A expografia e o arquiteto
PDF

Palavras-chave

Exposição
Arquiteto
Pedro Mendes da Rocha

Como Citar

FABRIS, Y.; CORRÊA, R. de O. A expografia e o arquiteto: reflexões sobre a montagem de uma exposição. Encontro de História da Arte, Campinas, SP, n. 13, p. 916–924, 2018. DOI: 10.20396/eha.13.2018.4569. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/eventos/index.php/eha/article/view/4569. Acesso em: 26 fev. 2024.

Resumo

Este artigo tem como objetivo apresentar uma reflexão sobre os modos de organizar artefatos em uma exposição. Para isso, analisamos as narrativas dos profissionais envolvidos na elaboração de uma mostra, com destaque ao arquiteto responsável pela mediação entre as ideias curatoriais e a monta-gem dos objetos na arena expositiva. Tratamos da encenação da Puras Misturas, que esteve em cartaz em São Paulo-SP de abril a novembro de 2010, no Pavilhão das Culturas Brasileiras. Temos por propósito com-preender como o arquiteto Pedro Mendes da Rocha, responsável pelo desenho espacial da mostra, narrou sobre as soluções espaciais que foram estruturadas na expografia. Nos atentamos, portanto, aos modos como os objetos foram organizados no ambiente museológico e como, parao arquiteto, a montagem estava articulada com os preceitos idealizados pelas curadoras.

https://doi.org/10.20396/eha.13.2018.4569
PDF

Referências

ABREU, Bebel. Expografia Brasileira Contemporânea. Rio São Francisco Navegado por Ronaldo Fraga. 2014. 186 p. Dissertação (Mestrado Arquitetura e Urbanismo) - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

BARROS, Guilherme. O novo Brasil da Mostra do Redescobrimento. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Museologia, Colecionismo e Curadoria) - Centro Universitário Belas Artes de São Paulo, São Paulo, 2014.

BOLOGNINI, Dalva. Museu de Folclore Rossini Tavares: Catalogação dos Acervos. Revista MUSEU, 2008. Disponível em: http://www.revistamuseu.com.br/naestrada/naestrada.asp?id=15097 Acesso em: 18 abr. 2016.

CRESTO, L.; QUELUZ, M. O design-arte dos irmãos Campana. Cultura Visual. Salvador: EDUFBA, v.1, n. 12, p. 27-43, 2009.

CURY, Marília X. Exposição: concepção, montagem, avaliação. São Paulo: Annablume, 2005.

DORNAS, Adriana; ALMEIDA, Marcelina das G. de. Relações Contemporâneas: moda e cultura, o designer Ronaldo Fraga e suas coleções. Revista Observatório da Diversidade Cultural, Belo Horizonte, v. 2, n.1, p. 165-176, 2015

GARCÍA CANCLINI, Néstor. As culturas populares no capitalismo. São Paulo: Brasiliense, 1989.

GONÇALVES, Lisbeth R. Entre cenografias: o museu e a exposição de arte no século XX. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo/Fapesp, 2004.

MENESES, Ulpiano T. B. de. Do teatro da memória ao laboratório da História: a exposição museológica e o conhecimento histórico. Anais do Museu Paulista. São Paulo. v. 2, n.1, p. 9-42, jan/dez. 1994.

MONACHESI, Juliana. Apoteose cenográfica divide opiniões. Folha de São Paulo. Ilustrada, São Paulo, 23 mar. 2000. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq2303200006.htm. Acesso em: 05 dez. 2016.

RAMOS, Francisco Régis Lopes Ramos. A danação do objeto: O museu no ensino de História. Chapecó: Argos, 2008.

ROCHA, Pedro Mendes da. Entrevista concedida. Novembro de 2016. São Paulo, 2016.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2018 Yasmin Fabris e Ronaldo de Oliveira Corrêa

Downloads

Não há dados estatísticos.