A utilização de espaços não formais como estratégia educacional no ensino de ciências

Autores

  • Aryane Alyne Barbosa Gaia Universidade Federal do Pará
  • Fabrício Teles Lopes Universidade Federal do Pará

Palavras-chave:

Aprendizagem, Ensino de ciências, Espaços não formais

Resumo

Este estudo educacional aborda duas temáticas distintas relacionadas ao ensino de ciências, elaboradas em lugares públicos das cidades de Mocajuba e Cametá no Pará, com o intuito de mostrar como é a realidade dos municípios, e a importância em que esses ambientes considerados não formais influenciam no ensino aprendizagem dos cidadãos. Nesse trabalho vamos apresentar o relato da experiência vivida por nós Licenciandos do curso de Ciências Naturais da Universidade Federal do Pará, ao aplicar o uso de atividades práticas e experimentais nas cidades citadas, e contudo, perceber a expectativa de uma relação entre o espaço formal e não formal de ensino e as possíveis contribuições em que estes apresentam para a construção de conhecimentos. Os resultados mostram que o método de ensino apresentado nesse artigo consegue ultrapassar os muros de universidades e escolas facilitando assim, a aprendizagem e gerando contribuições futuras para o ensino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARAÚJO, E. S. N. N.; SOMAN, J. M.; CALUZI, J. J. & CALDEIRA, A. M. A.. Ensino e aprendizagem de Biologia em trilhas interpretativas: o modelo contextual do aprendizado como referencial. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 11, n. 1, p. 31-56, 2011.

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J.A.P. Metodologia do Ensino de Ciências. São Paulo: Cortez, 2000.

FERRARO, J. L. S.; GICLIO, R. O Museu como espaço transversal. Educação por Escrito, Porto Alegre, v. 5, n. 2, p. 333-345, jul-dez, 2014.

FRACALANZA, H.; AMARAL, I. A.; GOUVEIA, M. S. F. O ensino de ciências no primeiro grau. 8. ed. São Paulo: Atual, 1986. (Projeto Magistério).

GOHN, Maria da Glória. Educação não formal e o educador social: atuação no desenvolvimento de projetos sociais. São Paulo: Cortez, 2010.

GOHN, M. G. Educação não-formal, participação da sociedade civil e estruturas colegiadas nas escolas. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 14, n. 50, p. 27-38, jan./mar. 2006.

GUIMARÃES, C. C. Experimentação no ensino de química: caminhos e descaminhos rumo à aprendizagem significativa. Química Nova na Escola, v. 31, n. 3, p. 198-202, 2009.

JACOBUCCI, D. F. C. Contribuições dos espaços não formais de educação para a formação da cultura científica. Revista em Extensão, v. 7, p. 55-66, 2008.

LENOIR, Y. Didática e interdisciplinaridade: uma complementaridade necessária e incontornável. (2012) FAZENDA, I. (Org.). Didática e interdisciplinaridade. 17. ed. Campinas: Editora Papirus, 2012. (Coleção Práxis).

LORENZETTI, L.; DELIZOICOV, D. Alfabetização científica no contexto das séries iniciais do ensino fundamental. Ensaio – Pesquisa em educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 3, n. 1, p. 5-15, 2001.

LOWMAN, J. Dominando as Técnicas de Ensino. São Paulo: Atlas. 2004.

MIZUKAMI, M. G. N. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: EPU, 1986.

PARANÁ. Secretaria de estado da Educação do Paraná. Superintendência da educação. Diretrizes Curriculares de Ciências para o Ensino Fundamental. Paraná, 2008.

SILVA, J. S. R.; SILVA, M. B.; VAREJÃO, José Leonídio. Os (des)caminhos da educação: a importância do trabalho de campo na geografia. Vértices, Campos dos Goytacazes˗RJ, v. 12, n. 3, p. 187-197, set. ̸dez. 2010. Disponível em: https://www.google.com.br/search?q=SILVA%2C+SILVA%2C+VAREJ%C3%83O%2C+2010&rlz=1C1NHXL_ptBRBR737BR737&oq=SILVA%2C+SILVA%2C+VAREJ%C3%83O%2C+2010&aqs=chrome..69i57.19426j0j7&sourceid=chrome&ie=UTF-8#. Acesso em: jan. 2019.

VIEIRA, V. et al. Espaços não-formais de ensino e o currículo de ciências. Ciência e Cultura, v. 57, n. 4, p. 21-23, 2005.

VIVEIRO, A. A. Atividades de Campo no Ensino das Ciências: Investigando Concepções e Práticas de um grupo de Professores. Dissertação (Mestrado) – Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Ciências, Bauru, 2006.

Downloads

Publicado

2019-06-02

Como Citar

GAIA, A. A. B. .; LOPES, F. T. . A utilização de espaços não formais como estratégia educacional no ensino de ciências. Ciências em Foco, Campinas, SP, v. 12, n. 1, 2019. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/cef/article/view/9890. Acesso em: 1 out. 2022.

Edição

Seção

Identidade, Formação e Atuação de professores de ciências