Parceria escola-universidade

as feiras de conhecimentos como meio de divulgação científica

Autores

  • Daniel Fernando Bovolenta Ovigli Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM)
  • Pedro Donizete Colombo Junior Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM)
  • Luan Antonio Rodrigues Galante Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM)

Palavras-chave:

Feira de conhecimentos, Ensino por investigação, Divulgação científica

Resumo

As feiras de conhecimentos consideram a tendência de maximizar a divulgação científica e
viabilizar a pesquisa na educação básica a partir do desenvolvimento de projetos de
enriquecimento curricular que propiciem contextualização e interdisciplinaridade aos
conteúdos trabalhados. Este trabalho relata a experiência de planejamento e execução de
um evento dessa natureza em Uberaba, Minas Gerais, em uma perspectiva de ensino por
investigação, parceria entre escola pública e a Universidade Federal do Triângulo Mineiro
(UFTM). Com a intervenção buscou-se envolver, direta ou indiretamente, toda a
comunidade escolar atuante no Ensino Médio, cerca mil pessoas (estudantes, funcionários
e professores), bem como estudantes de licenciatura e professores da UFTM. Como
resultados, vimos que a parceria Escola-Universidade propiciou a construção de uma
proposta diferenciada de evento, propiciando reflexos na continuidade das ações em sala
de aulas da educação básica, com implicações na formação continuada de professores na
Universidade, em especial para os licenciandos participantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARAÚJO, M.S.T.; ABIB, M.L.V. (2003). Atividades Experimentais no Ensino de Física: Diferentes Enfoques, Diferentes Finalidades. Revista Brasileira de Ensino de Física. v. 25, n. 2.

BRASIL. (2000). Parâmetros curriculares nacionais: ensino médio. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Brasília: MEC.

BRASIL. (1996). LDB - Lei no 9394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da Educação Nacional. Brasília: MEC.

BRASIL. (2012). Resolução CNE/CEB no 2, de 30 de janeiro de 2012. Define Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Brasília: MEC.

CARVALHO, A. M. P. (2013). Ensino de Ciências e a proposição de sequências de ensino investigativas. In: Anna Maria Pessoa de Carvalho. (Org.). Ensino de Ciências por Investigação. 1ed.São Paulo: Cengage Learning, 2013.

CARVALHO, A. M. P. (2004). Ensino de Ciências: unindo a pesquisa e a prática. São Paulo: Editora Thompson.

FENACEB. (2006). Programa Nacional de Apoio às Feiras de Ciências da Educação Básica. FENACEB/Ministério da Educação, Secretaria da Educação Básica - Brasília: Ministério da Educação.

HERNANDÉZ, F. (1998). Transgressão e mudança na educação: os projetos de trabalho. Porto Alegre, Artes Médicas.

MUNFORD D. e LIMA M. E. (2007). Ensinar ciências por investigação: em quê estamos de acordo? Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, v. 9, n. 1.

NOGUEIRA, N. R. (2003). Pedagogia dos projetos. Uma jornada interdisciplinar rumo ao desenvolvimento das múltiplas inteligências. São Paulo: Érica.

PENA, F. L. A. e FILHO, A. R. (2009). Obstáculos para o uso da experimentação no ensino de Física: um estudo a partir de relatos de experiências pedagógicas brasileiras publicados em periódicos nacionais da área (1971-2006). Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 9, n. 1.

PEREIRA, A.B.; OAIGEN, E.R.; HENNIG, G.J. (2000). Feiras de Ciências. 3.ed. Editora da Ulbra.

PERES, G. J. (2006). Atividade investigativa na formação de professores das séries iniciais do ensino fundamental. Escritos sobre Educação. Ibirité, v.5, n.1, p.13-18.

ZÔMPERO, A. F.; LABURÚ, C. E. (2011). Atividade investigativa no ensino de ciências: aspectos históricos e diferentes abordagens. Revista Ensaio, v.13, n. 3.

Downloads

Publicado

2019-06-19

Como Citar

BOVOLENTA OVIGLI, D. F. .; COLOMBO JUNIOR, P. D. .; RODRIGUES GALANTE , L. A. . Parceria escola-universidade: as feiras de conhecimentos como meio de divulgação científica. Ciências em Foco, Campinas, SP, v. 12, n. 2, p. 10, 2019. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/cef/article/view/9910. Acesso em: 26 nov. 2020.

Edição

Seção

Artigos