Memória social e discurso regionalista na canção "Belém-Pará-Brasil"

Autores

  • Nélio Ribeiro Moreira Universidade Federal do Pará

DOI:

https://doi.org/10.20396/muspop.v6i2.13163

Palavras-chave:

Belém-Pará-Brasil, Identidade regional, Memória social

Resumo

Este trabalho é uma análise da gravação original da canção “Belém-Pará-Brasil”, do grupo paraense de rock Mosaico de Ravena. O objetivo é tomar a música como um conjunto letra-sonoridade que, em seu constructo estético-político, propugna pressupostos identitários que, todavia, se encontram historicamente localizados - o final da década de 1980 -, mas que se projetaram para além desse contexto de sua criação e preliminar circulação, sendo acionado como potência discursiva em outros, diversos e distintos, momentos e espaços sociais. Devido a essa sua característica discursiva, a canção se tornou um objeto de significação cultural destacado no campo da música popular da cidade, chegando mesmo a ser elevada à condição de um “hino”. Por isso, é incontornável traçar uma relação entre as ações entoativas da sua economia sonoro-literal e uma memória social que se projeta a partir de então.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nélio Ribeiro Moreira, Universidade Federal do Pará

Doutorado em andamento em Antropologia Social Pela Universidade Federal do Pará. Professor Substituto no Instituto de Ciências da Arte da Universidade Federal do Pará.

Referências

ANDERSON, Benedict. Comunidades Imaginadas. São Paulo. Cia das Letras, 2008.

BAKHTIN, Mikhail. Problemas da poética de Dostoiévski. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1997. BURKE, Peter. História e Teoria Social. São Paulo: Editora UNESP, 2002.

CANCLINI, Nestor Garcia. Consumidores e cidadãos: conflitos multiculturais da globalização. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1999.

CARVALHO, José Murilo. “O Brasil de Noel a Gabriel”. IN: CAVALCANTE, Berenice; CASTRO, Fábio Fonseca de. Entre o Mito e a Fronteira. Belém: Labor Editorial, 2011.

______; AMADOR, Elielton Alves. “Identidade, territorialidade e fantasmaticidade no rock de Belém”. contemporanea | comunicação e cultura - v.13 – n.02 – maio-ago 2015 – p. 417-433.

CONTIER, Arnaldo Daraya. “Música no Brasil: História e Interdisciplinariedade Algumas Interpretações (1926-1980)”. IN: História em Debate. Atas do XVI Simpósio Nacional de História, ANPUH/CNPQ, Rio de Janeiro, 1991. (pp. 151-189).

COSTA, Tony Leão. “Música, literatura e identidade amazônica no século XX: o caso do carimbó”. ArtCultura, Uberlândia, v. 12, n. 20, p. 61-81, jan.-jun. 2010.

FUNARI, Pedro Paulo; NOELLI, Francisco Silva. Pré-História do Brasil. São Paulo: Contexto, 2006.

GONÇALVES, Carlos Walter Porto. Amazônia, Amazônias. São Paulo: Contexto, 2005.

HABERMAS, Jürgen. A mudança estrutural da esfera pública: investigações quanto a uma categoria de sociedade burguesa. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2003.

GUIMARÃES, Alan Kardek. Belém aos 80: cultura e resistência. Belém: 2009. 1 DVD. Dur. 88 min.

JANOTTI JR., Jeder. “Música popular massiva e gêneros musicais: produção e consumo da canção na mídia”. IN: Comunicação, Mídia e Consumo. Escola Superior de Propaganda e Marketing São Paulo. Vol. 3. Nº 7. Pp. 31-47. Jul. 2006.

LIMA, Deborah de Magalhães. “A construção histórica do termo caboclo: sobre estruturas e representações sociais no meio amazônico”. IN: Novos Cadernos NAEA vol. 2, nº 2 - dezembro 1999. DOI: https://doi.org/10.5801/ncn.v2i2.107

MACHADO, Ismael. Decibéis sob mangueiras. Belém no cenário do rock Brasil dos anos 80. Belém: Editora Grafinorte, 2004.

MAGNANI, José Guilherme Cantor. “Quando o campo é a cidade: fazendo antropologia na metrópole” IN: MAGNANI, Jose Guilherme C.; TORRES, L.L. Na metrópole: textos de antropologia urbana. São Paulo: EDUSP/FAPESP, 1996.

MOREIRA, Nélio Ribeiro. A música e a cidade: práticas sociais e culturais na cena da canção popular em Belém do Pará na década de 1980. (Dissertação de Mestrado) Universidade Federal do Pará. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós Graduação em Sociologia e Antropologia, Belém, 2014.

______. “Identidade amazônica e música regionalista na primeira metade do século XX: Waldemar Henrique e a perspectiva primitivista do Modernismo Brasileiro.” Revista Estudos Amazônicos. Vol. VI, nº 2 (2011), pp. 139-165.

MONTEIRO, Keila Michelle Silva. “O rock na Amazônia: peculiaridades desse gênero na história da música urbana em Belém do Pará”. I Congresso Internacional de Estudos do Rock. UNIOESTE, Cascavel, Paraná. Setembro de 2013.

NAPOLITANO, Marcos. História e Música: História cultural da música popular. São Paulo: Autêntica, 2002.

NORA, Pierre. “Entre memória e história: a problemática dos lugares”. Projeto História. São Paulo: PUC-SP, N° 10, 1993.

PETIT, Pere. Chão de Promessas: elites politicas e transformações econômicas no estado do Pará pós-1964. Belém:Paka-Tatu, 2003.

RICCI, Magda. “O fim do Grão-Pará e o nascimento do Brasil: Movimentos sociais, levante e deserções no alvorecer do novo Império (1808-1840)”. IN: GOMES, Flávio dos Santos; Mary Del Priori (Orgs). Os Senhores dos Rios: Amazônia, margens e história. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003. (pp. 165-193).

SAHLINS, Marshall. Ilhas de história. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1990.

SAMPAIO, Patrícia. “Administração Colonial e Legislação Indigenista na Amazônia Portuguesa” IN: GOMES, Flávio dos Santos; DEL PRIORI, Mary (Orgs). Os Senhores dos Rios: Amazônia, margens e história. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003. (pp. 165-193).

SANTOS, Milton. “Sociedade e espaço: a formação social como teoria e como método”. IN: Espaço e sociedade: ensaios. Petrópolis: Vozes, 1982. (pp. pp.9-27).

SARGES, Maria de Nazaré. Belém: Riquezas produzindo a Belle-Époque (1870-1912). Belém: Paka-Tatu, 2010.

SECRETO, Maria Verônica. “Conquistar a terra, dominar a água, sujeitar a floresta: a fronteira amazônica no Governo Vagas”. IN: ALONSO, José Luis Ruiz-Peinado; CHAMBOULEYRON, Rafael. T(r)ópicos de História: gente, espaço e tempo na Amazônia (séculos XVII a XXI). Belém: Editora Açaí/PPHIST(UFPA)/Centro de Memória(UFPA), 2010.

SILVA, Edilson Mateus Costa da. Ruy, Paulo e Fafá: identidade amazônica na canção paraense. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Pará, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em História Social da Amazônia, Belém, 2010.

STARLING, Heloisa Maria Murgel; EISENBERG, José. Decantando a República: inventário histórico e político da canção popular moderna brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2004. (pp. 23-44). (Vol.2 – Retrato em branco e preto da nação brasileira).

TATIT, Luiz. “Elementos para análise da canção popular”. IN: Cadernos de Semiótica Aplicada. Vol. 1, nº 2, dezembro de 2003. DOI: https://doi.org/10.21709/casa.v1i2.623

______. Elos de Melodia e Letra: análise semiótica de seis canções. Cotia, SP: 2008.

______. “O “cálculo” subjetivo dos cancionistas”. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, Brasil, n. 59, p. 369-386, dez. 2014. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v0i59p369-386

VILLAÇA, Mariana. “Propostas metodológicas para a abordagem da canção popular como documento histórico”. Anais do II Simpósio Latino-Americano de Musicologia. Fundação Cultural de Curitiba, 1999.

WISNIK, José Miguel. “A gaia ciência: literatura e música popular no Brasil”. IN: MATOS, Cláudia Neiva (Org.). Ao encontro da palavra cantada. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2001. (pp. 183-199).

Downloads

Publicado

2019-12-28

Como Citar

MOREIRA, N. R. Memória social e discurso regionalista na canção "Belém-Pará-Brasil". Música Popular em Revista, Campinas, SP, v. 6, n. 2, p. 95–116, 2019. DOI: 10.20396/muspop.v6i2.13163. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/13163. Acesso em: 5 dez. 2022.