O (im)provável encontro entre o Mulato Calado e o Delegado Chico Palha

apontamentos sobre a pesquisa em música no contexto da cultura popular urbana brasileira

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/muspop.v8i00.15807

Palavras-chave:

Música, Metodologia, Interdisciplinaridade, Música popular

Resumo

A pesquisa em música vem se desenvolvendo e ganhando novas abordagens a partir de contribuições advindas de diversos campos do conhecimento. A perspectiva interdisciplinar, portanto, tem se constituído como alternativa promissora diante de questões que emergem especialmente a partir da música popular, área privilegiada para a investigação de
pontos estruturantes de nossa sociedade. No presente trabalho, além de ressaltar as concepções que forjaram o conjunto de disciplinas que se dedicam ao estudo da música (tomada, nesse sentido, como uma instância abstrata), analiso também dois sambas compostos na primeira metade do século XX. O objetivo dessa análise é justamente revelar a dimensão social e “concreta” da música, apontando para as tensões, conflitos e contradições presentes na cultura brasileira. O encontro entre o “Mulato calado” e o “Delegado Chico Palha”, entre a polícia e o matador, entre um homem violento (“sem coração”) e o defensor de sua companheira, permite não apenas lançar um olhar sobre alguns aspectos
estruturantes do quadro sociocultural brasileiro, mas também propicia a reflexão sobre novas formas de lançar esse olhar através da pesquisa em música.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Humberto Junqueira, Universidade Federal de Ouro Preto

Doutor em música, história e sociedade pela EHESS (França) em cotutela de tese com a Universidade Federal de Minas Gerais (Brasil). Professor substituto do departamento de música da Universidade Federal de Ouro Preto.

Referências

ARAGÃO, Pedro. O baú do animal: Alexandre Gonçalves Pinto e o choro. Rio de Janeiro: Folha Seca, 2013, 280 p.

BARBEITAS, Flavio. A universidade e a pergunta pela música. Diálogos Com Som, Barbacena, v. 3, n. 1, p.41-51, nov. 2016.

BORGES, Jorge Luis. El Idioma Analítico de John Wilkins. In: Otras Inquisiciones, 1952.

BURKE, Peter. Cultura popular na idade moderna: Europa, 1500-1800. 2aed. 2areimp. Trad. Denise Bottmann. São Paulo: Companhia das Letras, 1999, 385 p.

INGOLD, Timothy. Caminhando com dragões: em direção ao lado selvagem. In: STEIL, C.; CARVALHO, I.; (Org.). Cultura, percepção e ambiente: diálogos com Tim Ingold. São Paulo: Editora Terceiro Nome, 2012. Coleção Antropologia Hoje. 237 p.

LABORDE, Denis. Por uma ciência indisciplinada da música. Revista Brasileira de Música, Rio de Janeiro, v. 28, n. 1, p. 17-32, jun. 2015. Tradução: Emilia Chamone e Lúcia Campos.

LATOUR, Bruno; WOOLGAR, Steve. Laboratory life: the construction of scientific facts. 2. ed. New Jersey: Princeton University Press, 1986. 281 p.

MATURANA, Humberto; VARELA, Francisco. A árvore conhecimento: as bases biológicas da compreensão humana. São Paulo: Palas Athena, 2001. 281 p.

MENEZES BASTOS, Rafael. Esboço de uma teoria da música: para além de uma antropologia sem música e de uma musicologia sem homem. Aceno, Cuiabá, v. 1, n. 1, p. 49-101, jun. 2014.

MORAES, José Geraldo Vinci de. História e música: canção popular e conhecimento histórico. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 20, n. 39, p. 203-221, 2000.

NASCIMENTO, Jorge Luiz do. Violência policial, racismo e resistência: notas a partir da mpb. Contexto, Vitória, v. 35, n. 1, p. 193-218, jan. 2019.

PARNCUTT, Richard. Musicologia Sistemática: a história e o futuro do ensino acadêmico musical no ocidente. Em Pauta, Porto Alegre, v. 20 n. 34/35, 145-185, janeiro a dezembro 2012.

SANDRONI, Carlos. Feitiço decente: transformações do samba no Rio de Janeiro, 1917-1933. Rio de Janeiro: Jorge Zahar; Ed. UFRJ, 2001, 247 p.

SANDRONI, Carlos. Adeus à MPB. In: STARLING, Heloísa; CAVALCANTI, Berenice; IASENBERG, José. (Org.). Decantando a República. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2004, v. 1, pp. 23-35.

SANDRONI, Carlos. Categorias raciais e gêneros musicais gravados no Rio de Janeiro dos anos 1930 e 1940. Revista Usp, São Paulo, v. 87, n. 1, p. 134-143, nov. 2010.

SILVA, Flávio. Origines de la samba urbaine à Rio de Janeiro, ‘mémoire’, Paris, EPHE, 1975.

STANLEY SADIE (Brasil) (ed.). Dicionário Grove de Música: edição concisa. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994. 1047 p.

TUGNY, Rosângela Pereira de. Mapeando estudos sobre músicas tradicionais no Brasil. Habitus, Goiânia, v. , n. , p. 119-147, jun. 2007. Semestral. Disponível em: http://seer.pucgoias.edu.br/index.php/habitus/article/view/381/317. Acesso em: 26 jul. 2021.

WISNIK, José Miguel. Machado Maxixe: o caso pestana. In: WISNIK, José Miguel. Sem receita. São Paulo: Publifolha, 2004. p. 17-105.

Downloads

Publicado

2021-12-30

Como Citar

JUNQUEIRA, H. O (im)provável encontro entre o Mulato Calado e o Delegado Chico Palha : apontamentos sobre a pesquisa em música no contexto da cultura popular urbana brasileira. Música Popular em Revista, Campinas, SP, v. 8, n. 00, p. e021013, 2021. DOI: 10.20396/muspop.v8i00.15807. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/15807. Acesso em: 10 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos temáticos