ANCÉS e outras macumbarias
Uma foto de pés descalços com adornos de conchas nos tornozelos em meio a areia, com a marca da revista exibida na parte inferior central da imagem.
PDF

Palavras-chave

Religião
Macumbaria

Como Citar

MENDES, Conceição de Maria Macau. ANCÉS e outras macumbarias: poética visual de rastros insurgentes. Proa: Revista de Antropologia e Arte, Campinas, SP, v. 10, n. 1, p. 310–332, 2020. DOI: 10.20396/proa.v10i1.17617. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/proa/article/view/17617. Acesso em: 15 jul. 2024.

Resumo

Escolho começar pelo rastro deixado na terra dos meus. De início, trago à baila uma breve lembrança de Seu Joca, pescador e morador antigo do Cajueiro – comunidade remanescente de quilombo em São Luís/MA –, que numa conversa sobre pertencimento e memória, ao “rastar” o pé no chão de terra me disse:“Não sei de nada não minha filha... Só sei mesmo fazer rasto!”.

https://doi.org/10.20396/proa.v10i1.17617
PDF

Referências

BELTING, Hans. O fim da história da arte: uma revisão dez anos depois. São Paulo: Cosac Naify, 2006.

BENJAMIM, Walter. Obras Escolhidas v. I: Magia e técnica, arte e política. São Paulo: Brasiliense, 1985.

MBEMBE, A. Necropolítica. São Paulo, sp: n-1 edições, 2018.

OLIVEIRA, Eduardo. Filosofia da Ancestralidade: corpo e mito na filosofia da educação brasileira. Curitiba: Gráfica e Editora Popular, 2007.

SANTOS, A. Bispo. Colonização, Quilombos: modos e significações. 2ª Ed. Brassília: AYÔ, 2019.

SILVA, Luciene R. Corpo em diáspora: colonialidade, pedagogia de dança e técnica Germaine Acogny. Tese (doutorado) - Universidade de Campinas. Campinas, SP, 2017.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2020 Tieta Macau

Downloads

Não há dados estatísticos.