Banner Portal
Cordel das cordas populares
PDF

Palavras-chave

Violino popular brasileiro
Literatura de cordel
Pedagogia decolonial
Dança
Contação de histórias

Como Citar

BRISOLLA, Thiago; TOKESHI, Eliane. Cordel das cordas populares: uma experiência de ensino musical decolonial através da contação de histórias e prática da dança. . Música Popular em Revista, Campinas, SP, v. 8, n. 00, p. e021012, 2021. DOI: 10.20396/muspop.v8i00.15798. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/15798. Acesso em: 12 abr. 2024.

Resumo

Em 2019, o projeto Cordel das Cordas Populares teve o objetivo de ensinar em classes coletivas os gêneros musicais que compõem o forró para estudantes de cordas friccionadas, em situação de vulnerabilidade social. Elaborado pelo autor deste artigo, o material é baseado nos trabalhos artísticos e pedagógicos dos violinistas populares Nicolas Krassik (1969-) e Ricardo Herz (1978-), e seu ensino interagiu com as práticas da contação de histórias em folhetos de cordel e dança. Este artigo pretende descrever e analisar essa experiência pedagógica interdisciplinar da performance musical, por meio de um olhar pedagógico decolonial, demonstrando a complementaridade entre as práticas de música, contação de histórias e dança.

https://doi.org/10.20396/muspop.v8i00.15798
PDF

Referências

ª OFICINA de Música de Curitiba Oficinas Populares Cordas Friccionadas na PPB e Prática de Conjunto - Prof. Nicolas Krassik. In: flickr. 2019 [S.l.]. Disponível em:<https://www.flickr.com/photos/fundacaoculturaldecuritiba/albums/72157711539163306>. Acesso em: 06 jul. de 2021

BÂ, A. H. A Tradição Viva. In: MEDEIROS, F.H.N.; MORAES, T.M.R. (org.).Contação de Histórias: Tradição, Poéticas e Interfaces. São Paulo: Edições Sesc São Paulo, 2015. pp. 155-188.

XXXXXXXX,. A Saga Sertaneja de Maria Carangueja. Não publicado, 2019. Disponível em:

<https://drive.google.com/file/d/1A2maW8FIUXIXgAOaHP1ucE8oR5jImwYF/view?usp=sharing>

CASCUDO, L. da C. Vaqueiros e Cantadores. São Paulo: Global Editora, 2005.

CASCUDO, L. da C. Literatura Oral no Brasil. 2 ed. São Paulo: Global Editora, 2006.

CASCUDO, L. da C. Dicionário do Folclore Brasileiro. 12 ed. São Paulo: Global Editora, 2012.

CAVIGNAC, J. Além da escrita: processos narrativos, cordel e transmissão oral no Nordeste. In: MEDEIROS, F.H.N.; MORAES, T.M.R. (org.).Contação de Histórias: Tradição, Poéticas e Interfaces. São Paulo: Edições Sesc São Paulo, 2015. pp.82-95

FIAMMENGHI, L. H. O violino violado: rabeca, hibridismo e desvio do método nas práticas interpretativas contemporâneas – Tradição e inovação em José Eduardo Gramani. Tese (Doutorado em Música) - Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008.

FILLAT, M. T. O violino na música popular brasileira: recursos técnico-interpretativos em Ricardo Herz e Nicolas Krassik. 2018. Dissertação (Mestrado em Música) – Escola de Comunicação e Arte, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018.

GALLINDO, L. S.; SILVA, M. M. Pedagogia Decolonial: Kanteatro: prática de uma educação antirracista. Revista Semana Pedagógica, Recife, v. 1, n. 1, pp. 1-26, 2019. Disponível em:

<https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistasemanapedagogica/article/view/243289/33698>. Acesso em: 06 jul. de 2021

KRASSIK, N. Curso de violino popular. São Paulo, 2017a, disponível em: <https://cursodeviolinopopularnicolaskr.club.hotmart.com>. Acesso em: 06 jul. de 2021.

KRASSIK, N. Entrevista concedida a Mathilde Tania Fillat. São Paulo, 22 nov. 2017b.

HERZ, R. Curso de violino popular brasileiro. São Paulo, 2017. Disponível em: <https://violinopopularbrasileiro.club.hotmart.com>. Acesso em: Acesso em: 06 jul. de 2021

LEHMANN, A.C.; SLOBODA, J.A.; WOODY, R.H. Psychology for Musicians: Understanding and Acquiring the Skills. Nova York: Oxford University Press, 2007

MARINHO, A.C.; PINHEIRO, H. O Cordel no Cotidiano Escolar. São Paulo: Cortez, 2012.

MARTINS, D.A.F.; NEDEL, M. Z. De Pé no Chão: Trabalhando o ritmo na música e na educação Física. In: V Colóquio de Pesquisa Qualitativa em Motricidade Humana: Motricidade, Educação e Experiência/II Congresso Internacional de Educação Física Esporte e Lazer/VI ShotoWorkshop, 2012, São Carlos. Anais. Disponível em: <http://www.ufscar.br/~defmh/spqmh/pdf/2012/martisnnedel2012.pdf >. Acesso em: 06 jul. de 2021

MCVEIGH, S. The violinists of the Baroque and Classical periods. In: STOWELL, R. (org.) The Cambridge Companion to the Violin. Cambridge: Cambridge University Press, 2006.

MERLEAU-PONTY, M. Fenomenologia da percepção. Trad. Carlos Alberto Ribeiro de Moura. São Paulo: Martins Fontes, 1994.

MONTEIRO, G. de A.; ARTAXO, I. Ritmo e movimento. São Paulo: Phorte, 2000.

MURRAY, J. Hamlet on the Holodeck. Nova York: Free Press, 2003.

NACHMANOVITCH, S. Ser Criativo: O poder da Improvisação na Vida e na Arte. Tradução: Eliane Rocha. 5 ed. São Paulo: Summus Editorial, 1993.

PINTO, T. de O. Som e música. Questões de uma Antropologia Sonora. Revista de Antropologia. vol. 44 n.1. São Paulo, 2001.

RAY, S. Pedagogia da Performance Musical. 2015. Tese (Pós-Doutorado em Música). Escola de Música e Artes Cênicas – Universidade Federal de Goiás. Goiânia, 2015.

RINK,J. Análise e (ou?) performance. Tradução: Zélia Chueke. Cognição & Artes Musicais / Cognition & Musical Arts, Curitiba, v. 2, n. 1, pp. 25-43. 2007. Disponível em: <https://bit.ly/30cbtCr>. Acesso em: 06 jul. de 2021

SCHROEDER, J. L. A Música na Dança: Reflexões de um Músico. Dissertação (Mestrado em Música) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2000.

VULNERABILIDADE SOCIAL: entenda o que caracteriza o conceito. In: INSTITUTO SERMAIS. Vulnerabilidade Social. 2017? [S.l.]. Disponível em: <https://sermais.org.br/vulnerabilidade-social>. Acesso em: 06 jul. de 2021

WALSH, C. Interculturalidade crítica e Pedagogia Decolonial: in-surgir, re-existir e re-viver; 2009 Disponível em: https://pt.scribd.com/document/132966867/WALSHCatherineinterculturalidade-critica-e-pedagogia-decolonial Acesso em: 15 Abril 2018.

WALSH, C. (Ed.). Pedagogías decoloniales: prácticas insurgentes de resistir, (re)existir y (re)vivir. Tomo I. Quito, Equador: Ediciones Abya-Yala, 2013.

WILLEMS, E. Las Bases Psicológicas de la Educacion Musical. Buenos Aires. Eudeba, 1969.

WITTGENSTEIN, L. Investigações Filosóficas. São Paulo: Nova Cultural,1999.

YATES, F. A. A Arte da Memória. Campinas: Editora da Unicamp, 2007.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Thiago Brisolla, Eliane Tokeshi

Downloads

Não há dados estatísticos.