Banner Portal
Por uma história da indústria fonográfica no Brasil 1900-2010
PDF

Palavras-chave

Indústria fonográfica
Música popular brasileira
História social da mídia

Como Citar

VICENTE, E.; MARCHI, L. de. Por uma história da indústria fonográfica no Brasil 1900-2010: uma contribuição desde a Comunicação Social. Música Popular em Revista, Campinas, SP, v. 3, n. 1, p. 7–36, 2014. DOI: 10.20396/muspop.v3i1.12957. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/12957. Acesso em: 21 fev. 2024.

Resumo

O objetivo do presente artigo é apresentar um relato condensado da história da indústria fonográfica no Brasil, desde os primeiros anos do século XX até os dias atuais (1900-2010). Baseando-se numa pesquisa bibliográfica, que compreendeu livros publicados, teses de doutorado e as atuais pesquisas dos autores, este trabalho pretende oferecer uma visão geral da dinâmica da indústria de registros sonoros, articulando aspectos tecnológicos, econômicos e socioculturais que influenciaram o desenvolvimento dessa indústria cultural no país. Dessa forma, pretende-se lançar luz sobre relações entre esse negócio de comunicação e cultura e a música popular brasileira, auxiliando futuras pesquisas relacionadas ao tema.

https://doi.org/10.20396/muspop.v3i1.12957
PDF

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PRODUTORES DE DISCOS. Mercado brasileiro de música 2002. Rio de Janeiro: ABPD, 2003. Disponível em: http://www.abpd.org.br/downloads.asp. Acesso em: 01 dez. 2003.

_______. Mercado brasileiro de música 2005. Rio de Janeiro: ABPD, 2006. Disponível em:http://www.abpd.org.br/downloads.asp. Acesso em: 15 ago. 2006.

_______. Mercado brasileiro de música 2012. Rio de Janeiro: ABPD, 2013. Disponível em: http://www.abpd.org.br/downloads.asp. Acesso em: 10 jul. 2013.

BAHIANA, Ana Maria. Importação e Assimilação: rock, soul, discotheque. In: NOVAES, Adauto (Org.). Anos 70: Música Popular, Rio de Janeiro, Ed. Europa, 1980, p. 41-51.

BORIS, Fausto. A revolução de 1930. 8. ed. São Paulo: Brasiliense,1982.

FRANCESCHI, Humberto M. A Casa Edison e seu tempo. Rio de Janeiro: Sarapuí, 2002.

CHANAN, Michael. Repeated takes: a short history of recording and its effects on music. London & New York: Verso, 1995

CIOCCI, Sandra; CARRASCO, Ney. Os cantores do rádio que protagonizaram filmes da Atlântida. Música Popular em Revista, Campinas, ano 2, v. 1, p. 74-98, jul.-dez. 2013.

DAPIEVE, Arthur. Brock: o rock brasileiro dos anos 80. 2a ed. São Paulo: Ed. 34, 1995.

DE MARCHI, Leonardo. Indústria Fonográfica e a Nova Produção Independente: o Futuro da Música Brasileira? Comunicação, Mídia e Consumo, São Paulo, v. 03, p. 167-182, 2006.

_______. O significado político da produção fonográfica independente brasileira. E-Compós, Brasília, v. 1, p. 2-21, 2007.

_______. Transformações estruturais da indústria fonográfica no Brasil 1999-2009: Desestruturação do mercado de discos, novas mediações do comércio de fonogramas digitais e consequências para a diversidade cultural no mercado de música. Tese. (Doutorado em Comunicação e Cultura) – ECO/UFRJ, Rio de Janeiro, 2011.

________; ALBORNOZ, Luis A.; HERSCHMANN, Micael. Novos negócios fonográficos no Brasil e a intermediação do mercado digital de música. Revista FAMECOS, v. 18, p. 279-291, 2011.

________. Inovação e institucionalização na indústria fonográfica brasileira: um estudo de caso das estratégias de negócio de músicos autônomos no entorno digital. Revista EPTIC, v. 14, p. 1-22, 2012.

DIAS, Márcia T. Os donos da voz: indústria fonográfica brasileira e mundialização da cultura. São Paulo: Boitempo, 2000.

DOWD, Timothy J. Culture and commodification: technology and structural power in the early U.S. recording industry. The International Journal of Sociology and Social Policy, nº 22, p. 106-140, 2002.

GITELMAN, Lisa. Scripts, grooves and writing machines: representing technology in the Edison era. Standford: Standford University Press, 1999.

GONZÁLES, Juan P.; ROLLE, Claudio. História social de la música popular en Chile 1890-1950. Santiago: Ediciónes Universidad Pontifícia Católica de Chile: Casa de las Américas, 2004.

GRONOW, Pekka; ENGLUND, Björn. Inventing recorded music: the recorded repertoire in Scandinavia 1899-1925. Popular Music, Reino Unido, vol. 26, nº 02, p. 281-304, 2007.

HERSCHMANN, Micael. Indústria da música em transição. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2010.

_______. Nas bordas e fora do mainstream musical: tendências da música independente no início do século XXI. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2011.

HOBSBAWN, Eric. A era dos impérios 1875-1914. 11ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1998.

INTERNATIONAL FEDERATION OF THE PHONOGRAPHIC INDUSTRY. The Recording Industry in Numbers 99: the definitive source of global music market information. Londres: IFPI, 1999

MÁXIMO, João; DIDIER, Carlos. Noel Rosa: uma biografia. Brasília: Ed. UnB, 1990.

MIDANI, André. Música, ídolos e poder: do vinil ao download. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008.

MORAES, José G. V.. Metrópole em sinfonia: história, cultura e música popular na São Paulo dos anos 1930. São Paulo: Estação Liberdade, 2000.

MORELLI, Rita C. L. O campo da MPB e o mercado moderno de música no Brasil: do nacional-popular à segmentação contemporânea. ArtCultura, Uberlândia, v. 10, n. 16, p. 87-101, jan.-jun. 2008.

______. Indústria fonográfica: um estudo antropológico. 2ª ed. Campinas: Ed. Unicamp, 2009.

______. Música na TV de São Paulo nas décadas de 1950 e 1960: investimentos identitários e estatutários, XV CONGRESSO BRASILEIRO DE SOCIOLOGIA, julho de 2011, Curitiba (PR).

NAPOLITANO, Marcos. Seguindo a canção: engajamento político e indústria cultural na MPB 1959-1969. São Paulo: Annablume, 2001.

ORTIZ, Renato. A moderna tradição brasileira: cultura brasileira e indústria cultural. 5ª ed. São Paulo: Brasiliense, 1994.

ORTRIWANO, Gisela S. A informação no rádio: os grupos de poder e a determinação dos conteúdos. São Paulo: Summos, 1984.

PRESTES FILHO, Luís C. (Coord.). Cadeia produtiva da economia da música. Rio de Janeiro: Instituto Gênesis/ PUC-RJ, 2005.

SAROLDI, Luiz C.; MOREIRA, Sonia, V.. Rádio Nacional: o Brasil em sintonia. 3ª ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2005.

STERNE, Jonathan. The audible past: cultural origins of sound reproduction. Durham & London: Duke University Press, 2003.

TINHORÃO, José R. Música popular: do gramofone ao rádio. São Paulo: Ática, 1981.

VIANNA, Hermano. O mistério do samba. Rio de Janeiro: Zahar, 1999.

VICENTE, Eduardo. A vez dos independentes(?):um olhar sobre a produção musical independente do país, e-compós. Revista da Associação Nacional de Pós-Graduação em Comunicações, 2006.

______. Segmentação e consumo: a produção fonográfica brasileira 1965-1999. ArtCultura, Uberlândia, v.10, n. 16, p. 103-121, jan.- jun. 2008.

______. Da Vitrola ao iPod: uma história da indústria fonográfica no Brasil. São Paulo: Alameda Editorial, 2014.

YÚDICE, George. La transformación y diversificación de la indústria de la música. In: Anais del seminario internacional para la coperación cultura-comunicación em iberoamérica. Madrid: Fundación Alternativas, 2007. p. 1-13.

ZAN, Jorge R. A Gravadora Elenco e a bossa nova. In: Cadernos da Pós-Graduação, Campinas, IA/Unicamp, vol. 2, no 1, p. 64-70, 1998.

A publicação Música Popular em Revista em sua obra adota e está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.