Banner Portal
Open Archival Information System
PDF

Palavras-chave

Preservação digital
Documentos digitais
Repositórios digitais confiáveis
Arquivologia
ISO 14721

Como Citar

SANTOS, Henrique Machado dos; FLORES, Daniel. Open Archival Information System: análise do modelo funcional no contexto da Arquivística. Revista Brasileira de Preservação Digital, Campinas, SP, v. 2, n. 00, p. e021005, 2021. DOI: 10.20396/rebpred.v2i00.15814. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/rebpred/article/view/15814. Acesso em: 24 jun. 2024.

Resumo

Objetivo: analisar as entidades funcionais do Open Archival Information System (OAIS), e apontar convergências com a Arquivística, tendo em vista a implementação de um Repositório Arquivístico Digital Confiável (RDC-Arq). Metodologia: artigo de revisão assistemática/narrativa que parte do levantamento bibliográfico de materiais previamente publicados, composto por livros, normas técnicas e artigos científicos recuperados pela ferramenta Google Scholar e pela Base de Dados em Ciência da Informação. Resultados: o modelo funcional proposto pelo OAIS permite receber, gerenciar e disseminar documentos arquivísticos digitais. Seus fluxos de informação são registrados e garantem a manutenção da autenticidade frente às ações realizadas no âmbito do RDC-Arq, como migrações e acréscimos de informações necessárias à preservação. Esse modelo funcional atende questões essenciais como negociar aquisições, transferências e recolhimento com produtores e custodiadores, além de gerenciar as demandas dos consumidores. Conclusões: o modelo funcional OAIS possibilita receber a documentação de forma adequada, adicionar as informações descritivas necessárias, armazenar os documentos de forma segura, gerenciar políticas de preservação e facilitar a disseminação à comunidade designada. Ademais, poderá ser incorporado ao sistema de arquivos, sendo base para implementar o RDC-Arq, e assim, proteger a custódia e garantir o acesso contínuo à documentos digitais autênticos no longo prazo.

https://doi.org/10.20396/rebpred.v2i00.15814
PDF

Referências

ANDRADE, R. S. Aspectos Introdutórios da Representação de Informação Arquivística: a Norma Brasileira de Descrição Arquivística (Nobrade), a Descrição Arquivística Codificada (EAD-DTD) e o Projeto Archives Hub. Ponto de Acesso, Salvador, v.1, n.2, p. 70-100, dez. 2007. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/download/98692. Acesso em: 03 ago. 2021.

ARAÚJO, C. A. Á. Arquivologia, Biblioteconomia, Museologia e Ciência da Informação: o diálogo possível. Brasília: Briquet de Lemos / São Paulo: ABRAINFO, 2014.

ARÉVALO JORDÁN, V. H. Las instituciones archivísticas. Rev. Fuent. Cong., La Paz, v.6, n.19, abr. 2012. Disponível em: http://www.revistasbolivianas.org.bo/pdf/fdc/v6n19/n19_a04.pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR 15472:2007. Sistemas espaciais de dados e informações – modelo de referência para um sistema aberto de arquivamento de informação (SAAI). Rio de Janeiro: ABNT, 2007.

BARRETO, A. A. Os documentos de amanhã: a metáfora, a escrita e a leitura nas narrativas em formato digital. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v.10, n.1, 2009. Disponível em: http://ridi.ibict.br/handle/123456789/159. Acesso em: 03 ago. 2021.

BELARMINO, V. F.; ARAÚJO, W. J. Análisis de vulnerabilidades computacionales en repositorios digitales. Biblios: Revista de Bibliotecología y Ciencias de la Información, Brasília/Lima, n.56, p. 1-18, 2014. Disponível em: http://biblios.pitt.edu/ojs/index.php/biblios/article/view/169. Acesso em: 03 ago. 2021.

BELLOTTO, H. L. Arquivos permanentes: tratamento documental. 4. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.

BOERES, S. A. A.; CUNHA, M. B. Competências básicas para os gestores de preservação digital. Ciência da Informação, Brasília, v.41, n.1, p.103-113, jan./abr. 2012. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/1356. Acesso em: 03 ago. 2021.

BRASIL. Lei nº 12.527, de 18 de novembro de 2011. Regula o acesso a informações previsto no inciso XXXIII do art. 5º, no inciso II do § 3º do art. 37 e no § 2º do art. 216 da Constituição Federal; altera a Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990; revoga a Lei nº 11.111, de 5 de maio de 2005, e dispositivos da Lei nº 8.159, de 8 de janeiro de 1991; e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 2011. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2011/Lei/L12527.htm. Acesso em: 03 ago. 2021.

CAMARGO, A. M. A.; BELLOTTO, H. L. Dicionário de terminologia arquivística. 3. ed. São Paulo: ARQ-SP, 2012.

CAMPOS, F. M. Informação Digital: um novo património a preservar. Cadernos Bad, Lisboa, n.2, p. 8-14, 2002. Disponível em: https://www.bad.pt/publicacoes/index.php/cadernos/article/view/861. Acesso em: 03 ago. 2021.

CLOONAN, M. V. Preservando documentos de valor permanente. In: EASTWOOD, T.; MACNEIL, H. (Org.). Correntes atuais do pensamento arquivístico. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2016, p. 107-134.

COLOMBIA, Archivo General de la Nación de. Subdirección de tecnologías de la información archivística y documento electrónico. Fundamentos de preservación digital a largo plazo. Bogotá DC: Archivo General, 2018. Disponível em: https://www.archivogeneral.gov.co/sites/default/files/Estructura_Web/5_Consulte/Recursos/Publicacionees/FundamentosPreservacionLargoPlazo.pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS (Brasil). Carta para a preservação do patrimônio arquivístico digital. [Rio de Janeiro]: UNESCO: CONARQ, 2005. Disponível em: https://www.gov.br/conarq/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/conarq_carta_preservacao_patrimonio_arquivistico_digital.pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS (Brasil). Diretrizes para a implementação de repositórios arquivísticos digitais confiáveis – RDC-Arq. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2015. Disponível em: https://www.gov.br/conarq/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/conarq_diretrizes_rdc_arq_resolucao_43.pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.

CONSULTATIVE COMMITTEE FOR SPACE DATA SYSTEM (CCSDS). Reference Model for an Open Archival Information System (OAIS). Washington: CCSDS, 2012. Disponível em: http://public.ccsds.org/publications/archive/650x0m2.pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.

CONWAY, P. Preservação no universo digital. 2. ed. Rio de Janeiro: Projeto Conservação Preventiva em Bibliotecas e Arquivos: Arquivo Nacional, 2001.

CORDEIRO, A. M.; OLIVEIRA, G. M.; RENTERÍA, J. M.; GUIMARÃES, C. A. Revisão sistemática: uma revisão narrativa. Rev. Col. Bras. Cir., Rio de Janeiro, v.34, n.6, p. 428-431, 2007. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-69912007000600012. Acesso em 03 ago. 2021.

CRUZ MUNDET, J. R.; DÍEZ CARRERA, C. Sistema de Información de Archivo Abierto (OAIS): luces y sombras de un modelo de referencia. Investigación Bibliotecológica: archivonomía, bibliotecología e información, Cidade do México, v.30, n.70, p. 221-247, set./dez. 2016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1016/j.ibbai.2016.10.010. Acesso: 03 ago. 2021.

DAY, M. Preservation metadata. In: GORMAN, G. E.; DORNER, D. G. (Ed.). Metadata applications and management. International Yearbook of Library and Information Management. London: Facet Publishing, 2004. p. 253-273. Disponível em: https://researchportal.bath.ac.uk/en/publications/preservation-metadata. Acesso em: 25 jul. 2021.

DE SORDI, J. O. Administração da informação: fundamentos e práticas para uma nova gestão do conhecimento. São Paulo: Saraiva, 2008.

DIGITAL CURATION CENTRE; DIGITAL PRESERVATION EUROPE (DCC/DPE). Digital Repository Audit Method Based on Risk Assessment (DRAMBORA). Glasgow: DCC/DCP, 2007. Disponível em: http://www.repositoryaudit.eu/download. Acesso em: 03 ago. 2021.

DINGWALL, G. Modelo de ciclo vital e modelo do continuum: uma visão das concepções de organização arquivística desde o período do pós-guerra. In: EASTWOOD, T.; MACNEIL, H. (Org.). Correntes atuais do pensamento arquivístico. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2016, p. 205-235.

DURANTI, L.; PRESTON, R. Diretrizes do preservador: a preservação de documentos arquivísticos digitais: diretrizes para organizações. Vancouver: InterPARES, 2007a. Disponível em: http://www.interpares.org/display_file.cfm?doc=ip2_preserver_guidelines_booklet--portuguese.pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.

DURANTI, L.; PRESTON, R. Diretrizes do produtor: a elaboração e a manutenção de materiais digitais: diretrizes para indivíduos. Vancouver: InterPARES, 2007b. Disponível em: http://www.siga.arquivonacional.gov.br/images/publicacoes/diretrizes_produtor_digital.pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.

FERREIRA, M. Introdução à preservação digital: conceitos, estratégias e actuais consensos. Guimarães: Escola de Engenharia da Universidade do Minho, 2006. Disponível em: https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/5820/1/livro.pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.

FLORES, D.; PRADEBON, D. S.; CÉ, G. Análise do conhecimento teórico-metodológico da preservação digital sob a ótica da OAIS, SAAI, ISO 14721 e NBR 15472. Brazilian Journal of Information Science: research trends, Marilia, v.11, n.4, p. 72-80, 2017. Disponível em: https://doi.org/10.36311/1981-1640.2017.v11n4.11.p73. Acesso em: 03 ago. 2021.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GRÁCIO, J. C. A.; MÁRDERO ARELLANO, M. Á. A gestão da preservação digital de dados de pesquisa: proposta de um modelo processual. Revista Brasileira de Preservação Digital, Campinas, v.1, n.0, p. e020001, 2020. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/rebpred/article/view/13223. Acesso em: 03 ago. 2021.

HEDSTROM, M. Digital preservation: problems and prospects. Michigan: University of Michigan, 2001. Disponível em: http://www.dl.slis.tsukuba.ac.jp/DLjournal/No_20/1-hedstrom/1-hedstrom.html. Acesso em: 03 ago. 2021.

INNARELLI, H. C. Instrumenta 2: Preservação de Documentos Digitais. São Paulo: ARQ-SP, 2012.

INNARELLI, H. C. Preservação digital e seus dez mandamentos. In: SANTOS, V. B.; INNARELLI, H. C.; SOUSA, R. T. B. (Org.). Arquivística: temas contemporâneos – classificação, preservação digital, gestão do conhecimento. 3. ed. Brasília: SENAC, 2009, p. 21-75.

INNARELLI, H. C. Preservação digital: a influência da gestão dos documentos digitais na preservação da informação e da cultura. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v.8, n. 2, p. 72-87, jan./jun. 2011. Disponível em: https://doi.org/10.20396/rdbci.v8i2.1934. Acesso em: 03 ago. 2021.

INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION. ISO 14721:2012. Space data and information transfer systems: open archival information system – reference model. Genebra: ISO, 2012.

JESSUA, C. Capitalismo. Porto Alegre: L&PM, 2016.

LEE, C. A. Open Archival Information System (OAIS) Reference Model. In: BATES, M. J.; MAACK, M. N. (Ed.). Encyclopedia of Library and Information Sciences, 3. ed. p. 4020-4030. London: CRC Press, 2015. Disponível em: https://ils.unc.edu/callee/p4020-lee.pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.

LUNA, S. V. Planejamento de pesquisa: uma introdução. São Paulo: EDUC, 1997.

LUZ, C. S. Ontologia Digital Arquivística: a representação do contexto de arquivo nos sistemas informatizados e na web. São Paulo: Bookess Editora, 2018.

LUZ, C.; FLORES, D. Cadeia de custódia e de preservação: autenticidade nas plataformas de gestão e preservação de documentos arquivísticos. In: Seminário Serviços de Informação em Museus. [S. l. : s. n.], p. 171-181, 2018. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/325225229. Acesso: 03 ago. 2021.

MARCONDES, C. H. Linguagem e documento: fundamentos evolutivos e culturais da Ciência da Informação. Perspectivas em Ciência da Informação, v.15, n.2, p 2-21, maio./ago. 2010. Disponível em: http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/1019. Acesso em: 03 ago. 2021.

MÁRDERO ARELLANO, M. Á. Preservação de documentos digitais. Ciência da Informação, Brasília, v.33, n.2, p. 15-27, maio/ago. 2004. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/1043. Acesso em: 03 ago. 2021.

MÁRDERO ARELLANO, M. Á; OLIVEIRA, A. F. Gestão de repositórios de preservação digital. RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v.14, n.3, p. 465-483, 2016. Disponível em: https://doi.org/10.20396/rdbci.v14i3.8646346. Acesso em: 03 ago. 2021.

PAES, M. L. Arquivo: teoria e prática. 3. ed. rev. ampl. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2005.

PAVÃO, C. M. G.; CAREGNATO, S. E.; ROCHA, R. P. Implementação da preservação digital em repositórios: conhecimento e práticas. Rev. Digit. Bibliotecon. Cienc. Inf., Campinas, v.14, n.3, p. 407-425, set./dez. 2016. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/151293. Acesso em: 03 ago. 2021.

ROCHA, C. L. Repositórios para a preservação de documentos arquivísticos digitais. Acervo, Rio de Janeiro, v.28, n.2, p. 180-191, 2015. Disponível em: http://revista.arquivonacional.gov.br/index.php/revistaacervo/article/view/608/669. Acesso em: 03 ago. 2021.

ROCKEMBACH, M. Evidência da Informação em plataformas digitais: da reflexão teórica à construção de um modelo. Informação Arquivística, Rio de Janeiro, v.2, n.1, p. 89-109, jan./jun. 2013. Disponível em: https://www.brapci.inf.br/_repositorio/2015/12/pdf_a9c97a9a67_0000018247.pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.

ROUSSEAU, J-Y; COUTURE, C. Os fundamentos da disciplina arquivística. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1998.

SANTOS, E. C.; ALMEIDA, M. F. Linguagem como interação: reflexões no contexto da arquivologia. In: SOUSA, F. F.; SANTOS, E. C. (Org.). A linguagem e a informação documentária: intermediações e ressignificações possíveis. Curitiba: Appris, 2011, p. 11-25.

SANTOS, V. B. A Arquivística como disciplina científica: princípios, objetivos e objetos. Salvador: 9Bravos, 2015.

SANTOS, V. B. A prática arquivística em tempos de gestão do conhecimento. In: SANTOS, V. B.; INNARELLI, H. C.; SOUSA, R. T. B. (Org.). Arquivística: temas contemporâneos – classificação, preservação digital, gestão do conhecimento. 3. ed. Brasília: SENAC, 2009, p. 175-223.

SANTOS, V. B. Gestão de documentos eletrônicos: uma visão arquivística. 2. ed. Brasília: Abarq, 2005.

SARAMAGO, M. L. Metadados para preservação digital e aplicação do modelo OAIS. In: CONGRESSO NACIONAL DE BIBLIOTECARIOS, ARQUIVISTAS E DOCUMENTALISTAS, 8., 2004. Anais eletrônicos... Estoril: [s. n.], 2004. Disponível em: http://www.bad.pt/publicacoes/index.php/congressosbad/article/view/640/637. Acesso em: 03 ago. 2021.

SAYÃO, L. F. Repositórios digitais confiáveis para a preservação de periódicos eletrônicos científicos. Ponto de Acesso, Salvador, v.4, n.3, p. 68-94, dez. 2010a. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/download/86778. Acesso em: 03 ago. 2021.

SAYÃO, L. F. Uma outra face dos metadados: informações para a gestão da preservação digital. Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, v.15, n.30, p. 1-31, 2010b. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2010v15n30p1/19527. Acesso em: 03 ago. 2021.

SCHELLENBERG, T. R. Arquivos modernos: princípios e técnicas. 6. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.

SILVA, E. L.; MENEZES, E. M. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. 4. ed. rev. atual. Florianópolis: UFSC, 2005. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/312125489. Acesso em: 03 ago. 2021.

SILVA, M. Custódia, cadeia de preservação e custodiante confiável: conceitos para a preservação de documentos digitais autênticos. Conhecimento em Ação, Rio de Janeiro, v.4, n.2, jul./dez. 2019. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/rca/article/view/30291/17721. Acesso em: 03 ago. 2021.

SILVA, M. O arquivo e o lugar: custódia arquivística e a responsabilidade pela proteção aos arquivos. Niterói: Eduff, 2017.

SILVA, W. D. F. Introdução à gestão da informação. Campinas: Alínea, 2003.

SOMASUNDARAM, G.; SHRIVASTAVA, A. Armazenamento e gerenciamento de informações: como armazenar, gerenciar e proteger informações digitais. EMC Education Services. Porto Alegre: Bookman, 2011.

SOUZA, A. H. L. R.; OLIVEIRA, A. F.; D’AVILA, R. T.; CHAVES, E. S. S. O modelo de referência OAIS e a preservação digital distribuída. Ciência da Informação, Brasília, v.41, n.1, p. 65-73, jan./abr. 2012. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/1352. Acesso em: 03 ago. 2021.

SOUZA, T. B. Arquivologia e Biblioteconomia: pontos de encontro em caminhos diferentes. In: LUNARDELLI, R. S. A.; ARAUJO, N. C.; VIGNOLI, R. G. (Org.). Arquivologia: saberes docentes e discentes. Londrina: Eduel, 2013, p. 117-132.

THIBODEAU, K. If you build it, will it fly? Criteria for success in a digital repository. JoDI: Journal of Digital Information, Texas, v.8, n.2, 2007. Disponível em: https://journals.tdl.org/jodi/index.php/jodi/article/view/197. Acesso em 03 ago. 2021.

THIBODEAU, K. Overview of technological approaches to digital preservation and challenges in coming years. In: COUNCIL ON LIBRARY AND INFORMATION RESOURCES. The state of digital preservation: an international perspective. Washington, D.F., 2002, p. 4-31. Disponível em: http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/summary?doi=10.1.1.89.3273. Acesso em: 03 ago. 2021.

THOMAZ, K. P. Gestão e preservação de documentos eletrônicos de arquivo: revisão de literatura – parte 2. Arquivística.net, Rio de Janeiro, v.2, n.1, p. 114-131, jan./jun. 2006. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/download/56101. Acesso em: 03 ago. 2021.

THOMAZ, K. P. Repositórios digitais confiáveis e certificação. Arquivística.net, Rio de janeiro, v.3, n.1, p. 80-89, jan./jun. 2007. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/_repositorio/2010/05/pdf_fed0720dbb_0010726.pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.

THOMAZ, K. P.; SOARES, A. J. A preservação digital e o modelo de referência Open Archival Information System (OAIS). DataGramaZero, v.5, n.1, 2004, Rio de Janeiro. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/download/45229. Acesso em: 03 ago. 2021.

VOLPATO, G. L.; BARRETO, R. E.; UENO, H. M.; VOLPATO, E. D. S. N.; GIAQUINTO, P. C.; FREITAS, E. G. D. Dicionário crítico para redação científica. Botucatu: Best Writing, 2013.

VOUTSSÁS MÁRQUEZ, J. Factores tecnológicos, legales y documentales de la preservación documental digital. Investigación Bibliotecológica, Cidade do México, v.23, n.49, set./dez. 2009, p. 67-124. Disponível em: http://dx.doi.org/10.22201/iibi.0187358xp.2009.49.21391. Acesso em: 03 ago. 2021.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Henrique Machado dos Santos, Daniel Flores

Downloads

Não há dados estatísticos.