Banner Portal
O (im)provável encontro entre o Mulato Calado e o Delegado Chico Palha
PDF

Palavras-chave

Música
Metodologia
Interdisciplinaridade
Música popular

Como Citar

JUNQUEIRA, Humberto. O (im)provável encontro entre o Mulato Calado e o Delegado Chico Palha : apontamentos sobre a pesquisa em música no contexto da cultura popular urbana brasileira. Música Popular em Revista, Campinas, SP, v. 8, n. 00, p. e021013, 2021. DOI: 10.20396/muspop.v8i00.15807. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/15807. Acesso em: 12 abr. 2024.

Resumo

A pesquisa em música vem se desenvolvendo e ganhando novas abordagens a partir de contribuições advindas de diversos campos do conhecimento. A perspectiva interdisciplinar, portanto, tem se constituído como alternativa promissora diante de questões que emergem especialmente a partir da música popular, área privilegiada para a investigação de
pontos estruturantes de nossa sociedade. No presente trabalho, além de ressaltar as concepções que forjaram o conjunto de disciplinas que se dedicam ao estudo da música (tomada, nesse sentido, como uma instância abstrata), analiso também dois sambas compostos na primeira metade do século XX. O objetivo dessa análise é justamente revelar a dimensão social e “concreta” da música, apontando para as tensões, conflitos e contradições presentes na cultura brasileira. O encontro entre o “Mulato calado” e o “Delegado Chico Palha”, entre a polícia e o matador, entre um homem violento (“sem coração”) e o defensor de sua companheira, permite não apenas lançar um olhar sobre alguns aspectos
estruturantes do quadro sociocultural brasileiro, mas também propicia a reflexão sobre novas formas de lançar esse olhar através da pesquisa em música.

https://doi.org/10.20396/muspop.v8i00.15807
PDF

Referências

ARAGÃO, Pedro. O baú do animal: Alexandre Gonçalves Pinto e o choro. Rio de Janeiro: Folha Seca, 2013, 280 p.

BARBEITAS, Flavio. A universidade e a pergunta pela música. Diálogos Com Som, Barbacena, v. 3, n. 1, p.41-51, nov. 2016.

BORGES, Jorge Luis. El Idioma Analítico de John Wilkins. In: Otras Inquisiciones, 1952.

BURKE, Peter. Cultura popular na idade moderna: Europa, 1500-1800. 2aed. 2areimp. Trad. Denise Bottmann. São Paulo: Companhia das Letras, 1999, 385 p.

INGOLD, Timothy. Caminhando com dragões: em direção ao lado selvagem. In: STEIL, C.; CARVALHO, I.; (Org.). Cultura, percepção e ambiente: diálogos com Tim Ingold. São Paulo: Editora Terceiro Nome, 2012. Coleção Antropologia Hoje. 237 p.

LABORDE, Denis. Por uma ciência indisciplinada da música. Revista Brasileira de Música, Rio de Janeiro, v. 28, n. 1, p. 17-32, jun. 2015. Tradução: Emilia Chamone e Lúcia Campos.

LATOUR, Bruno; WOOLGAR, Steve. Laboratory life: the construction of scientific facts. 2. ed. New Jersey: Princeton University Press, 1986. 281 p.

MATURANA, Humberto; VARELA, Francisco. A árvore conhecimento: as bases biológicas da compreensão humana. São Paulo: Palas Athena, 2001. 281 p.

MENEZES BASTOS, Rafael. Esboço de uma teoria da música: para além de uma antropologia sem música e de uma musicologia sem homem. Aceno, Cuiabá, v. 1, n. 1, p. 49-101, jun. 2014.

MORAES, José Geraldo Vinci de. História e música: canção popular e conhecimento histórico. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 20, n. 39, p. 203-221, 2000.

NASCIMENTO, Jorge Luiz do. Violência policial, racismo e resistência: notas a partir da mpb. Contexto, Vitória, v. 35, n. 1, p. 193-218, jan. 2019.

PARNCUTT, Richard. Musicologia Sistemática: a história e o futuro do ensino acadêmico musical no ocidente. Em Pauta, Porto Alegre, v. 20 n. 34/35, 145-185, janeiro a dezembro 2012.

SANDRONI, Carlos. Feitiço decente: transformações do samba no Rio de Janeiro, 1917-1933. Rio de Janeiro: Jorge Zahar; Ed. UFRJ, 2001, 247 p.

SANDRONI, Carlos. Adeus à MPB. In: STARLING, Heloísa; CAVALCANTI, Berenice; IASENBERG, José. (Org.). Decantando a República. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2004, v. 1, pp. 23-35.

SANDRONI, Carlos. Categorias raciais e gêneros musicais gravados no Rio de Janeiro dos anos 1930 e 1940. Revista Usp, São Paulo, v. 87, n. 1, p. 134-143, nov. 2010.

SILVA, Flávio. Origines de la samba urbaine à Rio de Janeiro, ‘mémoire’, Paris, EPHE, 1975.

STANLEY SADIE (Brasil) (ed.). Dicionário Grove de Música: edição concisa. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994. 1047 p.

TUGNY, Rosângela Pereira de. Mapeando estudos sobre músicas tradicionais no Brasil. Habitus, Goiânia, v. , n. , p. 119-147, jun. 2007. Semestral. Disponível em: http://seer.pucgoias.edu.br/index.php/habitus/article/view/381/317. Acesso em: 26 jul. 2021.

WISNIK, José Miguel. Machado Maxixe: o caso pestana. In: WISNIK, José Miguel. Sem receita. São Paulo: Publifolha, 2004. p. 17-105.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Humberto Junqueira

Downloads

Não há dados estatísticos.