Educação científica por meio de uma perspectiva crítica e problematizadora na formação inicial de professores

Autores

  • Laís Goyos Pieroni Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
  • Maria Cristina de Senzi Zancul UNESP

Palavras-chave:

CTS, ensino de Ciências, Paulo Freire

Resumo

Neste trabalho são apresentadas atividades desenvolvidas com professores em formação, focalizando o ensino de Ciências na Educação Infantil e nas séries iniciais do Ensino Fundamental. A disciplina “Educação Científica” faz parte do rol de optativas do curso de Pedagogia de uma universidade pública paulista e a experiência aqui relatada se refere ao primeiro semestre de 2016 e 2017. Pautado em uma perspectiva freireana de educação, o trabalho teve, como objetivo, apresentar a educação científica como um dos componentes da educação básica e destacar seu papel na formação do aluno, desenvolvendo procedimentos relacionados à prática da atividade científica. Buscou, ainda, discutir as potencialidades formadoras de espaços como museus e centros de ciências. Os resultados obtidos durante o processo, bem como as discussões e problematizações vivenciadas, indicam a relevância de uma formação de professores para os anos iniciais que contemple a abordagem de temas e questões referentes ao conhecimento científico e seu papel na sociedade contemporânea.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Cristina de Senzi Zancul, UNESP

Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara (FCLAr), UNESP, Campus Araraquara

Referências

BIZZO, N. Ciências: fácil ou difícil. São Paulo: Ática, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Parâmetros curriculares nacionais: Ciências Naturais. Brasília: MEC/SEF, 1997.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros curriculares nacionais Ensino Médio: bases legais. Brasília: MEC, 2000.

BRASIL. Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Percepção pública da ciência e tecnologia no Brasil. Brasília: CGEE/MCTI, 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Base nacional comum curricular. 3ª ed. revista. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria da Educação Básica, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 25 set. 2018.

CACHAPUZ, A.; PRAIA, J.; JORGE, M. Da educação em ciência às orientações para o ensino das ciências: um repensar epistemológico. Ciência & Educação, v. 10, n. 3, p. 363-381, 2004.

CARVALHO, A. M. P.; VANNUCCHI, A. I.; BARROS, M. A.; GONÇALVES, M. E.; REY, R. C. Ciências no ensino fundamental: o conhecimento físico. São Paulo: Scipione, 1998.

CHALMERS, A. F. O que é ciência, afinal? São Paulo: Brasiliense, 1993.

CHASSOT, A. A ciência através dos tempos. São Paulo: Moderna, 2004.

DOMICIANO, T. D.; LORENZETTI, A. Educação CTS na formação inicial de professores: um panorama de Teses e Dissertações brasileiras. REnCiMa, v. 10, n. 5, p. 1-21, 2019.

FREIRE, P. Conscientização: teoria e prática da libertação: uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. São Paulo: Cortez & Moraes, 1980.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 25. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 42. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

GARCIA, E. A. C. Biofísica. São Paulo: Sarvier, 2007.

GARCÍA PALACIOS, E. M.; VON LISINGEN, I.; GONZÁLES GALBARTE, J. C.; LÓPEZ CERESO, J. A.; LUJÁN, J. L.; PEREIRA, L. T. V.; MARTÍN GORDILLO, M.; OSÓRIO, C.; VALDÉS, C.; BAZZO, W. A. (Eds.). Introdução aos estudos CTS (Ciência, tecnologia e sociedade). Madrid: Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI), 2003.

GASPAR, A. Câmara escura de orifício. In: GASPAR, A. Experiências de ciências para o ensino fundamental. São Paulo: Ática, 2005, p. 175-178.

GIL-PÉREZ, D. et al. Para uma imagem não deformada do trabalho científico. Ciência & Educação, v. 7, n. 2, p. 125-153, 2001.

HENNIG, G. J. Metodologia do ensino de ciências. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1986.

LUIZ, A. A. Projeto astronomia na escola: a astronomia no ensino da matemática. 2010. (Monografia Licenciatura em Matemática). Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, São José do Rio Preto, SP, 2010.

MARANDINO, M. Educação em museus: a mediação em foco. São Paulo: GEENF/FEUSP, 2008.

MENDES, C. L. S.; COUTINHO, C. M. L. M.; ARAÚJO-JORGE, T. C. Experimentando com o microscópio. Com Ciência na Escola, v. 2, p. 1-12, 2014.

ORLANDI, A. S.; CASTRO, A. C. de. Órgãos dos sentidos. In: SCHIEL, D.; ORLANDI, A. S. (org.). Ensino de ciências por investigação. São Carlos: Universidade de São Paulo, Centro de Divulgação Científica e Cultural-CDCC, 2009, p. 113-138.

QUEIROZ, S. L.; CABRAL, P. F. O. Estudos de casos no ensino de ciências naturais. São Carlos: Art Point, 2016. Disponível em: https://sites.usp.br/cdcc/wp-content/uploads/sites/512/2019/06/2016-Estudos_de_Caso.pdf. Acesso em: 25 set. 2018.

RODRIGUES, B. C. R.; GALEMBECK, E. Desvendando objetos desconhecidos: uma experiência investigativa em aulas práticas de Bioquímica. In: VIII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, 2011, Campinas, SP. Atas [...]. Campinas: ABRAPEC, 2011, p. 1-12.

SABADINI, E. A caixa fechada e o método científico. Chemkeys - Liberdade para aprender, 2004, p. 1-3. Disponível em: http://chemkeys.com/br/2004/07/17/a-caixa-fechada-e-o-metodo-cientifico/. Acesso em: 25 set. 2018.

SAGAN, C. O mundo assombrado pelos demônios: a ciência vista como uma vela no escuro. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

SANTOS, W. L. P. dos. Educação científica humanística em uma perspectiva freireana: resgatando a função do ensino de CTS. Alexandria: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, v.1, n. 1, p. 109-131, 2008.

SANTOS, W.L.P. dos; MORTIMER, E. F. Tomada de decisão para ação social responsável no ensino de ciências. Ciência & Educação, v. 7, n. 1, p. 95-111, 2001.

SANTOS, W.L.P. dos; MORTIMER, E. F. Uma análise de pressupostos teóricos da abordagem C-T-S (Ciência – Tecnologia – Sociedade) no contexto da educação brasileira. ENSAIO – Pesquisa em Educação em Ciências, v. 2, n. 2, p. 110-132, 2002.

SANTOS, W.L.P. dos; MORTIMER, E. F. Abordagem de aspectos sociocientíficos em aulas de ciências: possibilidades e limitações. Investigações em Ensino de Ciências, v. 14, n. 2, p. 191-218, 2009.

SCHEID, N. M. J. Temas controversos no ensino de ciências: apontamentos de natureza ética. Diálogo, v. 19, n. 1, p. 65-79, 2011.

SCHIEL, D.; ORLANDI, A. S. Ensino de ciências por investigação. São Carlos: Universidade de São Paulo, Centro de Divulgação e Cultura – CDCC, 2009. Disponível em: https://sites.usp.br/cdcc/wp-content/uploads/sites/512/2019/06/2009-EnsinoCienciasInvestigacao.pdf. Acesso em: 25 set. 2018.

SOUZA, T. M. M. de. A caixa de pandora: ensino médio. Portal do Professor, 2005. Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=128. Acesso em: 25 set. 2018.

TRIVELATO, S. F.; SILVA, R. L. F. Ensino de ciências. São Paulo: Cengage Learning, 2014.

VEIGA-NETO, A. Usando Gattaca: ordens e lugares. In: TEIXEIRA, I. A. C.; LOPES, J. S. M. (org.). A escola vai ao cinema. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2003, p. 73-90.

VIECHENESKI, J. P.; CARLETTO, M. Por que e para quê ensinar ciências para crianças. RBECT, v. 6, n. 2, p. 213-227, 2013.

VIEIRA, K. R. C. F.; BAZZO, W. A. Discussões acerca do aquecimento global: uma proposta CTS para abordar esse tema controverso em sala de aula. Ciência & Ensino, v.1 (n. especial), p. 1-12, 2007.

VIVEIRO, A. A.; ZANCUL, M. C. S. Perspectivas para a formação de professores dos anos iniciais da escolarização em relação aos conteúdos de ciências. In: GOIS, J. (org.), Metodologias e processos formativos em ciências e matemática. São Paulo: Paco Editorial, 2014, p. 1-10.

ZANCUL, M. C. S. Ciências no ensino fundamental. In: DEMONTE, A.; INFORSATO, E. C.; GATTÁS, E. A. L.; ROMANATTO, M. C. (org.). Cadernos de formação: ciências e saúde. 2ª ed. São Paulo: Páginas & Letras, 2007, p. 135-145.

ZANCUL, M. C. S. O ensino de ciências e a experimentação: algumas reflexões. In: Pavão, A. C.; Freitas, D. (org.). Quanta ciência há no ensino de Ciências. São Carlos: EdUFSCar, 2008, p. 62-68.

Downloads

Publicado

2021-05-14

Como Citar

GOYOS PIERONI, L. .; DE SENZI ZANCUL, M. C. Educação científica por meio de uma perspectiva crítica e problematizadora na formação inicial de professores . Ciências em Foco, Campinas, SP, v. 14, n. 00, p. e021004, 2021. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/cef/article/view/14886. Acesso em: 5 dez. 2021.