Banner Portal
Educação ambiental e ensino de biologia
PDF

Palavras-chave

Pesquisa
Teses e dissertações
Educação ambiental
Ensino de biologia.

Como Citar

SANTOS, Romualdo José dos. Educação ambiental e ensino de biologia: análise de teses e dissertações. Ciências em Foco, Campinas, SP, v. 10, n. 1, 2018. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/cef/article/view/9713. Acesso em: 19 jun. 2024.

Resumo

Neste artigo o objetivo foi identificar que aspectos são destacados nos resumos das teses e dissertações em Educação Ambiental (EA) brasileiras que relacionaram a EA e o Ensino de Biologia (EB). Os resumos foram selecionados a partir do banco de teses e dissertações do projeto EArte. Trata-se de um estudo do tipo “estado da arte” no qual realizou-se, inicialmente, levantamento quantitativo seguido de análise qualitativa. A partir das análises, pode-se destacar as possíveis contribuições da EA para as práticas educativas nas aulas de biologia. Essas contribuições estão relacionadas às possibilidades de articulação entre os conhecimentos científicos e às questões sociais. As análises também permitiram evidenciar a necessidade de se trabalhar as questões ambientais nos cursos de formação inicial de professores das diferentes áreas.

PDF

Referências

ALVES, F. M.; OLIVEIRA, J. F. Pós-Graduação no Brasil: do Regime Militar aos dias atuais. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, Goiânia, v. 30, n. 2, p. 351-376, maio/ago. 2014.

CARVALHO, I. C. M.. Educação ambiental: a formação do sujeito ecológico. 5ed. São Paulo, Cortez Editora, 2011.

CARVALHO, L. M. A temática ambiental e o ensino de biologia: compreender, valorizar e defender a vida. In: MARANDINO, M., et al. (Org.). Ensino de biologia: conhecimentos e valores em disputa. Niterói: Eduff, 2005, p. 85-99.

CARVALHO, L. M. Pesquisa em Educação Ambiental no Brasil: um campo em construção?2015. 455 f. Tese (Livre Docência) – Instituto de Biociências, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2015.

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A.; PERNAMBUCO, M. M. Ensino de Ciências: fundamentos e métodos. 3ed. São Paulo, Cortez, 2009.

FERREIRA, N. S. A. As pesquisas denominadas “estado da arte”. Educação & Sociedade, Campinas, v. 23, n. 79, p. 257-272, ago., 2002.

KAWASAKI, C. S.; CARVALHO, L. M. Tendências da pesquisa em Educação Ambiental. Educação em Revista, Belo Horizonte, v.25, n.3, p. 143-157, dez., 2009.

KRASILCHIK, M. Reformas e realidade: o caso do ensino das ciências. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v.14, n.1, p.85-93. 2000.

LIMA, G. F. C. Questão ambiental e educação: contribuições para o debate. Ambiente & Sociedade, Campinas, ano II, n. 5, 135-153, 1999.

MEGID NETO, J. Educação ambiental como campo de conhecimento: a contribuição das pesquisas acadêmicas para sua consolidação no Brasil. Pesquisa em Educação Ambiental, Rio Claro, v. 4, n. 2, p. 95-110, 2009.

NARDI, R. A pós-graduação em ensino de ciências e matemática no Brasil, o ensino de ciências e as licenciaturas na área: encontros e desencontros. Tecné, Episteme y Didaxis, Bogotá, n. 30, p. 53-67, 2011.

SELLES, S. E.; FERREIRA, M.S. Disciplina escolar Biologia: entre a retórica unificadora e as questões sociais. In: MARANDINO, M., et al. (Org.). Ensino de biologia: conhecimentos e valores em disputa. Niterói: Eduff, 2005, p.50-62.

SLONGO, I.I.P. A produção acadêmica em ensino de biologia: um estudo a partir de teses e dissertações. 2004. 349 f. Tese (Doutorado em Educação) – Centro de Ciências da Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2004.

TEIXEIRA, P.M.M. Pesquisa em ensino de Biologia no Brasil (1972-2004): um estudo baseado em dissertações e teses. 2008. 413 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação. Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008.

TEIXEIRA, P.M.M.; MEGID-NETO, J. A Produção Acadêmica em Ensino de Biologia no Brasil – 40 anos (1972–2011): Base Institucional e Tendências Temáticas e Metodológicas. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v.17, n.2, p. 521– 549, ago., 2017.

Apesar do periódico ser de acesso aberto, utilizando a Licença Creative Commons, os direitos autorais dos trabalhos submetidos são de exclusividade da revista.

Downloads

Não há dados estatísticos.