pontes@icict.fiocruz.br Magda Lucia Almada Soares magda.almada@gmail.com <p><strong>Introdução:</strong> Os acervos arquivísticos audiovisual e sonoro são considerados conjuntos documentais de caráter histórico-administrativo, assim formando-se outro caráter que é a produção pela própria instituição, instituindo-se uma memória audiovisual e sonora. <strong>Objetivo: </strong>Apresentar uma breve reflexão sobre o que tem sido empreendido para a preservação digital dos acervos arquivísticos, audiovisual e sonoro, cujas responsabilidades são de duas unidades da Fiocruz. Estes acervos arquivísticos estão localizados respectivamente na VideoSaúde Distribuidora/ICICT e no Departamento de Arquivo e Documentação/COC, possuem em comum o fato de serem documentos de arquivo os quais representam um patrimônio cultural da saúde pública brasileira. <strong>Metodologia: </strong>Consiste em uma revisão bibliográfica chamando a atenção para o advento da preservação digital que contribui para a prática dos procedimentos metodológicos adotados em acervos arquivísticos. Discutiremos sobre quais práticas de preservação digital estão incidindo sobre os referidos acervos, e remetemos a uma questão estratégica, que é o conceito de autenticidade bem como na discussão sobre memória, história oral, documento sonoro, documento audiovisual (videográfico), patrimônio, arquivo e preservação digital. <strong>Resultados:</strong> Destacamos aqui, dois acervos arquivísticos: um acervo referente ao gênero audiovisual na ação de um diagnóstico para a preservação digital e suas estratégias, o outro acervo cujo gênero é sonoro consiste na versão preliminar de um manual de boas práticas dos documentos sonoros enquanto entrevistas, relatos e depoimentos como proposição de um plano de preservação digital. <strong>Conclusão:</strong> Apontam para a importância em preservar a memória audiovisual e sonora da saúde pública, cujas iniciativas de preservação digital correspondem aos planos e as políticas institucionais adotadas.</p> 2022-07-12T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Eliane Batista Pontes, Magda Lucia Almada Soares (Autor) https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/rebpred/article/view/16586 Gestão de risco e preservação digital no contexto brasileiro 2022-07-12T18:19:18+00:00 Flor de Maria Silvestre Estela florestela@ibict.br Alexandre Faria de Oliveira alexandreoliveira@ibict.br <p><strong>Introdução:</strong> A gestão de risco apresenta-se como um instrumento de contingência que pode ser aplicado em diversas situações de ameaças e vulnerabilidade. A preservação digital não está distante desta realidade, seja por motivos de obsolescência tecnológica, fatores humanos, fatores do meio ambiente, geográficos ou pandêmicos. Estes podem causar danos irreversíveis ao nosso acervo informacional caso não estejamos preparados para atuar. <strong>Objetivo</strong>: Estabelecer o estado da arte sobre a Gestão de Risco e Preservação Digital, por meio da identificação de assuntos pesquisados, embasamento teórico-conceitual, metodologias e ferramentas utilizadas, tipo de publicação, autores mais citados, resultados e conclusões dos estudos. <strong>Metodologia</strong>: Consiste na análise documental de oito pesquisas sobre o tema, identificadas por meio de levantamento bibliográfico em bases de dados e buscadores da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações (BDTD), Base de Dados em Ciência da Informação (Brapci), Portal de Periódicos Capes e Google Acadêmico. <strong>Resultados</strong>: Revelam que é necessária uma pesquisa mais aprofundada sobre o tema, considerando-se que ela pode contribuir para a preservação da memória informacional. <strong>Conclusão</strong>: Por fim, foram identificadas três dissertações de mestrado, um artigo, um capitulo de livro e três anais. As temáticas abordam os tipos de ameaças que podem acometer os acervos digitais, o cenário de acidentes para a preservação digital e os métodos de análise de risco para a preservação digital.</p> 2022-07-12T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Flor de Maria Silvestre Estela, Alexandre Faria de Oliveira (Autor) https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/rebpred/article/view/16592 A pesquisa em preservação digital em Pernambuco 2022-07-13T11:55:34+00:00 Marcos Galindo galyndo@gmail.com <div> <p><strong>Introdução</strong>: O texto oferece uma visão retrospectiva do desenvolvimento dos estudos de Preservação Digital (PD) em Pernambuco, tomando como com marco teórico de referência, a proposição do modelo teórico dos Sistemas Memoriais. (GALINDO, 2005; 2009 e 2014). <strong>Objetivo</strong>: Discutir o papel do Laboratório Liber de Tecnologia do Conhecimento como unidade de pesquisa multiusuária da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), apontar os principais estudos, a inserção da pesquisa em bibliotecas virtuais, iniciada ainda no final da década de noventa. <strong>Metodologia</strong>: Serve-se do instrumento estruturador do relato de experiência para descrever a contribuição do grupo Liber, destacando os pontos relevantes para o campo da PD. Descreve a atuação, a troca e a proposição de ideias para a PD. <strong>Resultados</strong>: Narra a experiência do Banco de Teses e Dissertações e IBICIT na instalação dos repositórios pioneiros que viabilizaram o estabelecimento de uma rede de memória da pesquisa científica no Brasil, operada por instituições do sistema de ensino e pesquisa nacional. <strong>Conclusão</strong>: Descreve a formação da pesquisa em Preservação e Curadoria Digital estabelecida no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da UFPE e a reedição do programa de monitoramento de risco em Repositórios Institucionais nacionais como resultados permanentes deste esforço.</p> </div> 2022-07-12T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Marcos Galindo (Autor) https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/rebpred/article/view/16556 Análise das publicações de Data Papers sobre Biodiversidade 2022-07-12T18:34:47+00:00 Fabiano Couto Corrêa da Silva fabianocc@gmail.com Ketlen Stueber ketistueber@hotmail.com Amanda Santos Witt amandawitt.asw@gmail.com <p><strong>Introduçã</strong><strong>o</strong>: A estruturação dos conjuntos de dados sobre Biodiversidade está sendo divulgada em uma linguagem reservada para a descrição do substrato da comunicação científica denominada Data Papers, isto é, os dados que sustentam pesquisas científicas nesse campo do conhecimento, independentemente do modelo tradicional de comunicação científica. <strong>Objetivo: </strong>Analisar as publicações em formato de Data Papers no campo da Biodiversidade em âmbito internacional. <strong>Metodologia</strong>: Pesquisa documental de abordagem qualitativa e aplica técnicas para coleta e exame das informações por meio de Análise de Conteúdo. Verifica a situação de 33 revistas apontados pela Global Biodiversity Information Facility (GBIF) que oferecem publicações em formato de Data Papers. Identifica-se: os temas correlatos à biodiversidade; os tipos de licenças, indexadores, a quantidade de Data Papers publicados, os títulos que possuem acesso aberto ou fechado, as revistas que mais publicam Data Papers sobre Biodiversidade e o idioma que foram publicados.<strong> Resultados: </strong>O número em Data Papers teve crescimento exponencial entre 2017 até maio de 2022 logo, os artigos sobre o campo da Biodiversidade também têm aumentado em diversos temas que envolvem todo o seu ecossistema. <strong>Conclusão: </strong>Os Data Papers analisados se caracterizam como documentos revisados por pares e representam conjuntos de dados indexados com padrões de metadados adequados para preservar digitalmente os dados registrados nas revistas que foram contempladas na presente análise.</p> 2022-07-12T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Fabiano Couto Corrêa da Silva, Ketlen Stueber, Amanda Santos Witt (Autor) https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/rebpred/article/view/16535 Aspectos jurídicos da preservação digital de documentos públicos e privados 2022-07-12T18:38:00+00:00 Rosilene Paiva Marinho de Sousa adv.rpmarinho@gmail.com Milton Shintaku shintaku@ibict.br <p><strong>Introdução</strong>: A rápida digitalização apresenta impactos na vida cotidiana, impactando consideravelmente as atividades em todas as áreas, principalmente aquelas relacionadas à gestão documental. <strong>Objetivo</strong>: Mapear e apresentar o cenário nacional sobre as questões jurídicas que envolvem a preservação digital. <strong>Metodologia</strong>: O estudo apresenta abordagem qualitativa, com uso da pesquisa documental, com característica de revisão bibliográfica. <strong>Resultados</strong>: O Decreto nº 10.278 de 18 de março de 2020, foi um marco, na medida em que estabelece fundamentos legais para os documentos digitalizados, incluindo a preservação, amparado ações voltadas à gestão documental digital. <strong>Conclusão</strong>: a aplicabilidade da recente normativa e seus efeitos refletem na importância dos documentos em relação a sua validade para os arquivos, no que se refere a sua autenticidade e fidedignidade.</p> 2022-07-12T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Rosilene Paiva Marinho de Sousa, Milton Shintaku (Autor) https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/rebpred/article/view/16686 Os 10 anos da Rede Cariniana do IBICT 2022-07-17T01:50:09+00:00 Miguel Angel Márdero Arellano miguel@ibct.br Gildenir Carolino Santos rdbci@gmail.com <p>Em julho deste ano, a Rede Brasileira de Serviços de Preservação Digital – Cariniana completa 10 anos de atuação e, para celebrar, haverá uma série de ações em comemoração à data. Em consonância com os princípios do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), sobretudo o de preservar a produção intelectual científica e tecnológica, a Cariniana surgiu da necessidade de se criar uma rede de serviços de preservação digital de documentos eletrônicos brasileiros, com o objetivo de garantir seu acesso contínuo a longo prazo.</p> 2022-07-12T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Miguel Angel Márdero Arellano, Gildenir Carolino Santos (Editor)