Escuta imaginária

Nenê e a perspectiva assintomática de aplicação dos ritmos brasileiros para bateria na música instrumental brasileira improvisada

Autores

  • Guilherme Marques Faculdade Cantareira
  • Fernando Hashimoto Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/muspop.v7i00.13790

Palavras-chave:

Ritmos brasileiros, Bateria, Percussão, Nenê, Improvisação musical

Resumo

O presente artigo discute o processo de adaptação dos ritmos brasileiros para a bateria. O texto parte de um panorama histórico da inserção e acomodação do instrumento no Brasil, debatendo seu uso e as diferentes aplicações dos ritmos locais, em especial o samba, a contextos distintos de música instrumental – o foxtrote, as orquestras dos anos 1930 e 40, as gafieiras, o sambajazz e a música instrumental improvisada pós-1970. Apoiado na recente produção acadêmica na área de bateria, além de autores consagrados na musicologia como Piedade (2003), Mello (2007), Trotta (2008), Severiano (2008) e Cook (1998, 2013), o artigo tem como objetivo construir uma ferramenta auxiliar de análise na área em que se insere, nomeadamente os estudos sobre bateria e ritmos brasileiros. Desse modo o texto que segue apresenta o paradigma dominante nas análises sobre o emprego dos ritmos brasileiros na bateria, presente na maioria dos estudos dedicados ao tema, para, num segundo estágio, apresentar uma proposta auxiliar que é construída com base em reflexões, estudos e análises apoiados na prática musical do baterista e compositor Nenê.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Marques, Faculdade Cantareira

Doutor em Música pela Universidade Estadual de Campinas. Professor da Faculdade Cantareira, em São Paulo.

Fernando Hashimoto, Universidade Estadual de Campinas

Doutor em DMA - Performance Percussion pela City University of New York, CUNY, Estados Unidos. Professor da Universidade Estadual de Campinas.

Referências

ANDRADE, Dhieego. Forças D’Alma: um estudo sobre a “abordagem melodicamente orientada” de Tutty Moreno. 2018. Dissertação (Mestrado em Música) – IA-UNICAMP, Campinas, 2018.

BARSALINI, Leandro. As sínteses de Edison Machado: um estudo sobre o desenvolvimento de padrões de samba na bateria. 2009. Dissertação (Mestrado em Música) – IA-UNICAMP, Campinas, 2009.

BARSALINI, Leandro. Modos de execução da bateria no samba. 2014. Tese (Doutorado em Música) – IA-UNICAMP, Campinas, 2014.

BARSALINI, Leandro. Sobre baterias e tamborins: as jazz bands e a batucada de samba. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, n. 70, p. 59-77, ago. 2018.

BERGAMINI, Fabio. Marcio Bahia e a “Escola do Jabour”. 2014. Dissertação (Mestrado em Música) – IA-UNICAMP, Campinas, 2014.

BRITO, Brasil Rocha. Bossa Nova. In: CAMPOS, A. Balanço da bossa e outras bossas. São Paulo: Editora Perspectiva, 1968.

CASACIO, Lucas. Helcio Milito: levantamento histórico e estudo interpretativo. 2012. Dissertação (Mestrado em Música) – IA-UNICAMP, Campinas, 2012.

CASACIO, Lucas. A bateria no Concerto Carioca n°2 de Radamés Gnattali: um estudo interpretativo. 2017. Tese (Doutorado em Música) – IA-UNICAMP, Campinas, 2017.

CIRINO, Giovanni. Narrativas musicais: performance e experiência na música popular instrumental brasileira. 2005. Dissertação (Mestrado em Antropologia) – FFLCH, USP, São Paulo, 2005.

COOK, Nicholas. Music: a very short introduction. Oxford: Oxford University Press, 1998.

COOK, Nicholas. Beyond the score: music as performance. Oxford: Oxford University Press, 2013.

DAMASCENO, Alexandre. A batucada fantástica de Luciano Perrone: sua performance musical no contexto dos arranjos de Radamés Gnattali. 2016. Dissertação (Mestrado em Música) – IA-UNICAMP, Campinas, 2016.

DIAFERIA, José (Jucata). Método de bateria para samba. Rio de Janeiro Ed. Mangione, [s.d.].

DIAFERIA, José (Jucata). Samba e outros ritmos do Brasil. São Paulo: Fermata do Brasil, 1980.

DIAS, Guilherme Marques. Airto Moreira: do sambajazz à música dos anos 70 (1964-1975). 2013. Dissertação (Mestrado em Música) – IA-UNICAMP, Campinas, 2013.

EZEQUIEL, Carlos. Aplicando poliritmia e métricas ímpares aos ritmos brasileiros: estudos sobre samba e baião. 2014. (Mestrado Profissional) – ESCOLA DE MÚSICA – UFBA, Salvador, 2014.

FAVERY, Gilberto Alves. O idiomatismo musical de Dom Um Romão: um dos alicerces da linguagem do sambajazz na bateria. 2018. Dissertação (Mestrado em Música) – IA-UNICAMP, Campinas, 2018.

GALVÃO, Christiano. Adaptação, interpretação e desenvolvimento do baião na bateria no âmbito da música instrumental brasileira: reflexões sobre processos de aprendizagem. 2015. Dissertação (Mestrado em Música) – Centro de Letras e Artes – UNIRIO, 2015.

GARANHÃO, Carlos. A bateria de Cleber Almeida: adaptação de gêneros musicais nordestinos para o contexto da música do Trio Curupira. 2019. Dissertação (Mestrado em Música) – IA-UNICAMP, Campinas, 2019.

GOMES, Sergio. Novos caminhos da bateria brasileira. São Paulo: Irmãos Vitale, 2008.

MARQUES, Guilherme. Estilo e identidade musical: um estudo a partir da performance sui generis do baterista Nenê. 2020. Tese (Doutorado em Música) – IA-UNICAMP, Campinas, 2020.

MARQUES, Guilherme. Estudo sobre a adaptação de ritmos nordestinos à bateria na performance de Airto Moreira. Revista Debates, Rio de Janeiro, UNIRIO, n. 21, p. 80-106, nov. 2018.

MELLO, José E.H. Música nas veias. Memórias e ensaios. São Paulo: Editora 34, 2007.

PELLON, Oscar Luiz Werneck (Bolão). Batuque é um privilégio. Rio de Janeiro: Ed. Lumiar, 2003.

PIEDADE, Acacio Tadeu de C. Brazilian Jazz and Friction of Musicalities. In: ATKINS, E. Taylor (ed.). Jazz Planet, Jackson: University Press of Mississippi, p. 41-58, 2003.

PIMENTEL, Lucas. Brazilian rhythms on the drum set: the stylizations of baiao, frevo and maracatu by drummers Airto Moreira, Nene and Marcio Bahia. University of Louisville, 2019.

ROCCA, Edgar. Ritmos brasileiros e seus instrumentos de percussão. Europa, 1986.

SILVA. Raphael Ferreira da. O contexto de improvisação em música popular instrumental sob uma perspectiva sistêmica. Opus Revista da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Música, v. 23, n. 2, p. 9-29, ago. 2017.

TROTTA, Felipe C. Gêneros musicais e sonoridade: construindo uma ferramenta de análise. Ícone (on line) v. 10, p.1-12, 2008.

SANDRONI, Carlos. Feitiço decente: as transformações do samba no Rio de Janeiro (1917-1933). Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

SANITÁ, Luiz Guilherme. A trajetória musical do baterista Wilson das Neves. 2018. Dissertação (Mestrado em Música) – IA-UNICAMP, Campinas, 2018.

SANTOS, Eder Rocha dos. Zabumba moderno. Vol. 1 Nordeste. Funcultura Pernambuco, 2005.

SARAIVA, Joana M. A invenção do sambajazz: discursos sobre a cena musical de Copacabana no final dos anos 1950 e início dos anos 1960. 2007. Dissertação (Mestrado em História) - PUC RJ, Rio de Janeiro, 2007.

SEVERIANO, Jairo. Uma história da música popular brasileira: das origens à modernidade. São Paulo: Ed. 34, 2008.

VIANNA, Hermano. O mistério do samba. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1995.

WEINBERG, Norman. Guidelines for drumset notation. Percussive Notes (PAS), p. 15-26, Jun. 1994.

Downloads

Publicado

2020-12-23

Como Citar

MARQUES, G.; HASHIMOTO, F. . Escuta imaginária: Nenê e a perspectiva assintomática de aplicação dos ritmos brasileiros para bateria na música instrumental brasileira improvisada. Música Popular em Revista, Campinas, SP, v. 7, n. 00, p. e020006, 2020. DOI: 10.20396/muspop.v7i00.13790. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/13790. Acesso em: 6 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos temáticos