Banner Portal
Memória social e discurso regionalista na canção "Belém-Pará-Brasil"
PDF

Palavras-chave

Belém-Pará-Brasil
Identidade regional
Memória social

Como Citar

MOREIRA, Nélio Ribeiro. Memória social e discurso regionalista na canção "Belém-Pará-Brasil". Música Popular em Revista, Campinas, SP, v. 6, n. 2, p. 95–116, 2019. DOI: 10.20396/muspop.v6i2.13163. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/13163. Acesso em: 23 abr. 2024.

Resumo

Este trabalho é uma análise da gravação original da canção “Belém-Pará-Brasil”, do grupo paraense de rock Mosaico de Ravena. O objetivo é tomar a música como um conjunto letra-sonoridade que, em seu constructo estético-político, propugna pressupostos identitários que, todavia, se encontram historicamente localizados - o final da década de 1980 -, mas que se projetaram para além desse contexto de sua criação e preliminar circulação, sendo acionado como potência discursiva em outros, diversos e distintos, momentos e espaços sociais. Devido a essa sua característica discursiva, a canção se tornou um objeto de significação cultural destacado no campo da música popular da cidade, chegando mesmo a ser elevada à condição de um “hino”. Por isso, é incontornável traçar uma relação entre as ações entoativas da sua economia sonoro-literal e uma memória social que se projeta a partir de então.

https://doi.org/10.20396/muspop.v6i2.13163
PDF

Referências

ANDERSON, Benedict. Comunidades Imaginadas. São Paulo. Cia das Letras, 2008.

BAKHTIN, Mikhail. Problemas da poética de Dostoiévski. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1997. BURKE, Peter. História e Teoria Social. São Paulo: Editora UNESP, 2002.

CANCLINI, Nestor Garcia. Consumidores e cidadãos: conflitos multiculturais da globalização. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1999.

CARVALHO, José Murilo. “O Brasil de Noel a Gabriel”. IN: CAVALCANTE, Berenice; CASTRO, Fábio Fonseca de. Entre o Mito e a Fronteira. Belém: Labor Editorial, 2011.

______; AMADOR, Elielton Alves. “Identidade, territorialidade e fantasmaticidade no rock de Belém”. contemporanea | comunicação e cultura - v.13 – n.02 – maio-ago 2015 – p. 417-433.

CONTIER, Arnaldo Daraya. “Música no Brasil: História e Interdisciplinariedade Algumas Interpretações (1926-1980)”. IN: História em Debate. Atas do XVI Simpósio Nacional de História, ANPUH/CNPQ, Rio de Janeiro, 1991. (pp. 151-189).

COSTA, Tony Leão. “Música, literatura e identidade amazônica no século XX: o caso do carimbó”. ArtCultura, Uberlândia, v. 12, n. 20, p. 61-81, jan.-jun. 2010.

FUNARI, Pedro Paulo; NOELLI, Francisco Silva. Pré-História do Brasil. São Paulo: Contexto, 2006.

GONÇALVES, Carlos Walter Porto. Amazônia, Amazônias. São Paulo: Contexto, 2005.

HABERMAS, Jürgen. A mudança estrutural da esfera pública: investigações quanto a uma categoria de sociedade burguesa. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2003.

GUIMARÃES, Alan Kardek. Belém aos 80: cultura e resistência. Belém: 2009. 1 DVD. Dur. 88 min.

JANOTTI JR., Jeder. “Música popular massiva e gêneros musicais: produção e consumo da canção na mídia”. IN: Comunicação, Mídia e Consumo. Escola Superior de Propaganda e Marketing São Paulo. Vol. 3. Nº 7. Pp. 31-47. Jul. 2006.

LIMA, Deborah de Magalhães. “A construção histórica do termo caboclo: sobre estruturas e representações sociais no meio amazônico”. IN: Novos Cadernos NAEA vol. 2, nº 2 - dezembro 1999.

MACHADO, Ismael. Decibéis sob mangueiras. Belém no cenário do rock Brasil dos anos 80. Belém: Editora Grafinorte, 2004.

MAGNANI, José Guilherme Cantor. “Quando o campo é a cidade: fazendo antropologia na metrópole” IN: MAGNANI, Jose Guilherme C.; TORRES, L.L. Na metrópole: textos de antropologia urbana. São Paulo: EDUSP/FAPESP, 1996.

MOREIRA, Nélio Ribeiro. A música e a cidade: práticas sociais e culturais na cena da canção popular em Belém do Pará na década de 1980. (Dissertação de Mestrado) Universidade Federal do Pará. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós Graduação em Sociologia e Antropologia, Belém, 2014.

______. “Identidade amazônica e música regionalista na primeira metade do século XX: Waldemar Henrique e a perspectiva primitivista do Modernismo Brasileiro.” Revista Estudos Amazônicos. Vol. VI, nº 2 (2011), pp. 139-165.

MONTEIRO, Keila Michelle Silva. “O rock na Amazônia: peculiaridades desse gênero na história da música urbana em Belém do Pará”. I Congresso Internacional de Estudos do Rock. UNIOESTE, Cascavel, Paraná. Setembro de 2013.

NAPOLITANO, Marcos. História e Música: História cultural da música popular. São Paulo: Autêntica, 2002.

NORA, Pierre. “Entre memória e história: a problemática dos lugares”. Projeto História. São Paulo: PUC-SP, N° 10, 1993.

PETIT, Pere. Chão de Promessas: elites politicas e transformações econômicas no estado do Pará pós-1964. Belém:Paka-Tatu, 2003.

RICCI, Magda. “O fim do Grão-Pará e o nascimento do Brasil: Movimentos sociais, levante e deserções no alvorecer do novo Império (1808-1840)”. IN: GOMES, Flávio dos Santos; Mary Del Priori (Orgs). Os Senhores dos Rios: Amazônia, margens e história. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003. (pp. 165-193).

SAHLINS, Marshall. Ilhas de história. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1990.

SAMPAIO, Patrícia. “Administração Colonial e Legislação Indigenista na Amazônia Portuguesa” IN: GOMES, Flávio dos Santos; DEL PRIORI, Mary (Orgs). Os Senhores dos Rios: Amazônia, margens e história. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003. (pp. 165-193).

SANTOS, Milton. “Sociedade e espaço: a formação social como teoria e como método”. IN: Espaço e sociedade: ensaios. Petrópolis: Vozes, 1982. (pp. pp.9-27).

SARGES, Maria de Nazaré. Belém: Riquezas produzindo a Belle-Époque (1870-1912). Belém: Paka-Tatu, 2010.

SECRETO, Maria Verônica. “Conquistar a terra, dominar a água, sujeitar a floresta: a fronteira amazônica no Governo Vagas”. IN: ALONSO, José Luis Ruiz-Peinado; CHAMBOULEYRON, Rafael. T(r)ópicos de História: gente, espaço e tempo na Amazônia (séculos XVII a XXI). Belém: Editora Açaí/PPHIST(UFPA)/Centro de Memória(UFPA), 2010.

SILVA, Edilson Mateus Costa da. Ruy, Paulo e Fafá: identidade amazônica na canção paraense. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Pará, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em História Social da Amazônia, Belém, 2010.

STARLING, Heloisa Maria Murgel; EISENBERG, José. Decantando a República: inventário histórico e político da canção popular moderna brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2004. (pp. 23-44). (Vol.2 – Retrato em branco e preto da nação brasileira).

TATIT, Luiz. “Elementos para análise da canção popular”. IN: Cadernos de Semiótica Aplicada. Vol. 1, nº 2, dezembro de 2003.

______. Elos de Melodia e Letra: análise semiótica de seis canções. Cotia, SP: 2008.

______. “O “cálculo” subjetivo dos cancionistas”. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, Brasil, n. 59, p. 369-386, dez. 2014.

VILLAÇA, Mariana. “Propostas metodológicas para a abordagem da canção popular como documento histórico”. Anais do II Simpósio Latino-Americano de Musicologia. Fundação Cultural de Curitiba, 1999.

WISNIK, José Miguel. “A gaia ciência: literatura e música popular no Brasil”. IN: MATOS, Cláudia Neiva (Org.). Ao encontro da palavra cantada. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2001. (pp. 183-199).

A publicação Música Popular em Revista em sua obra adota e está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.