Banner Portal
Notas sobre “Cálice” (2010, 1973, 1978, 2011)
PDF

Palavras-chave

Chico Buarque
Gilberto Gil
Milton Nascimento
Criolo
Canção popular brasileira
Sociedade brasileira contemporânea

Como Citar

GARCIA, Walter. Notas sobre “Cálice” (2010, 1973, 1978, 2011). Música Popular em Revista, Campinas, SP, v. 2, n. 2, p. 110–150, 2014. DOI: 10.20396/muspop.v2i2.12942. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/muspop/article/view/12942. Acesso em: 14 jul. 2024.

Resumo

O artigo tem por objetivo discutir a forma artística e a atuação mercadológica da canção “Cálice” (Gilberto Gil/ Chico Buarque), em 1973 e em 1978, do vídeo Criolo Doido – Cálice, de 2010, e da canção “Rap de Cálice” (Chico Buarque), de 2011. Na perspectiva que se adota, a noção de forma se refere tanto à análise dos elementos que estruturam determinada obra quanto à interpretação do sentido de tal estrutura à luz do processo histórico brasileiro. Assim, recursos musicais e poéticos de “Cálice”, Criolo Doido – Cálice e “Rap de Cálice”, bem como as relações entre esses recursos e alguns aspectos fundamentais das atuações de Chico Buarque, Gilberto Gil, Milton Nascimento e Criolo no mercado, são interpretados à luz do processo histórico brasileiro na década de 1970 e na atualidade.

https://doi.org/10.20396/muspop.v2i2.12942
PDF

Referências

A BÍBLIA DE JERUSALÉM. Ed. rev., 4. impressão. São Paulo: Paulinas, 1989.

ADORNO, Theodor W. Crítica cultural e sociedade. In: Prismas: crítica cultural e sociedade. Trad. A. Wernet; J. M. B. de Almeida. São Paulo: Ática, 1998, p. 7-26.

AMARAL, Zózimo Barroso do. Vaivém. Jornal do Brasil, Caderno B, 29 abr. 1973, p. 3.

______. “Cálice”. Jornal do Brasil, Caderno B, 7 mai. 1973, p. 3.

ARAÚJO, Paulo César de. Eu não sou cachorro, não: música popular cafona e ditadura militar. Rio de Janeiro: Record, 2002.

BECKER, Cacilda. Ilmo. Sr. General José Bretas Cupertino MD Chefe do Departamento de Polícia Federal (1968). Publicado em: 20 mar. 2014. Disponível em: http://institutoaugustoboal.files.wordpress.com/2014/03/carta-de-cacilda.pdf. Acesso em: 22 set. 2014.

BAHIANA, Ana Maria. A paz doméstica de Gilberto Gil. In: Nada será como antes: MPB nos anos 70 – 30 anos depois. Ed. revista. Rio de Janeira: Editora Senac Rio, 2006, p. 82-94.

BENJAMIN, Walter. Charles Baudelaire um lírico no auge do capitalismo. Trad. J. M. Barbosa; H. A. Baptista. 3. ed., 2. reimpressão. São Paulo: Brasiliense, 2000.

BOAL, Augusto. Que pensa você da arte de esquerda? Programa da peça I Feira Paulista de Opinião (5 de junho de 1968). Publicado em: 24 nov. 2012. Disponível em: http://institutoaugustoboal.files.wordpress.com/2012/11/que-pensa-vocc3aa-da-arte-de-esquerda-programa-da-feira.pdf. Acesso em: 22 set. 2014.

BRAZIL, Daniel. O cálice do Criolo Doido. Publicado em: 21 jul. 2011. Disponível em: http://www.revistamusicabrasileira.com.br/artigo/o-calice-do-criolo-doido. Acesso em: 15 jun. 2014.

BRITTO, Jomard Muniz de. Do modernismo à bossa nova. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1966.

BROWN, Nicholas. Brecht eu misturo com Caetano: citação, mercado e forma musical. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, São Paulo, n. 59, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rieb/n59/0020-3874-rieb-59-00149.pdf. Acesso em: 10 dez. 2014.

BUARQUE, Chico. Entrevista 365: Chico Buarque cantor poeta compositor e escritor. 365 – Seleção de leitura e informação, São Paulo, vol. 1, n. 2, p. 297-304, 1976.

BUARQUE, Chico. Paratodos. Chico Buarque. In: BUARQUE, Chico. Paratodos. BMG Ariola/ RCA, V120.046, 1993. 1 CD.

______. Vai passar. Direção Roberto de Oliveira. EMI, 336933 9, 2005. 1 DVD.

______. Rap de Cálice. Chico Buarque. In: BUARQUE, Chico. Na carreira. Biscoito Fino, BF 173-3, 2012. 1 DVD.

BUARQUE, Chico e NASCIMENTO, Milton. Cálice. Gilberto Gil, Chico Buarque. In: BUARQUE, Chico. Chico Buarque. Philips/ PolyGram, 6349 398, 1978. 1 LP, lado A, faixa 2.

CANDIDO, Antonio. Iniciação à literatura brasileira (Resumo para principiantes). 2. ed. São Paulo: Humanitas, 1998.

______. Formação da literatura brasileira: momentos decisivos. 9. ed. Belo Horizonte: Ed. Itatiaia, 2000. 2 volumes.

CARVALHO, Gilberto de. Chico Buarque: análise poético-musical. 2. ed. Rio de Janeiro: Codecri, 1982.

CASTRO, Ruy. Chega de saudade: a história e as histórias da bossa nova. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

COLEÇÃO JOVEM GUARDA. Reportagem, São Paulo, ano I, n. 9, p. 171, dez. 1966.

COLETIVO MPB. Chega de saudade. Publicado em jan. 2006. Disponível em: http://p.php.uol.com.br/tropico/html/textos/2719,1.shl. Acesso em: 23 fev. 2008.

COSTA, Caio Túlio. Cale-se. São Paulo: A Girafa Editora, 2003.

COSTA, Iná Camargo. A hora do teatro épico no Brasil. Rio de Janeiro: Paz e Terra/ Graal, 1996.

COUTINHO, Carlos Nelson. Cultura e sociedade no Brasil. In: BRAZ, Marcelo (Org.) Samba, cultura e sociedade: sambistas e trabalhadores entre a “questão social” e a questão cultural no Brasil. São Paulo: Expressão Popular, 2013, p. 31-62.

CRIOLO DOIDO. Ainda há tempo. SkyBlue Music, SKY 5273, 2006. 1 CD.

______. Criolo Doido – Cálice. Publicado em: 9 set. 2010. Disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=akZY0-6Rs0A. Acesso em: 26 mai. 2014.

DIAS, Marcia Tosta. Os donos da voz: indústria fonográfica brasileira e mundialização da cultura. 2. ed. São Paulo: Boitempo, 2008.

FOLHA DE S. PAULO. A bronca de Chico. O banho de Elis. Caderno Ilustrada, p. 35, 16 mai. 1973. Autor identificado como “IM”.

______. O corte do som: de quem é a culpa?. Caderno Ilustrada, p. 23, 18 mai. 1973.

______. Seagram fecha compra da Polygram. Caderno Dinheiro, p. 2, 22 mai. 1998.

______. Painel S/A: Alvos definidos. Caderno Dinheiro, p. 2, 11 nov. 1998.

______. Valor das fusões e aquisições tem queda de quase 40% no trimestre. Caderno Dinheiro, p. B6, 1 jul. 2000.

FREIRE, Roberto. Chico dá samba. Reportagem, São Paulo, ano I, n. 9, p. 68-76, dez. 1966.

FOLHA DE S. PAULO. A bronca de Chico. O banho de Elis. Caderno Ilustrada, p. 35, 16 mai. 1973. Autor identificado como “IM”.

______. O corte do som: de quem é a culpa?. Caderno Ilustrada, p. 23, 18 mai. 1973.

______. Seagram fecha compra da Polygram. Caderno Dinheiro, p. 2, 22 mai. 1998.

______. Painel S/A: Alvos definidos. Caderno Dinheiro, p. 2, 11 nov. 1998.

______. Valor das fusões e aquisições tem queda de quase 40% no trimestre. Caderno Dinheiro, p. B6, 1 jul. 2000.

FREIRE, Roberto. Chico dá samba. Reportagem, São Paulo, ano I, n. 9, p. 68-76, dez. 1966.

GARCIA, Miliandre. Do teatro militante à música engajada: a experiência do CPC da UNE (1958-1964). São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2007.

GIL, Gilberto. Gilberto Gil: todas as letras: incluindo letras comentadas pelo compositor. Org. Carlos Rennó; colaboração Marcelo Fróes. 2. ed., revista e ampliada. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

GIL, Gilberto. Gilberto Gil ao vivo na USP 1973. Gravado em: 26 mai. 1973. Disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=dIwKGsjRqGQ. Acesso em: 19 jun. 2014.

______. Gilberto Gil explica a música “Cálice”. Publicado em: 15 abr. 2013. Disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=8CnSiaP-jL4. Acesso em: 19 jun. 2014.

HECKLER, Barbara. “A sociedade exige mais coragem de quem é jovem” (entrevista com Caetano Veloso). Bravo, São Paulo, n. 162, p. 30-33, fev. 2011.

HUNGRIA, Julio. Música Popular. Jornal do Brasil, Caderno B, 13 mai. 1973, p. 14.

JORNAL DO BRASIL. Chico Buarque e Gilberto Gil cantam juntos pela primeira vez em São Paulo. 1º Caderno, p. 10, 10 mai. 1973.

______. O CÁLICE da discórdia; Phono 73 o festival sem competição. Caderno B, p. 4, 15 mai. 1973.

KEHL, Maria Rita. Fetichismo. In: BUCCI, Eugênio; KEHL, Maria Rita. Videologias. São Paulo: Boitempo, 2004, p. 63-84.

LEITE, Antonio Eleilson. Marcos fundamentais da Literatura Periférica em São Paulo. Revista de Estudos Culturais, São Paulo, n. 1, sem paginação, jun. 2014. Disponível em: http://www.each.usp.br/revistaec/?q=revista/1/marcos-fundamentais-da-literatura-perif%C3%A9rica-em-s%C3%A3o-paulo. Acesso em: 18 jun. 2014.

LEITE, Carlos Augusto Bonifácio. Sobre o peso de si e maestrias: uma análise de parte da cena atual da canção popular brasileira. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, São Paulo, n. 59, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rieb/n59/0020-3874-rieb-59-00213.pdf. Acesso em: 10 dez. 2014.

MENESES, Adélia Bezerra de. Desenho mágico: poesia e política em Chico Buarque. 2. ed. São Paulo: Ateliê Editorial, 2000.

NAPOLITANO, Marcos. “Seguindo a canção”: engajamento político e indústria cultural na MPB (1959-1969). São Paulo: Annablume/ Fapesp, 2001.

NAPOLITANO, Marcos. “A música popular brasileira (MPB) dos anos 70: resistência política e consumo cultural”. Actas del V Congresso Latinoamericano IASPM, 2002. Disponível em: http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/fevereiro2012/historia_artigos/2napolitano70_artigo.pdf. Acesso em: 10 set. 2009.

______. MPB: a trilha sonora da abertura política (1975/1982). Estudos avançados, São Paulo, vol. 24, n. 69, p. 389-402, 2010.

NISHIMURA, Danielle. Criado no Grajaú, MC Criolo ganha o mundo e arrasta multidões em seus shows. CompanySul, São Paulo, n. 59, p. 21-24, out. 2013.

______. A “estranha derrota”: os comunistas e a resistência cultural ao regime militar (1964-1968). In: NAPOLITANO, Marcos; CZAJKA, Rodrigo; MOTTA, Rodrigo Patto Sá (Orgs.). Comunistas brasileiros: cultura política e produção cultural. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2013, p. 317-338.

ORTIZ, Renato. A moderna tradição brasileira: cultura brasileira e indústria cultural. 5. ed., 3. reimpressão. São Paulo: Brasiliense, 2001.

______. Revisitando o tempo dos militares. In: REIS, Daniel Aarão; RIDENTI, Marcelo; MOTTA, Rodrigo Patto Sá (Orgs.). A ditadura que mudou o Brasil: 50 anos do golpe de 1964. 1ª reimpressão. Rio de Janeiro: Zahar, 2014, p. 112-127.

NOGUEIRA, Bruno Torturra. Criolo (entrevista). Publicado em: 23 set. 2011. Disponível em: http://revistatrip.uol.com.br/revista/203/paginas-negras/criolo.html. Acesso em: 15 jun. 2014.

PRETO, Marcus. O pensar musicado de Criolo (entrevista). Cult, São Paulo, n. 183, p. 6-13, set. 2013.

PIMENTEL, Spensy. O Hip Hop brasileira assume a paternidade: entrevista com GOG. Cultura e pensamento, [Salvador?], n. 3, p. 112-124, dez. 2007.

PROENÇA, M. Cavalcanti. Ritmo e poesia. Rio de Janeiro: Organização Simões, 1955.

REIS, Aquiles Rique. “(...) Você corta um verso eu escrevo outro”. In: O gogó de Aquiles: textos. São Paulo: A Girafa Editora, 2004, p. 89-92.

REIS FILHO, Daniel Aarão. Ditadura e democracia no Brasil: do golpe de 1964 à Constituição de 1988. Rio de Janeiro: Zahar, 2014.

RINHA dos MC’s. Disponível em: http://rinhadosmcs.com.br. Acesso em: 15 jun. 2014.

ROSENFELD, Anatol. A teoria dos gêneros. In: O teatro épico. 4. ed. São Paulo: Perspectiva, 2000a, p. 13-36.

______. Beethoven e o Romantismo. In: Texto/Contexto II. São Paulo: Perspectiva, 2000b, p. 275-282.

SCHWARZ, Roberto. Cultura e política, 1964-1969. In: O pai de família e outros estudos. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992, p. 61-92.

SILVA, Alberto Moby Ribeiro da. Sinal fechado: a música popular brasileira sob censura (1937-45 / 1969-78). 2ª ed., 1ª reimpressão. Rio de Janeiro: Apicuri, 2008.

SILVA, Paulo da Costa e. Chico e os olhos do carrasco: de Paratodos a Parapoucos. Publicado em: 14 jun. 2012. Disponível em: http://www.blogdoims.com.br/ims/chico-e-os-olhos-do-carrasco-de-paratodos-a-parapoucos-por-paulo-da-costa-e-silva/. Acesso em: 4 jun. 2014.

TEPERMAN, Ricardo Indig. Tem que ter suingue: batalhas de freestyle no metrô Santa Cruz. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – FFLCH-USP, São Paulo, 2011.

TERRA, Renato; CALIL, Ricardo. Uma noite em 67. São Paulo: Planeta, 2013.

UNIVERSAL MUSIC. Histórico/Perfil. Disponível em: http://www.abpd.org.br/sobre_gravadora.asp?g=17. Acesso em: 24 jul. 2014.

VÁRIOS. Phono 73: o canto de um povo. Universal Music, 60249824412, 2005. 2 CDs, 1 DVD.

VELOSO, Caetano. O mundo não é chato. Org. Eucanaã Ferraz. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

VENTURA, Zuenir. O vazio cultural; A falta de ar. In: GASPARI, Elio; HOLLANDA, Heloisa Buarque de; VENTURA, Zuenir. Cultura em trânsito: da repressão à abertura. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2000, p. 40-85.

VILLAÇA, Túlio. A melodia do rap – Criolo. Publicado em: 24 mai. 2014. Disponível em: http://tuliovillaca.wordpress.com/2014/05/24/a-melodia-do-rap-criolo/. Acesso em: 15 jun. 2014.

WERNECK, Humberto. Gol de letras. In: BUARQUE, Chico. Chico Buarque, letra e música. 2. ed., 4. reimpressão. São Paulo: Companhia das Letras, 2000, p. 9-262.

A publicação Música Popular em Revista em sua obra adota e está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.