"Cadê o Cigano?"

reflexões sobre gypsy jazz e ciganidades

Autores

  • Pedro Paes de Carvalho Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.20396/muspop.v7i00.14313

Palavras-chave:

gypsy jazz, jazz manouche, ciganidades, música cigana, gênero

Resumo

O artigo procura discutir sobre traços de ciganidades no gypsy jazz a partir de observações participativas em uma cena musical situada no Rio de Janeiro. Tomando estudos culturais sobre povos ciganos produzidos no Brasil e uma revisão crítica da bibliografia pertinente como estrutura de debate, apresentam-se os principais elementos constitutivos do gênero considerando a complexidade de seu processo de gênese enquanto discurso em permanente construção social. Buscando situar o gypsy jazz dentro do fenômeno de glocalização e comodificação de culturas ciganas, questionam-se as formas com que a indústria musical e agentes sociais moldam elos identitários contraditórios entre o gênero e ciganidades imaginadas, frequentemente perpetuando visões distorcidas e discriminatórias dos povos ciganos. Levantando possibilidades de desdobramento e aprofundamento na pesquisa do gênero, o artigo busca olhares mais atentos à pluralidade das culturas ciganas, procurando apontar caminhos para construção de uma abordagem interpretativa na qual o gypsy jazz é concebido como espaço de trânsitos, encontros e diálogos interculturais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Paes de Carvalho, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutorando pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Referências

AHO, Marko. Gypsy Jazz as a Medium for Virtuosic Gestures. Ethnomusicology review, vol. 18, 2014.

ANDRADE JÚNIOR, Lourival. Os Ciganos e os Processos de Exclusão. Revista Brasileira de História. São Paulo, vol. 33, n. 66, p. 95-112. dez. 2013.

ARAÚJO, Samuel; GUERREIRO, Antônio. O samba cigano: Um estudo histórico-etnográfico sobre as práticas de música e dança dos ciganos calom do Rio de Janeiro. Em Música Popular em América Latina: Actas del II Congresso Latinoamericano IASPM, Santiago, p. 233 - 239, 1999.

ATKINS, E. Taylor. Jazz Planet. University Press of Mississipi, 2003.

ATKINS, E. Taylor. Blue Nippon: Authenticating Jazz in Japan. Durham, NC and London: Duke University Press, 2001.

AUSTERLITZ, Paul. Jazz Consciousness: Music, Race, and Humanity. Middletown, CT: Wesleyan University Press, 2005.

BAUMAN, Zygmunt. On Glocalization Coming Age. Social Europe Journal, 2011.

BEBCO, Joe. Dave Kelbie on Gypsy Jazz, Lejazzetal, and More. The Syncopated Times, set. 2020. Disponível em: https://syncopatedtimes.com/dave-kelbie-on-gypsy-guitar-lejazzetal-and-more/. Acesso em: 15 set 2020.

BERISH, Andrew. Negotiating a “Blues Riff”: Listening for Django Reinhardt’s place in American Jazz. Jazz Perspectives, 3:3, p. 233-264, 2009.

BERNAT, Anikó; MESSING, Vera. Methodological and Data Infrastructure Report on Roma Population in the EU. Milestone 20.3, InGrid, 2016.

BRAGGS, Rashida K. Jazz Diasporas: Race, Music, and Migration in Post-War II Paris. Oakland, University of California Press, 2016.

BORGES, I. Cidades de Portas Fechadas: A Intolerância contra os Ciganos na Primeira República. 2007. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Juiz de Fora, PPGH/UFJF, 2007.

CADUFF, Corina. Artistic Research - Methods - Development of a Discourse - Current Risks. Kirsten Merete Langkilde, ed. Poetry of the Real. Basel: FHNW, p. 311-323, 2017.

CARVALHO, Pedro P. Diversidades em diálogo: Investigando Relações entre Identidades e Práticas Interpretativas em uma Jam Session de Gypsy Jazz no Rio de Janeiro. Anais do IX ENABET/XII EEMU, Universidade de Campinas, 2019.

CERTEAU, Michel de. A escrita da história. tradução de Maria de Lourdes Menezes; revisão técnica de Arno Vogel. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1982.

CHANG, Denis. Sinti culture, language and the origin of the name “Django”. Denis Chang, 9 ago. 2015. Disponível em: https://denischang.com/index.php/2015/08/09/sinti-culture-language-and-the-origin-of-the-name-django/. Acesso em: 20 dez. 2020.

CHERRETT, Ted. The Genius that was Django. Publicado pelo autor, Surrey, 1997.

COELHO, A. Os ciganos de Portugal. 2. ed. Lisboa: Dom Quixote, 1995.

CORTI, Berenice. Lo Afro en el Jazz Argentino. Identidades y alteridades en la musica popular. 2011. Tesis (Maestria en Comunicación y Cultura) – Universidad de Buenos Aires, Buenos Aires, 2011.

COURTHIADE, Marcel. Knowledge based on sources and historical data versus knowledge based on clichés and legends on the Indian stage of Rromani History. Comunicação durante a sessão científica da ICCR em Nova Delhi, 2016.

CUPERTINO, Phillipe Salloum e Silva; FIGUEIRA, Luiz Eduardo de Vasconcelos. Direitos, Identidade e Povos Ciganos: Um estudo sobre as fronteiras dos processos de normatização da ciganidade no Brasil. Revista Direitos Culturais, Santo Ângelo, v. 15, n. 35. p. 159-200. 2020.

DELANNOY, Luc. Caliente! Una historia del jazz latino. México, FCE, 2001.

DREGNI, Michael. Django: The Life and Music of a Gypsy Legend. Nova York, Oxford University Press, 2004.

DREGNI, Michael. In Search of Django and the soul of Gypsy Swing. Nova York, Oxford University Press, 2008.

FERRARI, Florencia. O Mundo Passa: uma etnografia dos Calon e suas relações com os brasileiros. 2010. Tese (Doutorado em Antropologia Social) - Universidade de São Paulo, 2010.

FLÉCHET, Anaïs. Jazz in Brazil: An Early History (1920s-1950s). Jazz Research Journal, vol.10, n.1-2, 2016.

FONSECA, Isabel. Enterre-me em pé: os ciganos e a sua jornada. Tradução de José Rubens Siqueira. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

GAFFET, Hernan. La vida com Swing. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=cXn6GR_g0tg&t=2244s (Acesso em 04/2018)

GIVAN, Benjamin. Django Reinhardt’s Style and Improvisational Process. Yale University, 2003.

GIVAN, Benjamin. “Django’s Tiger”: From Jazz to Jazz Manouche. Current Musicology, vol 98. Columbia University, Nova Iorque, 2014.

GOLDFARB, Patrícia. O Tempo de Atrás: um estudo da construção da identidade cigana em Sousa-PB. 2004. Tese (Doutorado em Sociologia) – Universidade Federal da Paraíba PPGS/UFPB, 2004.

GUIMARAIS, Marcos Toyansk Silva. O associativismo transnacional cigano: Identidades, diásporas e territórios. 2012. Tese (Doutorado em Geografia) - Universidade de São Paulo, 2012.

HOLBORN, Matthew; COULLON, Jeremie. Gypsy Jazz Memes, 2019. Disponível em: https://www.londondjangocollective.com/gypsyjazzmemes. Acesso em 15 set. 2020.

IACONA, Guillermo y José. Tributo a Oscar Alemán. Disponível em: https://www.facebook.com/TributoAOscarAleman. Acesso em: jun. 2018.

IMPETT, Jonathan. The Contemporary Musician and the Production of Knowledge: Practice, Research and Resposibility. In: Artistic Research in Music Discipline and Resistance, p. 221-240. Leuven University Press, 2017.

JALARD, Michel-Claude. Django et l’école tsigane du jazz. Les cahiers du jazz, nº1, p. 54-73, 1959.

JOHNSON, Bruce. Jazz Diaspora - Music and Globalization, Transnational studies in Jazz - ed. Bruce Johnson. Nova York, Routledge, 2019.

KOERT, Hans. Reinhardt vs. Alemán. Oscar Alemán Blogspot, 2013. Disponível em: http://oscar-aleman.blogspot.com/2013/11/reinhardt-vs-aleman.html. Acesso em: 15 set. 2020.

LIE, Siv. Genre, Ethnoracial Alterity, and the Genesis of Jazz Monouche. Journal of the American Musicological Society, vol. 72, n.3, p. 665-718, 2019.

LILJA, Efva. Art, Research, Empowerment. On the Artist as Researcher. Elanders, AB. Stockholm, 2015.

LOCATELLI, M. O ocaso de uma cultura: análise antropológica dos ciganos. Santa Rosa, Barcelos Editora, 1981.

LOPES, Nei. A desafricanização do samba segundo Nei Lopes. Blog Meu Lote, set. 2013. Disponível em: http://neilopes.com.br/2013/09/05/desafricanizacao-samba-segundo-nei-lopes/. Acesso em 15 set. 2020.

LOURENÇO, Nelson. Globalização e glocalização. O difícil diálogo entre o global e o local. Mulemba 4 (8), 2014.

MCKAY, George. Circular Breathing: The Cultural Politics of Jazz in Britain. Durham, NC and London, Duke University Press, 2005.

MELLO, Marco Antônio da Silva et al. Os Ciganos do Catumbi: de “andadores do Rei” e comerciantes de escravos a oficiais de justiça na cidade do Rio de Janeiro. Cidades: Comunidades e Territórios. n. 18, p. 79-92. 2009.

MELLO, Marco Antônio da Silva; VEIGA, Felipe Berocan. O “Dia Nacional do Cigano” no Brasil: espaços simbólicos, estereótipos e conflitos em torno de um novo rito do calendário oficial. In: GOLDFARB, M. P. L.; TOYANSK, M.; CHIANCA, L. de O. (Eds.). Ciganos: Olhares e Perspectivas. Universidade Federal da Paraíba, Editora UFPB, 2019, p. 150-192.

MENANTEAU, Álvaro. Jazz en América Latina: entre la modernidad y la identidad. X-IASPM-AL, 2012.

MIRANDA, Francielle Felipe Faria de. As representações dos ciganos no cinema documentário brasileiro. 2010. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidade Federal de Goiás, 2010.

NASCIMENTO, Caroline Leal Dantas do. Posicionando os ciganos nas pesquisas antropológicas: Desmistificando o campo. Ariús: Revista de Ciências Humanas e Artes, v.19, n.1. Campina Grande, 2013.

NICHOLSON, Stuart. Jazz and Culture in a Global Age. Univerity Press of New England, 2014.

PIERONI, G. Vadios e Ciganos, Heréticos e Bruxas: Os degredados no Brasil Colônia. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil; Fundação Biblioteca Nacional, 2000.

PINHEIRO, Ricardo. Aprender fora das horas: A jam session em Manhattan enquanto contexto para a aprendizagem do jazz. Acta Musicologica, vol.83, p. 113-134, 2011.

PEICHEVA, Lozanka; DIMOV, Ventsislav. The Gypsy Music and Gyspy Musicians’ Market in Bulgaria. In: Segmentation und Komplementarität. Organisatorische, ökonomische, und kulturelle Aspekte der Interaktion von Nomaden und Sesshaften. Beitrage der Kolloquia am 25.10.2002 und 27.03.2003. Halle, 2004.

PUJOL, Sergio. Las grabaciones europeas de Oscar Alemán. Acreditacion cultural de un músico argentino de Jazz. X-IASPM-AL 2012.

RADLAUER, Dave. The Maestro and the Gypsy: André Ekyan and Django Reinhardt, 1932-1950. The Syncopated Times, dez. 2019. Disponível em: https://syncopatedtimes.com/the-maestro-and-the-gypsy-andre-ekyan-and-django-reinhardt-1932-0/?lp_txn_id=25587. Acesso em: 15 set. 2020.

RADULESCU, Speranta. Gypsy Music versus the Music of Others. Martor 1: 134-145, 2016.

REZENDE, Dimitri Fazito de Almeida. Transnacionalismo e etnicidade: a construção simbólica do romanesthàn (nação cigana). 2000. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Universidade Federal de Minas Gerais, 2000.

RUBY, Greg. Campanha de financiamento coletivo do livro The Oscar Alemán Play-Along Book. Kickstarter, 2019. Disponível em: https://www.kickstarter.com/projects/gregrubymusic/the-oscar-aleman-play-along-book?ref=thanks_share. Acesso em: 15 set. 2020.

SAITO, Ioshiomi. The Global Politics of Jazz in the Twentieth Century: Cultural Diplomacy “American Music”. Routledge, Nova York, 2020.

SHIMURA, Igor. Um ensaio sobre a Ciganidade. Blog Estudos Ciganos, 2020. Disponível em: https://grupoestudosciganos.blogspot.com/2019/03/ciganidade-o-termo-ciganidade-temsido.html. Acesso em: 08 abr. 2020.

SILVA, Valeria Sanchez. Devir cigano - o encontro cigano-não cigano (rom-gadjé) como elemento facilitador do processo de individualização. 2006. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2006.

SILVERMAN, Carol. Global Balkan Gypsy Music: Issues of Migration, Appropriation, and Representation. In: The Globalization of Musics in Transit: Music Migration and Tourism, Nova Iorque, p. 185-208, 2014.

SOUZA, Mirian Alves de. Projeto Identitário e Movimento Cigano no Brasil. Ariús: Revista de Ciências Humanas e Artes, v.19, n.1. Campina Grande, 2013.

STANIEK, Jason. Transmissions of an inter-culture - Pan-African Jazz and Intercultural Improvisation. In: FISCHLIN, Daniel; HEBLE, Ajay (eds.). The other side of nowhere: jazz, improvisation, and communities in dialogue. Middletown, CT: Wesleyan University Press, 2004, p. 87-130.

SPAUTZ, Roger. Django Reinhardt Mythe et Realité. Luxembourg: RTL Edition, 1983.

TEIXEIRA, R. Correrias de Ciganos pelo Território Mineiro (1808-1903). Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Minas Gerais, 1998.

VILA, Pablo. Identidades narrativas y música. Una primera propuesta para entender sus relaciones. Revista Transcultural de Música - Trans 2, 1996.

Downloads

Publicado

2020-12-27

Como Citar

CARVALHO, P. P. de. "Cadê o Cigano?": reflexões sobre gypsy jazz e ciganidades. Música Popular em Revista, Campinas, SP, v. 7, n. 00, p. e020016, 2020. DOI: 10.20396/muspop.v7i00.14313. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/14313. Acesso em: 4 mar. 2021.

Edição

Seção

Artigos temáticos