Elementos da improvisação na performance de Marcus Tardelli

Autores

  • Roberta Mourim Cabral Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.20396/muspop.v7i00.14265

Palavras-chave:

Marcus Tardelli, Violão, Elementos da improvisação

Resumo

Este artigo tem como objetivo identificar aspectos relativos à improvisação musical na performance do violonista Marcus Tardelli utilizando como base as ideias de Marcel Cobussen, autor que buscou ampliar o alcance do conceito de improvisação musical ao afirmar que qualquer performance musical apresenta algum grau de improviso. Partindo da observação da prática musical do violonista e de reflexões que surgiram de entrevistas concedidas por ele, identifico elementos da improvisação em suas escolhas interpretativas, nas digitações e na escolha dos repertórios dos concertos. Discorro também sobre as práticas de estudo de rotina relatadas por Tardelli no campo da improvisação, para relacioná-las com habilidades técnicas e musicais presentes na sua performance. Destaco que esta observação só foi viável por eu ser aluna particular dele, o que vem me possibilitando acompanhar um pouco da prática do artista de forma mais próxima.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberta Mourim Cabral, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Doutoranda em Música pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

Referências

ALPERSON, Philip. On Musical Improvisation. The Journal of Aesthetics and Art Criticism, v. 42, n. 1, Autumn, p. 17 -29. Disponível em < http://www.jstor.org/stable/430189> em 23 de julho de 2008.
BAILEY, Derek. Improvisation, is nature and pratice in musica. Da Capo Press, Ashbourne, Englad, 1993.
BURKE, Peter. A Escrita e história: novas perspectivas. São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista, 1992.
CERTEAU, Michel de. A Escrita da História. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1982. COBUSSEN, Marcel. The Field of Musical Improvisation. Leiden University Press, 2017.

COBUSSEN, Marcel; COSTA, Rogério. Dialogue on Improvisation, Composition as Performance: on singularity, complexity and context. Revista Música, 15 (1), 149-164. Disponível em <https://doi.org/10.11606/rm.v15i1.114707> em 6 de julho de 2019.
COSTA, Rogério. O músico enquanto meio e os territórios da livre improvisação. Tese (Doutorado em Comunicação e Semiótica) — PUC, São Paulo, 2003.
FALLEIROS, Manuel. Palavras sem discurso: estratégias criativas na livre improvisação. Tese (Doutorado em Música) — USP, São Paulo, 2012.
GINZBURG, Carlo. Sinais: raízes de um paradigma indiciário. In: Mitos, emblemas, sinais: Morfologia e História. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.
MENEZES, José Manuel. Creative Process in Free Improvisation. Master (Psychology for Musicians) — University of Sheffield, 2010.
TARDELLI, Marcus.depoimento [jan. 2013] Canal: Violão Ibérico (YouTube). Disponível em <https://www.youtube.com/watch?v=_vSAbUSf-W8> em 6 de julho de 2019.
_________________. depoimento [jun. 2019]. Entrevistador: XXXXXXXXXXXX. Rio de Janeiro: 2019. Arquivo sonoro digital.

Downloads

Publicado

2020-12-29

Como Citar

CABRAL, R. M. Elementos da improvisação na performance de Marcus Tardelli. Música Popular em Revista, Campinas, SP, v. 7, n. 00, p. e020012, 2020. DOI: 10.20396/muspop.v7i00.14265. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/14265. Acesso em: 4 mar. 2021.

Edição

Seção

Artigos temáticos