Open Archival Information System

análise do modelo funcional no contexto da Arquivística

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rebpred.v2i00.15814

Palavras-chave:

Preservação digital, Documentos digitais, Repositórios digitais confiáveis, Arquivologia, ISO 14721

Resumo

Objetivo: analisar as entidades funcionais do Open Archival Information System (OAIS), e apontar convergências com a Arquivística, tendo em vista a implementação de um Repositório Arquivístico Digital Confiável (RDC-Arq). Metodologia: artigo de revisão assistemática/narrativa que parte do levantamento bibliográfico de materiais previamente publicados, composto por livros, normas técnicas e artigos científicos recuperados pela ferramenta Google Scholar e pela Base de Dados em Ciência da Informação. Resultados: o modelo funcional proposto pelo OAIS permite receber, gerenciar e disseminar documentos arquivísticos digitais. Seus fluxos de informação são registrados e garantem a manutenção da autenticidade frente às ações realizadas no âmbito do RDC-Arq, como migrações e acréscimos de informações necessárias à preservação. Esse modelo funcional atende questões essenciais como negociar aquisições, transferências e recolhimento com produtores e custodiadores, além de gerenciar as demandas dos consumidores. Conclusões: o modelo funcional OAIS possibilita receber a documentação de forma adequada, adicionar as informações descritivas necessárias, armazenar os documentos de forma segura, gerenciar políticas de preservação e facilitar a disseminação à comunidade designada. Ademais, poderá ser incorporado ao sistema de arquivos, sendo base para implementar o RDC-Arq, e assim, proteger a custódia e garantir o acesso contínuo à documentos digitais autênticos no longo prazo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Henrique Machado dos Santos, Universidade Federal do Rio Grande

Mestre em Patrimônio Cultural pela Universidade Federal de Santa Maria. Arquivista lotado no Arquivo Geral da Universidade Federal do Rio Grande.

Daniel Flores, Universidade Federal Fluminense

Doutor em Metodologías y Líneas de Investigación en Biblioteconomía y Documentación pela Universidad de Salamanca. Professor associado do Departamento de Ciência da Informação da Universidade Federal Fluminense.

Referências

ANDRADE, R. S. Aspectos Introdutórios da Representação de Informação Arquivística: a Norma Brasileira de Descrição Arquivística (Nobrade), a Descrição Arquivística Codificada (EAD-DTD) e o Projeto Archives Hub. Ponto de Acesso, Salvador, v.1, n.2, p. 70-100, dez. 2007. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/download/98692. Acesso em: 03 ago. 2021.

ARAÚJO, C. A. Á. Arquivologia, Biblioteconomia, Museologia e Ciência da Informação: o diálogo possível. Brasília: Briquet de Lemos / São Paulo: ABRAINFO, 2014.

ARÉVALO JORDÁN, V. H. Las instituciones archivísticas. Rev. Fuent. Cong., La Paz, v.6, n.19, abr. 2012. Disponível em: http://www.revistasbolivianas.org.bo/pdf/fdc/v6n19/n19_a04.pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR 15472:2007. Sistemas espaciais de dados e informações – modelo de referência para um sistema aberto de arquivamento de informação (SAAI). Rio de Janeiro: ABNT, 2007.

BARRETO, A. A. Os documentos de amanhã: a metáfora, a escrita e a leitura nas narrativas em formato digital. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v.10, n.1, 2009. Disponível em: http://ridi.ibict.br/handle/123456789/159. Acesso em: 03 ago. 2021.

BELARMINO, V. F.; ARAÚJO, W. J. Análisis de vulnerabilidades computacionales en repositorios digitales. Biblios: Revista de Bibliotecología y Ciencias de la Información, Brasília/Lima, n.56, p. 1-18, 2014. Disponível em: http://biblios.pitt.edu/ojs/index.php/biblios/article/view/169. Acesso em: 03 ago. 2021.

BELLOTTO, H. L. Arquivos permanentes: tratamento documental. 4. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.

BOERES, S. A. A.; CUNHA, M. B. Competências básicas para os gestores de preservação digital. Ciência da Informação, Brasília, v.41, n.1, p.103-113, jan./abr. 2012. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/1356. Acesso em: 03 ago. 2021.

BRASIL. Lei nº 12.527, de 18 de novembro de 2011. Regula o acesso a informações previsto no inciso XXXIII do art. 5º, no inciso II do § 3º do art. 37 e no § 2º do art. 216 da Constituição Federal; altera a Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990; revoga a Lei nº 11.111, de 5 de maio de 2005, e dispositivos da Lei nº 8.159, de 8 de janeiro de 1991; e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 2011. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2011/Lei/L12527.htm. Acesso em: 03 ago. 2021.

CAMARGO, A. M. A.; BELLOTTO, H. L. Dicionário de terminologia arquivística. 3. ed. São Paulo: ARQ-SP, 2012.

CAMPOS, F. M. Informação Digital: um novo património a preservar. Cadernos Bad, Lisboa, n.2, p. 8-14, 2002. Disponível em: https://www.bad.pt/publicacoes/index.php/cadernos/article/view/861. Acesso em: 03 ago. 2021.

CLOONAN, M. V. Preservando documentos de valor permanente. In: EASTWOOD, T.; MACNEIL, H. (Org.). Correntes atuais do pensamento arquivístico. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2016, p. 107-134.

COLOMBIA, Archivo General de la Nación de. Subdirección de tecnologías de la información archivística y documento electrónico. Fundamentos de preservación digital a largo plazo. Bogotá DC: Archivo General, 2018. Disponível em: https://www.archivogeneral.gov.co/sites/default/files/Estructura_Web/5_Consulte/Recursos/Publicacionees/FundamentosPreservacionLargoPlazo.pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS (Brasil). Carta para a preservação do patrimônio arquivístico digital. [Rio de Janeiro]: UNESCO: CONARQ, 2005. Disponível em: https://www.gov.br/conarq/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/conarq_carta_preservacao_patrimonio_arquivistico_digital.pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS (Brasil). Diretrizes para a implementação de repositórios arquivísticos digitais confiáveis – RDC-Arq. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2015. Disponível em: https://www.gov.br/conarq/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/conarq_diretrizes_rdc_arq_resolucao_43.pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.

CONSULTATIVE COMMITTEE FOR SPACE DATA SYSTEM (CCSDS). Reference Model for an Open Archival Information System (OAIS). Washington: CCSDS, 2012. Disponível em: http://public.ccsds.org/publications/archive/650x0m2.pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.

CONWAY, P. Preservação no universo digital. 2. ed. Rio de Janeiro: Projeto Conservação Preventiva em Bibliotecas e Arquivos: Arquivo Nacional, 2001.

CORDEIRO, A. M.; OLIVEIRA, G. M.; RENTERÍA, J. M.; GUIMARÃES, C. A. Revisão sistemática: uma revisão narrativa. Rev. Col. Bras. Cir., Rio de Janeiro, v.34, n.6, p. 428-431, 2007. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-69912007000600012. Acesso em 03 ago. 2021.

CRUZ MUNDET, J. R.; DÍEZ CARRERA, C. Sistema de Información de Archivo Abierto (OAIS): luces y sombras de un modelo de referencia. Investigación Bibliotecológica: archivonomía, bibliotecología e información, Cidade do México, v.30, n.70, p. 221-247, set./dez. 2016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1016/j.ibbai.2016.10.010. Acesso: 03 ago. 2021.

DAY, M. Preservation metadata. In: GORMAN, G. E.; DORNER, D. G. (Ed.). Metadata applications and management. International Yearbook of Library and Information Management. London: Facet Publishing, 2004. p. 253-273. Disponível em: https://researchportal.bath.ac.uk/en/publications/preservation-metadata. Acesso em: 25 jul. 2021.

DE SORDI, J. O. Administração da informação: fundamentos e práticas para uma nova gestão do conhecimento. São Paulo: Saraiva, 2008.

DIGITAL CURATION CENTRE; DIGITAL PRESERVATION EUROPE (DCC/DPE). Digital Repository Audit Method Based on Risk Assessment (DRAMBORA). Glasgow: DCC/DCP, 2007. Disponível em: http://www.repositoryaudit.eu/download. Acesso em: 03 ago. 2021.

DINGWALL, G. Modelo de ciclo vital e modelo do continuum: uma visão das concepções de organização arquivística desde o período do pós-guerra. In: EASTWOOD, T.; MACNEIL, H. (Org.). Correntes atuais do pensamento arquivístico. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2016, p. 205-235.

DURANTI, L.; PRESTON, R. Diretrizes do preservador: a preservação de documentos arquivísticos digitais: diretrizes para organizações. Vancouver: InterPARES, 2007a. Disponível em: http://www.interpares.org/display_file.cfm?doc=ip2_preserver_guidelines_booklet--portuguese.pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.

DURANTI, L.; PRESTON, R. Diretrizes do produtor: a elaboração e a manutenção de materiais digitais: diretrizes para indivíduos. Vancouver: InterPARES, 2007b. Disponível em: http://www.siga.arquivonacional.gov.br/images/publicacoes/diretrizes_produtor_digital.pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.

FERREIRA, M. Introdução à preservação digital: conceitos, estratégias e actuais consensos. Guimarães: Escola de Engenharia da Universidade do Minho, 2006. Disponível em: https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/5820/1/livro.pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.

FLORES, D.; PRADEBON, D. S.; CÉ, G. Análise do conhecimento teórico-metodológico da preservação digital sob a ótica da OAIS, SAAI, ISO 14721 e NBR 15472. Brazilian Journal of Information Science: research trends, Marilia, v.11, n.4, p. 72-80, 2017. Disponível em: https://doi.org/10.36311/1981-1640.2017.v11n4.11.p73. Acesso em: 03 ago. 2021.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GRÁCIO, J. C. A.; MÁRDERO ARELLANO, M. Á. A gestão da preservação digital de dados de pesquisa: proposta de um modelo processual. Revista Brasileira de Preservação Digital, Campinas, v.1, n.0, p. e020001, 2020. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/rebpred/article/view/13223. Acesso em: 03 ago. 2021.

HEDSTROM, M. Digital preservation: problems and prospects. Michigan: University of Michigan, 2001. Disponível em: http://www.dl.slis.tsukuba.ac.jp/DLjournal/No_20/1-hedstrom/1-hedstrom.html. Acesso em: 03 ago. 2021.

INNARELLI, H. C. Instrumenta 2: Preservação de Documentos Digitais. São Paulo: ARQ-SP, 2012.

INNARELLI, H. C. Preservação digital e seus dez mandamentos. In: SANTOS, V. B.; INNARELLI, H. C.; SOUSA, R. T. B. (Org.). Arquivística: temas contemporâneos – classificação, preservação digital, gestão do conhecimento. 3. ed. Brasília: SENAC, 2009, p. 21-75.

INNARELLI, H. C. Preservação digital: a influência da gestão dos documentos digitais na preservação da informação e da cultura. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v.8, n. 2, p. 72-87, jan./jun. 2011. Disponível em: https://doi.org/10.20396/rdbci.v8i2.1934. Acesso em: 03 ago. 2021.

INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION. ISO 14721:2012. Space data and information transfer systems: open archival information system – reference model. Genebra: ISO, 2012.

JESSUA, C. Capitalismo. Porto Alegre: L&PM, 2016.

LEE, C. A. Open Archival Information System (OAIS) Reference Model. In: BATES, M. J.; MAACK, M. N. (Ed.). Encyclopedia of Library and Information Sciences, 3. ed. p. 4020-4030. London: CRC Press, 2015. Disponível em: https://ils.unc.edu/callee/p4020-lee.pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.

LUNA, S. V. Planejamento de pesquisa: uma introdução. São Paulo: EDUC, 1997.

LUZ, C. S. Ontologia Digital Arquivística: a representação do contexto de arquivo nos sistemas informatizados e na web. São Paulo: Bookess Editora, 2018.

LUZ, C.; FLORES, D. Cadeia de custódia e de preservação: autenticidade nas plataformas de gestão e preservação de documentos arquivísticos. In: Seminário Serviços de Informação em Museus. [S. l. : s. n.], p. 171-181, 2018. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/325225229. Acesso: 03 ago. 2021.

MARCONDES, C. H. Linguagem e documento: fundamentos evolutivos e culturais da Ciência da Informação. Perspectivas em Ciência da Informação, v.15, n.2, p 2-21, maio./ago. 2010. Disponível em: http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/1019. Acesso em: 03 ago. 2021.

MÁRDERO ARELLANO, M. Á. Preservação de documentos digitais. Ciência da Informação, Brasília, v.33, n.2, p. 15-27, maio/ago. 2004. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/1043. Acesso em: 03 ago. 2021.

MÁRDERO ARELLANO, M. Á; OLIVEIRA, A. F. Gestão de repositórios de preservação digital. RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v.14, n.3, p. 465-483, 2016. Disponível em: https://doi.org/10.20396/rdbci.v14i3.8646346. Acesso em: 03 ago. 2021.

PAES, M. L. Arquivo: teoria e prática. 3. ed. rev. ampl. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2005.

PAVÃO, C. M. G.; CAREGNATO, S. E.; ROCHA, R. P. Implementação da preservação digital em repositórios: conhecimento e práticas. Rev. Digit. Bibliotecon. Cienc. Inf., Campinas, v.14, n.3, p. 407-425, set./dez. 2016. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/151293. Acesso em: 03 ago. 2021.

ROCHA, C. L. Repositórios para a preservação de documentos arquivísticos digitais. Acervo, Rio de Janeiro, v.28, n.2, p. 180-191, 2015. Disponível em: http://revista.arquivonacional.gov.br/index.php/revistaacervo/article/view/608/669. Acesso em: 03 ago. 2021.

ROCKEMBACH, M. Evidência da Informação em plataformas digitais: da reflexão teórica à construção de um modelo. Informação Arquivística, Rio de Janeiro, v.2, n.1, p. 89-109, jan./jun. 2013. Disponível em: https://www.brapci.inf.br/_repositorio/2015/12/pdf_a9c97a9a67_0000018247.pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.

ROUSSEAU, J-Y; COUTURE, C. Os fundamentos da disciplina arquivística. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1998.

SANTOS, E. C.; ALMEIDA, M. F. Linguagem como interação: reflexões no contexto da arquivologia. In: SOUSA, F. F.; SANTOS, E. C. (Org.). A linguagem e a informação documentária: intermediações e ressignificações possíveis. Curitiba: Appris, 2011, p. 11-25.

SANTOS, V. B. A Arquivística como disciplina científica: princípios, objetivos e objetos. Salvador: 9Bravos, 2015.

SANTOS, V. B. A prática arquivística em tempos de gestão do conhecimento. In: SANTOS, V. B.; INNARELLI, H. C.; SOUSA, R. T. B. (Org.). Arquivística: temas contemporâneos – classificação, preservação digital, gestão do conhecimento. 3. ed. Brasília: SENAC, 2009, p. 175-223.

SANTOS, V. B. Gestão de documentos eletrônicos: uma visão arquivística. 2. ed. Brasília: Abarq, 2005.

SARAMAGO, M. L. Metadados para preservação digital e aplicação do modelo OAIS. In: CONGRESSO NACIONAL DE BIBLIOTECARIOS, ARQUIVISTAS E DOCUMENTALISTAS, 8., 2004. Anais eletrônicos... Estoril: [s. n.], 2004. Disponível em: http://www.bad.pt/publicacoes/index.php/congressosbad/article/view/640/637. Acesso em: 03 ago. 2021.

SAYÃO, L. F. Repositórios digitais confiáveis para a preservação de periódicos eletrônicos científicos. Ponto de Acesso, Salvador, v.4, n.3, p. 68-94, dez. 2010a. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/download/86778. Acesso em: 03 ago. 2021.

SAYÃO, L. F. Uma outra face dos metadados: informações para a gestão da preservação digital. Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, v.15, n.30, p. 1-31, 2010b. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2010v15n30p1/19527. Acesso em: 03 ago. 2021.

SCHELLENBERG, T. R. Arquivos modernos: princípios e técnicas. 6. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.

SILVA, E. L.; MENEZES, E. M. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. 4. ed. rev. atual. Florianópolis: UFSC, 2005. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/312125489. Acesso em: 03 ago. 2021.

SILVA, M. Custódia, cadeia de preservação e custodiante confiável: conceitos para a preservação de documentos digitais autênticos. Conhecimento em Ação, Rio de Janeiro, v.4, n.2, jul./dez. 2019. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/rca/article/view/30291/17721. Acesso em: 03 ago. 2021.

SILVA, M. O arquivo e o lugar: custódia arquivística e a responsabilidade pela proteção aos arquivos. Niterói: Eduff, 2017.

SILVA, W. D. F. Introdução à gestão da informação. Campinas: Alínea, 2003.

SOMASUNDARAM, G.; SHRIVASTAVA, A. Armazenamento e gerenciamento de informações: como armazenar, gerenciar e proteger informações digitais. EMC Education Services. Porto Alegre: Bookman, 2011.

SOUZA, A. H. L. R.; OLIVEIRA, A. F.; D’AVILA, R. T.; CHAVES, E. S. S. O modelo de referência OAIS e a preservação digital distribuída. Ciência da Informação, Brasília, v.41, n.1, p. 65-73, jan./abr. 2012. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/1352. Acesso em: 03 ago. 2021.

SOUZA, T. B. Arquivologia e Biblioteconomia: pontos de encontro em caminhos diferentes. In: LUNARDELLI, R. S. A.; ARAUJO, N. C.; VIGNOLI, R. G. (Org.). Arquivologia: saberes docentes e discentes. Londrina: Eduel, 2013, p. 117-132.

THIBODEAU, K. If you build it, will it fly? Criteria for success in a digital repository. JoDI: Journal of Digital Information, Texas, v.8, n.2, 2007. Disponível em: https://journals.tdl.org/jodi/index.php/jodi/article/view/197. Acesso em 03 ago. 2021.

THIBODEAU, K. Overview of technological approaches to digital preservation and challenges in coming years. In: COUNCIL ON LIBRARY AND INFORMATION RESOURCES. The state of digital preservation: an international perspective. Washington, D.F., 2002, p. 4-31. Disponível em: http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/summary?doi=10.1.1.89.3273. Acesso em: 03 ago. 2021.

THOMAZ, K. P. Gestão e preservação de documentos eletrônicos de arquivo: revisão de literatura – parte 2. Arquivística.net, Rio de Janeiro, v.2, n.1, p. 114-131, jan./jun. 2006. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/download/56101. Acesso em: 03 ago. 2021.

THOMAZ, K. P. Repositórios digitais confiáveis e certificação. Arquivística.net, Rio de janeiro, v.3, n.1, p. 80-89, jan./jun. 2007. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/_repositorio/2010/05/pdf_fed0720dbb_0010726.pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.

THOMAZ, K. P.; SOARES, A. J. A preservação digital e o modelo de referência Open Archival Information System (OAIS). DataGramaZero, v.5, n.1, 2004, Rio de Janeiro. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/download/45229. Acesso em: 03 ago. 2021.

VOLPATO, G. L.; BARRETO, R. E.; UENO, H. M.; VOLPATO, E. D. S. N.; GIAQUINTO, P. C.; FREITAS, E. G. D. Dicionário crítico para redação científica. Botucatu: Best Writing, 2013.

VOUTSSÁS MÁRQUEZ, J. Factores tecnológicos, legales y documentales de la preservación documental digital. Investigación Bibliotecológica, Cidade do México, v.23, n.49, set./dez. 2009, p. 67-124. Disponível em: http://dx.doi.org/10.22201/iibi.0187358xp.2009.49.21391. Acesso em: 03 ago. 2021.

Downloads

Publicado

2021-11-14

Como Citar

SANTOS, H. M. dos; FLORES, D. Open Archival Information System: análise do modelo funcional no contexto da Arquivística. Revista Brasileira de Preservação Digital, Campinas, SP, v. 2, n. 00, p. e021005, 2021. DOI: 10.20396/rebpred.v2i00.15814. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/rebpred/article/view/15814. Acesso em: 3 jul. 2022.

Edição

Seção

Artigo de Revisão