Extensão universitária e reconhecimento social

a experiência do Grupo Ginástico Unicamp

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/ijoce.v2i00.15272

Palavras-chave:

Extensão universitária, Reconhecimento recíproco, Coletividade, Ginástica

Resumo

Este artigo discute a experiência do Grupo Ginástico Unicamp (GGU), projeto extensionista da Faculdade de Educação Física da Universidade Estadual de Campinas (FEF-Unicamp) vigente há mais de 30 anos. A partir do referencial teórico forjado pelo filósofo e sociólogo alemão Axel Honneth, esta discussão buscou destacar o papel da extensão universitária com base nos padrões de reconhecimento intersubjetivo: amor, direito e solidariedade. O caso do GGU revela que a extensão universitária pode constituir-se como um espaço de fomento do reconhecimento e pertencimento social. Ademais, a proposta pedagógica empregada no referido projeto vem viabilizando um espaço de prática da ginástica de forma flexível, crítica e com ênfase no processo, revelando-se um potente agente no que diz respeito ao desenvolvimento de habilidades e vínculos sociais e do reconhecimento recíproco. Com isso, essa ação extensionista proporciona aos seus participantes uma enriquecedora experiência corporal e social.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Raffi Menegaldo, Universidade Estadual de Campinas

 Doutoranda em Educação Física pela Universidade Estadual de Campinas.

Marco Antonio Coelho Bortoleto, Universidade Estadual de Campinas

Doutor em Educação Física pela Universidade de Lleida - Espanha. Professor associado na Faculdade de Educação Física da Universidade Estadual de Campinas.

Referências

Batista, M. S. (2019). Extensão universitária: análise dos Grupos de Ginástica para Todos. Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo, São Paulo Brasil.

Dardot, P. & Laval, C. (2017). Comum: ensaio sobre a revolução no século XXI. São Paulo: Editora Boitempo.

Elias, N. & Dunning, E. (1992). A Busca da Excitação. Lisboa: Difel.

FORPROEX. (2012). Política Nacional de Extensão Universitária. Manaus. Disponível em: https://proex.ufsc.br/files/2016/04/Pol%C3%ADtica-Nacional-de-Extens%C3%A3o-Universit%C3%A1ria-e-book.pdf. Acesso em: 15 de agosto de 2020.

Gadotti, M. (2017). Extensão Universitária: Para quê? Instituto Paulo Freire. Disponível em: https://www.paulofreire.org/noticias/557-extensao-Universitária-para-que. Acesso em: 15 de agosto de 2020.

Graner, L., Paoliello, E. & Bortoleto, M. A. C. (2017). Grupo Ginástico Unicamp: potencializando as ações humanas. In Bortoleto, M. A. C. & Paoliello, E. (Eds), Ginástica para Todos: um encontro com a coletividade. Campinas: Editora da Unicamp.

Han, B-C. (2018). No exame. Petrópolis: Vozes.

Honneth, A. (2003). Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais (L. Repa, trad.). São Paulo: Editora 34.

Maturana, H. & Rezepka, S. N. (2002). Formação e capacitação humana. Petrópolis: Vozes.

Menegaldo, F. R. M.; Bortoleto, M. A. C. (2020). The role of time and experience to the Gymnastics for All practice: building a sense of collectivity. Science of Gymnastics Journal, 12(1), 19-26.

Sennett, R. (2012). Juntos: os rituais e os prazeres da cooperação. Rio de Janeiro: Record, 2012.

Downloads

Publicado

2021-08-23

Como Citar

Menegaldo, F. R., & Bortoleto, M. A. C. (2021). Extensão universitária e reconhecimento social: a experiência do Grupo Ginástico Unicamp. Revista Internacional De Extensão Da UNICAMP / International Journal of Outreach and Community Engagement, 2(00), e021012. https://doi.org/10.20396/ijoce.v2i00.15272

Edição

Seção

Práticas em extensão universitária