Ações e atuações formativas voltadas para os espaços não formais

desafios no estágio curricular supervisionado de um curso de licenciatura em ciências biológicas

  • Isadora Santos Decanini Marangoni Universidade Federal do Triângulo Mineiro/ UFTM
  • Kamila de Mello Universidade Federal do Triângulo Mineiro/ UFTM
  • Maria Cristina Ribeiro Cohen Universidade Federal do Triângulo Mineiro/ UFTM
Palavras-chave: Espaços educativos não escolares, Estágio curricular supervisionado, Produção discursiva, Formação docente

Resumo

Esse relato visa apresentar recursos desenvolvidos por estagiários no processo de inserção em contextos não escolares durante a formação e indicar possibilidades de proposições articuladas e próximas dos professores de ciências. Passam a compor os nossos interesses, roteiros e relatórios acerca da execução e apreciação das atividades efetivadas nos espaços já consagrados de Educação em Ciências (Zoológicos, Parques Ecológicos, Parques Municipais e Matas etc.), como também em outros contextos tais como: centros culturais, teatros etc. ao disponibilizarem conhecimentos sobre os bens, acervos e/ou artefatos culturais como também trabalhar com estes saberes – estruturados no formato de panfletos e livretos [cartilhas ou guias didáticos]. Construídos a partir das percepções das exposições dos objetos musealizados e do diálogo entre os saberes, a produção destes gêneros discursivos privilegia (i) o encontro de enfoques de conhecimento; (ii) o estímulo à apropriação da cultura produzida historicamente; (iii) o sentimento de pertencimento além do senso de preservação e criação da memória.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARZANO, M. A. L. Educação não-formal: apontamentos ao Ensino de Biologia. Ciência em Tela, v. 1, n. 1, 2008.

BRASIL. MEC. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. CNE/CP 28/2001. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/028.pdf. Acesso em: 26 nov. 2018.

CASTRO, F. R. Há sentido na educação não formal na perspectiva da formação integral? Revista do Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação da UNB, v. 4, n. 8, dez. 2015.

COHEN, M. C. R. Estágio supervisionado em ciências biológicas nos contextos não escolares: reflexões e subsídios para uma agenda investigativa. Atas do XI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências/XI ENPEC – ABRAPEC. Florianópolis. SC. Brasil. 2017.

COHEN, M.C.R. Os espaços discursivos de troca no exercício da docência: diálogos no encontro entre educação não formal e formal em ensino de biologia. Atas do V Encontro Nacional de Ensino de Ciências da Saúde e do Ambiente/ V ENECiências. Universidade Federal Fluminense. Niterói. RJ. 2018.

FAUR DE CASTRO CATARINO, G.; PESSÔA CAMPELLO QUEIROZ, G.; DE ALMEIDA BARBOSA-LIMA, M. C. O formal, o não formal e as outras formas: a aula de física como gênero discursivo. O formal, o não formal e as outras formas: a aula de física como gênero discursivo. Rev. Bras. Educ. [online]. 2017, v. 22, n. 69, p. 499-517. ISSN 1413-2478. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=27553036010. Acesso em: 26 nov. 2018.

FÁVERO, O. Educação não-formal: contextos, percursos e sujeitos. Educ. Soc., Campinas, v. 28, n. 99, p. 614-617, maio-ago. 2007. Disponível em: http:// www.scielo.br/pdf/es/v28n99/a17v2899. Acesso em: 26 nov. 2018.

GERALDI, J. W. Textos de Arquivo XVII: Aprende-se a escrever, escrevendo - PORTOS: Grupo de Pesquisa CNPq/UFG, 2017. Disponível em: http://portos.in2web.com.br/passagens-blogdogeraldi/635-textos-de-arquivo-xvii-aprendese-a-escrever-escrevendo. Acesso em: 03 dez. 2017.

MARANDINO, M. A formação inicial de professores e os museus de Ciências. In: SELLES, S. E.; FERREIRA, M. S. Formação docente em Ciências: memórias e práticas. Niterói: EdUFF. 2003, p. 59-76.

MARANDINO, M. (Org.). Educação em museus: a mediação em foco. São Paulo: Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação Não-Formal e Divulgação em Ciência; FEUSP, 2008. Disponível em: http://parquecientec.usp.br/wp-content/ uploads/2014/03/MediacaoemFoco.pdf. Acesso em: 26 nov. 2018.

MARANDINO, M.; SELLES, S.E.; FERREIRA, M.S. Ensino de biologia: histórias e práticas em diferentes espaços educativos. São Paulo: Editora Cortez. 2009.

MONTEIRO, B; GOUVÊA, G; MARTINS, I. ESPAÇOS NÃO FORMAIS DE EDUCAÇÃO E OS DISCURSOS PRESENTES NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES DE QUÍMICA. VII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências/VII ENPEC – ABRAPEC. Florianópolis. SC. Brasil. 2009. Atas em CD-ROM

Publicado
2019-08-09
Como Citar
Marangoni , I. S. D., de Mello, K., & Cohen, M. C. R. (2019). Ações e atuações formativas voltadas para os espaços não formais: desafios no estágio curricular supervisionado de um curso de licenciatura em ciências biológicas. Ciências Em Foco, 12(2), 16. Recuperado de https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/cef/article/view/9969
Seção
Artigos