São Paulo, o largo da memória e seus azulejos decorativos
PDF

Palavras-chave

Azulejos
Patrimônio cultural
Arte decorativa
Indústrias

Como Citar

MONEZZI, R. P. C. São Paulo, o largo da memória e seus azulejos decorativos. Encontro de História da Arte, Campinas, SP, n. 13, p. 720–729, 2018. DOI: 10.20396/eha.13.2018.4593. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/eventos/index.php/eha/article/view/4593. Acesso em: 26 fev. 2024.

Resumo

Conhecido como o Largo da Memória, o logradouro formado pela antiga Ladeira dos Piques está localizado próximo ao Vale do Anhangabaú e abriga um dos monumentos mais antigos da cidade de São Paulo: o Obelisco dos Piques. Trata-se de uma praça que contém esse importante marco arquitetônico e é formada pelo entronamento das antigas ruas Palha (atual Rua 07 de Abril), Xavier de Toledo e a Ladeira dos Piques (atual Quirino de Andrade). O primeiro projeto desse logradouro foi desenhado pelo engenheiro Daniel Pedro Müller em 1814. Nele, Müller procurou ressaltar a importância do local como entrada da cidade e espaço de parada dos antigos tropeiros e viajantes, construindo, assim, um pequeno chafariz e o obelisco que representava “a memória do zelo do bem público”. 

https://doi.org/10.20396/eha.13.2018.4593
PDF

Referências

ALCÂNTARA, Dora. Azulejos na Cultura Luso-brasileira. Rio de Janeiro: IPHAN, 1997.

ARRUDA, José Jobson de Andrade. O imperialismo Britânico e o Fenômeno Brasil In: Revista da Universidade de São Paulo, n. 79, p. 22-33, São Paulo, setembro/novembro 2008.

AZEVEDO, F. de S. V. de. Os primórdios da indústria cerâmica em São Paulo. Revista Cerâmica, São Paulo, v. 10, n. 40, p. 25-33, 1964.

BAECK, Mario - HAMBURG, Ultrich – KAMERMANS, Johan – LEMMEN, Hans Van – RABENAU, Thomas and

VERBRUGGE, Bart. Industrial Tiles – 1840-1940. Erstes Deutsches Fliesenmuseum, Boizenburg Stedelijk Museum Stellingwerff-Waerdenhof, Hasselt Neterlands Tegelmuseum, Otterlo Tiles and Architecture Ceramics Society, 2004.

BELLINGIERI, J. C. A indústria Cerâmica em São Paulo e a invenção do filtro de água: um estudo sobre a ceramic Lamparelli – Jaboticabal (1920-1947). Dissertação (Mestrado) – Universidade de São Paulo, Franca, 2004.

BELLINGIERI, J. C. As origens da Indústria Cerâmica em São Paulo. Periódico Cerâmica Industrial vol. 10 (3) Maio/Junho, pp. 19-23, 2005.

BRANCANTE, Eldino da Fonseca. O Brasil e a Cerâmica Antiga. Cia Lithografica Ypiranga, São Paulo, 1981.

D’ALAMBERT, Clara. Manifestações da Arquitetura residencial paulistana entre as Grandes Guerras. Tese de doutoramento apresentada à Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2003.

FICHER, Sylvia. Os arquitetos da Poli: ensino e profissão em São Paulo. São Paulo: Edusp, 2005.

GRAHAM, Richard. A Grã-Bretanha e o início da modernização no Brasil (1850-1914). São Paulo: Brasiliense, 1973.

LAPRI, R. O Estado de São Paulo e o centenário da Independência. São Paulo: [s.n.], [1922].

LANNA, Ana Lúcia Duarte; PEIXOTO, Fernanda Arêas; LIRA, José Tavares Correia de; SAMPAIO, Maria Ruth Amaral de (org.). São Paulo, os estrangeiros e a construção das cidades. São Paulo: Alameda, 2011.

LEMMEN, Hans Van. Tiles in Architecture. London: Laurence King Publishing, 1993.

LEMMEN, Hans Van. 5000 years of Tiles. London: The British Museum Press, 2013.

LEMOS, Carlos A. C. Azulejos Decorados na modernidade arquitetônica brasileira. In: Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, nº 20, Rio de Janeiro: Ed. RJ, 1987.

LIMA, H. F. Evolução Industrial de São Paulo. São Paulo: Livraria Martins, 1954.

MECO, José. Azulejaria Portuguesa. Colecção Património Português. Bertrand Editora, 1985.

MELLO, Joana. Ricardo Severo: da arqueologia portuguesa à arquitetura brasileira. São Paulo: Annablume, 2007.

ORTIZ, Renato. Cultura Brasileira e Identidade Nacional. São Paulo: Brasiliense, 5º reimpressão da 5º edição, 2005.

PEREIRA, José Hermes Martins. Louça Paulista: as primeiras fábricas de faiança e porcelana de São Paulo. São Paulo: Imprensa Oficial EDUSP, 2001.

PEREIRA, José Hermes Martins. As fábricas paulistas de louça: estudos de tipologias arquitetônicas na area de Patrimônio Industrial. Dissertação (mestrado), FAU/USP, São Paulo, 2007.

PICCAROLO, Antonio - FINOCCHI, Lino. O desenvolvimento industrial de S. Paulo atravez da Primeira Exposição Municipal. São Paulo: Pocai, 1918.

PILLEGI, A. A cerâmica no Brasil e no Mundo. São Paulo: Martins Fontes, 1958.

RODRIGUES, José Wasth. Documentário arquitetônico relativo à antiga construção civil no Brasil. 4º Ed. Belo

Horizonte. Editora Itatiaia, São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1979.

SEVERO, Ricardo. A arte tradicional no Brasil. In: Revista do Brasil, vol. IV, Ano II. Sa?o Paulo, janeiro-abril de 1917.

SOUZA, Rafael de Abreu. Louça Branca para a Paulicéia: Arqueologia Histórica da Fábrica Santa Catharina / IRFM – São Paulo e a Produção da Faiança Fina Nacional (1913-1937). Dissertação de Mestrado apresentada ao programa de pós-graduação em Arqueologia do Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2010.

SUZIGAN, Wilson. Indústria Brasileira: origem e desenvolvimento. São Paulo: Hucitec, Editora da Unicamp, 2000.

TOLEDO, Benedito Lima de. Anhangabaú, São Paulo: Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, 1989.

TOLEDO, Benedito Lima de. O Caminho do Mar – apontamentos sobre o tema “caminhos do mar”. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, nº 01, 1966. pp.37-51.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2018 Renata Poliana Cezar Monezzi

Downloads

Não há dados estatísticos.