O rock brasileiro pós-tropicalismo e a crítica musical em Rolling Stone

Autores

  • Cassiano Scherner Centro Universitário Franciscano

DOI:

https://doi.org/10.20396/muspop.v3i1.12961

Palavras-chave:

Crítica musical, Rock brasileiro, Contracultura, Imprensa musical

Resumo

O presente artigo faz uma análise sobre o rock brasileiro e a crítica musical no jornal Rolling Stone, que circulou no Brasil, de 1972 a 1973. Esta publicação foi pioneira em divulgar questões ligadas à contracultura e ao rock, tanto o produzido por aqui, quanto o estrangeiro. Apesar da sua breve existência, mapeou a produção musical dita “roqueira” daquele período, e a crítica musical foi o esteio principal desse processo. O rock brasileiro vivia uma fase de esvaziamento, tendo poucos grupos e artistas dedicados ao gênero, sendo um contraponto ao contexto atual do mercado musical, em que o excesso massificador dos grupos dedicados ao rock se faz presente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cassiano Scherner, Centro Universitário Franciscano

Doutorado em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.  Professor do Curso de Especialização em Cinema do Centro Universitário Franciscano.

Referências

ATKINS, Mike. Os Mutantes e seus cometas no país dos Bauretz. Rolling Stone, Rio de Janeiro, v. 1, n. 12, p. 20, 1972.

BAHIANA Ana Maria. Inocente desobediência civil. In: CARVALHO FILHO, Ibanez de et al. Rock: a música do século XX, v. 1. Rio de Janeiro: Rio Gráfica Editora, 1983. p. 143-144.

______. Importação e assimilação: rock, soul, discotheque. In: NOVAES, Adauto (org.). Anos 70: Ainda sob a tempestade. Rio de Janeiro: Aeroplano; Editora Senac Rio, 2005. p. 53-59.

BARCINSKI, André. Carbonos do Pop. Revista Piaui, nº 94, pp. 54-59. jul. 2014.

BARROS, Patrícia Marcondes de. Provocações brasileiras: A imprensa contracultural made in Brazil – Coluna Underground (1969-1971), Flor do Mal (1971) & a Rolling Stone Brasileira (1972-1973). Tese (Doutorado em História) – Faculdade de Ciências e Letras de Assis, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Assis-SP, 2007.

BUENO, André Luiz de. Contracultura: as utopias em marcha. Dissertação (Mestrado em Letras) – Departamento de Letras, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1978.

CARVALHO FILHO, Ibanez. Rock Brasil. In: CARVALHO FILHO, Ibanez de et al. Rock: a música do Século XX, v. 1. Rio de Janeiro: Rio Gráfica Editora, 1983. p. 137- 140.

DIAS, Lucy. Rock na ditadura: era impossível dar nós na cadeira. In: DIAS, Lucy. Enquanto corria a barca. São Paulo: Editora Senac, 2003.

FLIPPO, Chet. The history of Rolling Stone. Popular Music and Society, New York, v. 3, p. 159-188; 258-280; 281-298, 1974. DOI: https://doi.org/10.1080/03007767408591057

GOFFI, Guto; NEVES, Ezequiel; PINTO, Rodrigo. Barão Vermelho: porque a gente é assim. São Paulo: Editora Globo, 2007.

_______. Geração em transe: memórias do tempo do tropicalismo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1996.

MACIEL, Luis Carlos. O editor. Rolling Stone, Rio de Janeiro, v. 1, n. 33, p. 2, 22 dez. 1972.

MIDANI, André. Música, Ídolos e Poder - do Vinil ao Download. Rio de Janeiro, Editora Nova Fronteira, 2008.

MORELLI, Rita. Indústria fonográfica: um estudo antropológico. Campinas: Editora da Unicamp, 2009.

NEVES, Ezequiel. Coluna Toque. Rolling Stone, Rio de Janeiro, v. 1, n. 8, p. 2, 8 mai. 1972

______. Coluna Toque. Rolling Stone, Rio de Janeiro, v. 1, n. 20, p. 2, 12 set. 1972.

______. Coluna Toque. Rolling Stone, Rio de Janeiro, v. 1, n. 23, p. 2, 3 out. 1972.

______. Coluna Toque. Rolling Stone, Rio de Janeiro, v. 1, n. 26, p. 2, 24 out. 1972.

______. Coluna Toque. Rolling Stone, Rio de Janeiro, v. 1, n. 31, p. 2, 28 nov. 1972.

______. Coluna Toque. Rolling Stone, Rio de Janeiro, v. 1, n. 33, p. 2, 12 dez. 1972.

______. Coluna Toque. Rolling Stone, Rio de Janeiro, v. 1, n. 35, p. 2, 29 dez. 1972.

OLIVEIRA, Cassiano Francisco Scherner de. O criticismo do rock brasileiro no jornalismo de revista especializado em som, música e juventude: da Rolling Stone (1972-1973) à Bizz (1985-2001). Tese (Doutorado em Comunicação) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011. Disponível em: http://repositorio.pucrs.br/dspace/handle/10923/2203. Acesso em: 15 abr. 2014.

PETTILO, Alexandre. O dia em que a crítica rock morreu. Revista Zero, n. 1, p. 24-28, mai. 2002.

QUEREMOS sua crítica musical. Rolling Stone, Rio de Janeiro, v. 1, n. 34, p. 2, 22 dez. 1972.

O EDITOR. Rolling Stone, Rio de Janeiro, v. 1, n. 7, p. 25, 2 mai. 1972.

RODRIX, Zé. Mas houve rock no Brasil a não ser na década de 70? In: DOLABELA, Marcelo. ABZ do rock brasiliense. São Paulo: Estrela do Sul Editora, 1987. p. 12-13.

SHUKER, Roy. Vocabulário de música pop. São Paulo: Hedra, 1999.

SOUZA, Tárik de. Dupla desigual. Veja, São Paulo, n. 222, p. 104, 7 dez. 1972.

VIANNA, Hermano. Rascunho de possível capítulo de tese sobre o Rock Brasileiro. 1990. Disponível em: http://www.overmundo.com.br/banco/rock-brasileiro-historia-1950-1980. Acesso em: 22 out. 2010.

ZWESTCH, Waldir.“André Midani: ‘Rock brasileiro? Ainda não nasceu”. Jornal Hit Pop, Pop, São Paulo, n. 30, p. 8-9, abr. 1975.

Downloads

Publicado

2014-09-12

Como Citar

SCHERNER, C. O rock brasileiro pós-tropicalismo e a crítica musical em Rolling Stone. Música Popular em Revista, Campinas, SP, v. 3, n. 1, p. 101–120, 2014. DOI: 10.20396/muspop.v3i1.12961. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/12961. Acesso em: 30 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos