O ensino de ciências e a formação do pedagogo

desafios e propostas

  • Wanderlei Sebastião Gabini Faculdades Integradas de Jaú
  • Célia Regina Auler Pereira Furuta Faculdades Integradas de Jaú
Palavras-chave: Ensino de Ciências, Formação do pedagogo, Prática docente

Resumo

O presente artigo discute a inserção de Ciências na formação do Pedagogo considerando as especificidades e limitações que se fazem presentes no período de quatro anos relativos à formação do docente que irá atuar nos anos iniciais do Ensino Fundamental e na Educação Infantil. São diversas áreas que integram essa formação, o que destina uma fração da carga horária para Ciências, e faz com que uma ação permanente, independente do trabalho disciplinar, se mostre como proposta viável para uma formação com maior efetividade e com possibilidade de vivência de situações que poderão ser desenvolvidas no contexto profissional do futuro professor. A proposta discutida nesse artigo representa o foco que o Curso de Licenciatura em Pedagogia, das Faculdades Integradas de Jaú, adotou como caminho para integrar, de forma mais efetiva, Ciências ao currículo, com ênfase na questão ambiental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BIZZO, Nelio. Ciências: fácil ou difícil? 2. ed. São Paulo: Ática, 2002.

BRASIL. Lei nº 9795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a Educação Ambiental, instituia Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providencias. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 27 abr. 1999. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1999/lei-9795-27-abril-1999-373224-publicacaooriginal-1-pl.html . Acesso em: 21 jul.2018

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF: MEC, 2017. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=79611-anexo-texto-bncc-aprovado-em-15-12-17-pdf&category_slug=dezembro-2017-pdf&Itemid=30192 . Acesso em: 20 mar. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Estadual da Educação. Resolução CNE/CP 1/2006. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura. Brasília, DF: MEC, 2006. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_06.pdf>;. Acesso em: 20 mar. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Estadual da Educação. Resolução nº 2, de 15 de junho de 2012. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. 2012. Disponível em: http://mobile.cnte.org.br:8080/legislacao-externo/rest/lei/89/pdf . Acesso em: 21 jul. 2018 .

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Ciências Naturais / Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC / SEF, 1998. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/ciencias.pdf . Acesso em: 10 mar. 2010.

DELIZOICOV, Demétrio; ANGOTTI, José André; PERNAMBUCO, Marta Maria. Ensino de Ciências: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2002.

FREITAS, Denise de. A perspectiva curricular Ciência e Tecnologia e Sociedade-CTS- no ensino de Ciência. In: PAVÃO, Antonio Carlos; FREITAS, Denise de (Orgs). Quanta Ciência há no Ensino de Ciências. EduFSCar. São Carlos, 2011. p. 229 – 237.

GABINI, Wanderlei Sebastião; DINIZ, Renato Eugênio da Silva. A formação continuada, o uso do computador e as aulas de ciências nos anos iniciais do ensino fundamental. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências. Belo Horizonte, v. 14, n. 3, p. 333-348, set-dez 2012.

GATTI, Bernadete A. A formação inicial de professores para a educação básica: as licenciaturas. Revista USP. São Paulo, n. 100, p. 33-46, dez/jan/fev 2013-2014. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/76164/79909 . Acesso em: 10 set. 2017.

LAHERA, Jesús; FORTEZA, Ana. Ciências físicas nos ensinos fundamental e médio: modelos e exemplos. Tradução: Antônio Feltrin. Porto Alegre: Artmed, 2006.

LELIS, Isabel Alice. A formação da professora primária: da denúncia ao anúncio. São Paulo: Cortez, 1989.

LÜDKE, Menga. Formação inicial e construção da identidade profissional de professores de 1º grau. In: Candau, Vera Maria (Org). Magistério: construção cotidiana. 4. ed. São Paulo: Vozes, 2004. p. 110 – 125.

MORAES, Roque. Ciências para as séries iniciais e alfabetização. 3. ed. Porto Alegre: Sagra Luzzatto, 1998.

PIMENTA, Selma Garrido et al. Os cursos de licenciatura em pedagogia: fragilidades na formação inicial do professor polivalente. Educação e Pesquisa, São Paulo , v. 43, n. 1, p. 15-30, mar. 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022017000100015&lng=pt&nrm=iso . Acesso em: 30 jun. 2018.

PIRES, Célia Maria Carolino. Formação inicial e continuada de professores – uma síntese das diretrizes e dos desafios a serem enfrentados. In: Canário, Rui; Pires, Célia Maria Carolino; Hadji, Charles. Articulação entre as formações inicial e continuada de professores. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/vol1c.pdf . Acesso em: 20 abr. 2018.

POZO, Juan Ignacio; CRESPO, Migual Ángel Gómez. A aprendizagem e o ensino de Ciências. Trad. Naila Freitas. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

SALLES, Gilsani Dalzoto. Metodologia do Ensino de Ciências Biológicas e da Natureza. Curitiba: Ibpex, 2007.

Publicado
2018-12-27
Como Citar
Gabini, W. S., & Furuta, C. R. A. P. (2018). O ensino de ciências e a formação do pedagogo: desafios e propostas. Ciências Em Foco, 11(2). Recuperado de https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/cef/article/view/9798
Seção
Artigos