O ensino de ciências no primeiro grau

Autores

  • Editores (Ciência em Foco) Universidade Estadual de Campinas

Palavras-chave:

Livros-Gratuitos.

Resumo

Este livro procura analisar o que o professor habitualmente faz no ensino de ciências no primeiro grau. Mais do que isso: o que o professor gostaria de fazer. Mais ainda: o que nós, autores, achamos que o professor pode fazer ao ensinar ciências. O professor trabalha em condições bastante adversas. Faz o que lhe é possível fazer. Entretanto, nem sempre está satisfeito com o seu trabalho. Além disso, durante a sua formação, e até mesmo depois de formado, o professor constantemente lê, ouve ou discute sobre o que poderia ser feito no ensino. E se entusiasma. Mas a rotina, o seu dia-a-dia, as dificuldades que enfrenta o forçam para uma acomodação que ele próprio não aceita. Por isso podemos dizer que o professor reflete sobre o seu trabalho e procura agir de modo diverso do usual: procura acertar. Algumas vezes consegue, mas nem sempre obtém êxito.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Editores (Ciência em Foco), Universidade Estadual de Campinas

Faculdade de Educação - Universidade Estadual de Campinas

Referências

ALVES, R. Filosofia da ciência. São Paulo, Brasiliense, 1981.

BLOUCH, G. O. e outros. Como ensinar ciências. Rio de Janeiro, Ao Livro Técnico, 1975.

CARIN, A. A. e SUND, R. B. La enseñanza de la ciencia moderna. Buenos Aires, Guadalupe, 1975.

CARIN, A. A. e SUND, R. B. La enseñanza de la ciência por el descubrimiento. México, Union Tipográfica Editorial Hispano-Americana, 1967.

GRAIG, G. S. Iniciação ao estudo de ciências. Porto Alegre, Globo, 1964, v. I e II.

DIXON, B. Para que serve a ciência? São Paulo, Nacional/EDUSP, 1976.

FRACALANZA, H. e outros. Os objetivos do ensino de ciências nas escolas de 1º e 2º graus, in: I Jornada sobre o ensino do conteúdo geológico nos 1º e 2º graus. São Paulo, Sociedade Brasileira de Geologia, 1975. p. 7-32.

FROTA-PESSOA, O.; GEVERTZ, R. e SILVA, A. G. Como ensinar ciências. São Paulo, Nacional, 1975.

HANNOUN, H. El niño conquista el médio. Buenos Aires, Kapelusz, 1977.

KNELLER, G. F. Ciência como atividade humana. Rio de Janeiro, Zahar/EDUSP, 1980.

KRASILCHIK, M. Inovação no ensino de ciências, in: Inovação Educacional no Brasil – Problemas e Perspectiva. São Paulo, Cortez, 1980. p. 164-80.

LIBÂNEO, J. C. Democratização da escola pública: a pedagogia critíco-social dos conteúdos. São Paulo, Loyola, 1985.

MINISTÉRIO DE EDUCAÇÃO E CULTURA. Ciências na escola primária. MEC, Programa de emergência, 1962.

MIZUKAMI, M. G. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo, Pedagógica e Universitária, 1986.

SECR. EDUC. S. PAULO. Guias curriculares – Propostas para as matérias do núcleo comum do 1º grau. São Paulo, C.R.P.E., 1973.

SECR. EDUC. S. PAULO. Programa para a escola primária. São Paulo, Depto. de Educação, Chefia do Ensino Primário, 1969.

SECR. EDUC. S. PAULO. Subsídios para implementação do guia curricular de ciências 1º grau, 1ª a 4ª séries. São Paulo, CENP, 1984.

SECR. EDUC. S. PAULO. Subsídios para implementação do guia curricular de ciências 1º grau de ciências 1º grau, 5ª a 8ª séries. Cadernos I, II, III. São Paulo, CENP, 1977-9.

SECR. EDUC. S. PAULO. Subsídios para implementação do guia curricular do programa de saúde para o ensino de 1º grau. São Paulo, CENP, 1980.

Downloads

Publicado

2013-01-22

Como Citar

(CIÊNCIA EM FOCO), E. O ensino de ciências no primeiro grau. Ciências em Foco, Campinas, SP, v. 1, n. 1, 2013. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/cef/article/view/9169. Acesso em: 19 ago. 2022.

Edição

Seção

Informação Útil