A pandemia de Covid-19 e a centralidade do trabalho para a valorização do capital no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rbest.v4i00.16191

Palavras-chave:

Centralidade do trabalho, Valorização do capital, Relações de trabalho

Resumo

O objetivo do artigo é revisar criticamente a tese sobre o fim da centralidade social do trabalho, analisando-a no contexto brasileiro contemporâneo e com base nas seguintes questões: (i) O que este contexto revela sobre a centralidade do controle das relações de trabalho para o processo de valorização do capital; (ii) Como é possível entender os dados pandêmicos do mercado de trabalho brasileiro à luz deste debate teórico, sem esquecer suas implicações com o cenário anterior? Combinamos pesquisa teórica (focada na sociologia do trabalho) e pesquisa empírica (baseada em dados secundários do mercado de trabalho brasileiro). Observamos que o contexto criado pela pandemia explicitou as desigualdades e contradições do conflito capital-trabalho, destacando a centralidade da dinâmica trabalhista para a acumulação capitalista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Beatriz Bueno de Jesus, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Mestrado em Direito do Trabalho e Direito Previdenciário na Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Professora substituta na Faculdade Nacional de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Bruna da Penha de Mendonça Coelho, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutoranda em Teoria e Filosofia do Direito pela Universidade do Estado do Rio De Janeiro e em Sociologia pelo Instituto de Estudos Sociais e Políticos, com período de doutorado sanduíche na Universidade Friedrich-Schiller Jena, Alemanha. Professora substituta na Faculdade Nacional de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Miriam Tavares de Sá, Universidade Federal Fluminense

Mestranda em Sociologia e Direito na Universidade Federal Fluminense. Bolsista CAPES. 

Referências

Antunes, R. (2006). Adeus ao trabalho? Ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho. Editora da Unicamp.

Antunes, R. (2009). Os sentidos do trabalho: Ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. Boitempo.

Antunes, R. (2010). Trabalho uno ou omni: A dialética entre o trabalho concreto e o trabalho abstrato. Argumentum, 2(2), 9–15.

Antunes, R. (2018). O privilégio da servidão: O novo proletariado de serviços na era digital. Boitempo.

Antunes, R. (2020). Coronavírus: O trabalho sob fogo cruzado. Boitempo.

Baltar, P., & Leone, E. T. (2012). O mercado de trabalho no Brasil nos anos 2000. Carta Social e do Trabalho, 19, 2–15. https://www.cesit.net.br/carta-19-o-mercado-de-trabalho-no-brasil-nos-anos-2000/

Bridi, M. A. (2020). A pandemia Covid-19: Crise e deterioração do mercado de trabalho no Brasil. Revista Estudos Avançados, 34(100), 141–165. https://doi.org/10.1590/s0103-4014.2020.34100.010

Bridi, M. A., Bohler, F. R., & Zanoni, A. P. (Coords.) (2020). O trabalho remoto/home-office no contexto da pandemia Covid-19. [Relatório técnico-científico da pesquisa, parte I]. Grupo de Estudos Trabalho e Sociedade, Universidade Federal do Paraná; REMIR Trabalho. https://www.eco.unicamp.br/remir/index.php/condicoes-de-trabalho/190-o-trabalho-remoto-home-office-no-contexto-da-pandemia-covid-19

Bridi, M. A., Braga, R., & Santana, M. A. (2018). Sociologia do Trabalho no Brasil hoje: Balanço e perspectivas. Revista Brasileira de Sociologia, 6(12), 42–64. https://doi.org/10.20336/rbs.244

Cardoso, A., & Peres, T. (2020, Noviembre 30). A “modernização das relações de trabalho”, a informalidade e a pandemia. REMIR Trabalho. https://www.eco.unicamp.br/remir/index.php/blog/227-a-modernizacao-das-relacoes-de-trabalho-a-informalidade-e-a-pandemia

Corsi, F. L. (2016). A política econômica do governo Dilma: baixo crescimento e recessão. Novos Rumos, 53(1), 153–165. https://doi.org/10.36311/0102-5864.2016.v53n1.09.p153

Decreto-Lei n. 5452, de 1º de maio de 1943. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Presidência da República. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/del5452.htm

Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos – DIEESE (2011). As mudanças de composição, intensidade e duração do desemprego urbano entre 1999 e 2009: Um olhar sobre o desemprego no longo prazo. https://www.dieese.org.br/pesquisaDIEESE/2011/201112desempregoLongoPrazo.pdf

Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos – DIEESE (2016). Desemprego em alta. [Boletim Emprego em Pauta, n. 0]. https://www.dieese.org.br/boletimempregoempauta/2016/boletimEmpregoEmPauta.html

Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos – DIEESE (2017a). Dificuldades persistem. [Boletim Emprego em Pauta, n. 3]. https://www.dieese.org.br/boletimempregoempauta/2017/boletimEmpregoEmPauta3.html

Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos – DIEESE (2017b). Estagnação econômica e aumento do desemprego. [Boletim Emprego em Pauta, n. 4]. https://www.dieese.org.br/boletimempregoempauta/2017/boletimEmpregoEmPauta4.html

Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos – DIEESE (2019). Ocupados, mas insatisfeito – uma análise do crescimento da subocupação. [Boletim Emprego em Pauta, n. 12]. https://www.dieese.org.br/boletimempregoempauta/2019/boletimEmpregoEmPauta12.html

Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos – DIEESE (2020a). Brasil em crise: Qual será o futuro? [Boletim de Conjuntura, n. 23]. https://www.dieese.org.br/boletimdeconjuntura/2020/boletimConjuntura023.html

Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos – DIEESE (2020b). Pesquisa Nacional sobre Home Office dos(as) Bancários(as). [Estudos e Pesquisas, n. 98], DIEESE/CONTRAF-CUT. https://www.dieese.org.br/estudosepesquisas/2020/estPesq98homeOfficeBancos.pdf

Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos – DIEESE (2020c). Primeiros impactos da pandemia no mercado de trabalho. [Boletim Emprego em Pauta, n. 15]. https://www.dieese.org.br/boletimempregoempauta/2020/boletimEmpregoEmPauta15.html

Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos – DIEESE (2021). Condição do mercado de trabalho: Indicadores trimestrais Brasil e estados. https://www.dieese.org.br/outraspublicacoes/2021/IndicadoresPrimeirosTrimestresMercadoTrabalho.html

Fernandes, A. (2020, Maio 27). “O maior remédio pra qualquer doença é o trabalho”, diz Bolsonaro. Correio Braziliense. https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica/2020/03/27/interna_politica,840821/o-maior-remedio-pra-qualquer-doenca-e-o-trabalho-diz-bolsonaro.shtml

Fontes, V. (2010). O Brasil e o capital-imperialismo: teoria e história. Editora da UFRJ.

Gorz, A. (1981). Adiós al proletariado (más allá del socialismo). El Viejo Topo.

Gorz, A. (2005). O imaterial: Conhecimento, valor e capital (Trad. Celso Azzan Júnior). Annablume Editora.

Habermas, J. (1987). A nova intransparência: A crise do estado de bem-estar social e o esgotamento das energias utópicas. Revista Novos Estudos CEBRAP, 18(2), 103–114.

Harvey, D. (2014). O novo imperialismo (Trad. Adail Sobral e Maria Stela Gonçalves). Edições Loyola.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE (2016). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua. Divulgação especial. Novos indicadores sobre a força de trabalho no Brasil. https://ftp.ibge.gov.br/Trabalho_e_Rendimento/Pesquisa_Nacional_por_Amostra_de_Domicilios_continua/Trimestral/Novos_Indicadores_Sobre_a_Forca_de_Trabalho/pnadc_201201_201602_trimestre_novos_indicadores.pdf

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE (2017). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua – Terceiro Trimestre de 2017. https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/2421/pnact_2017_3tri.pdf

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE (2019a). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua: rendimentos de todas as fontes. https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101709_informativo.pdf

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE (2019b). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua – Quarto Trimestre de 2019. https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/2421/pnact_2019_4tri.pdf

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE (2020a). PNAD COVID 19: coleta vai até dezembro de 2020, com resultados referentes a novembro de 2020. [Comunicados]. https://www.ibge.gov.br/novo-portal-destaques/29196-pnad-covid-19-coleta-vai-ate-dezembro-de-2020-com-resultados-referentes-a-novembro-de-2020.html

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE (2020b). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD COVID19. Maio, 2020. https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101727.pdf

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE (2020c). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD COVID19. Outubro, 2020. https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101772.pdf

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE (2020d). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD COVID19. Novembro, 2020. https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101778.pdf

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE (2021). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua – Quarto trimestre de 2021. https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/2421/pnact_2021_4tri.pdf

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE (2022a, Febrero 24). PNAD Contínua: taxa de desocupação é de 11,1% e taxa de subutilização de 24,3% no trimestre encerrado em dezembro. [Agência de Notícias IBGE]. https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/33037-pnad-continua-taxa-de-desocupacao-e-de-11-1-e-taxa-de-subutilizacao-de-24-3-no-trimestre-encerrado-em-dezembro

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE (2022b, 24 Febrero). PNAD Contínua Trimestral: desocupação recua em 15 das 27 UFs no 4° trimestre de 2021. [Agência de Notícias IBGE]. https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/33033-pnad-continua-trimestral-desocupacao-recua-em-15-das-27-ufs-no-4-trimestre-de-2021

Jesus, A. B. B., Coelho, B. P. M., & Sá, M. T. (2020). A centralidade social do trabalho para a autovalorização do capital e a pandemia de Covid-19. Cadernos de Estudos Sociais e Políticos, 9(16), 2-51. https://doi.org/10.12957/cesp.2020.66554

Krein, J. D., Oliveira, R. V. de, & Filgueiras, V. A. (Orgs.) (2019). Reforma trabalhista no Brasil: Promessas e realidades. Curt Nimuendajú.

Lameiras, M. A. P., Corseuil, C. H., Ramos, L., & Russo, F. M. (2022). Desempenho recente do mercado de trabalho e perspectivas. Carta de Conjuntura, (54) [Nota de Conjuntura 32], IPEA. https://www.ipea.gov.br/cartadeconjuntura/index.php/2022/03/desempenho-recente-do-mercado-de-trabalho-e-perspectivas-2/

Lukács, G. (2013). Para uma ontologia do ser social II. Boitempo.

Marini, R. M (2000). Dialética da dependência. Vozes.

Marx, K. (2008). Contribución a la crítica de la economía política. 9 ed. Siglo Vientiuno.

Marx, K. (2017). O capital: Crítica da economia política. Livro I: O processo de produção do capital. (Trad. R. Enderle). Editora Boitempo.

Offe, C. (1985). Disorganized capitalism: contemporary transformations of work and politics. MIT Press.

Offe, C. (1989). Trabalho e sociedade: Problemáticas estruturais e perspectivas para o futuro da “sociedade do trabalho”. Tempo Brasileiro.

Prieb, S. (2012). Os efeitos da crise econômica sobre a classe trabalhadora. Revista Latino-Americana de História, 1(3), 549–561. https://doi.org/10.4013/rlah.v1i3.103

Santana, M. A., & Ramalho, J. R. (2004). Sociologia do trabalho no mundo contemporâneo. Zahar.

SAP Consultoria em RH (2016). Pesquisa Home Office Brasil 2016. Estudo de mercado. SAP Consultores Associados; SOBRATT; GCONTT. http://www.sobratt.org.br/site2015/wp-content/uploads/2016/05/Estudo_Home-_Office_Consolidado_2016.pdf

SAP Consultoria em RH (2018). Pesquisa Home Office Brasil 2018. Versão reduzida. SAP Consultores Associados; SOBRATT; ABRH; CONARH; Trading Works; GCONTT. http://www.sobratt.org.br/site2015/wp-content/uploads/2018/12/PESQUISA-SAP-REDUZIDA.pdf

SAP Consultoria em RH (2020). Pesquisa Home Office Brasil 2020. Estudo de mercado. SAP Consultores Associados; SOBRATT. https://sapconsultoria.com.br/pesquisa-home-office-brasil-2020

Publicado

2022-10-28

Como Citar

Jesus, A. B. B. de ., Coelho, B. da P. de M. ., & Sá, M. T. de . (2022). A pandemia de Covid-19 e a centralidade do trabalho para a valorização do capital no Brasil. RBEST Revista Brasileira De Economia Social E Do Trabalho, 4(00), e022007. https://doi.org/10.20396/rbest.v4i00.16191