Fissuras simbólicas na cidade
PDF

Palavras-chave

Esculturas
Rio de Janeiro
Espaço urbano

Como Citar

AGUIAR, I. de. Fissuras simbólicas na cidade : o que podem nos dizer as esculturas contemporâneas do centro do Rio de Janeiro?. Encontro de História da Arte, Campinas, SP, n. 13, p. 463–469, 2018. DOI: 10.20396/eha.13.2018.4414. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/eventos/index.php/eha/article/view/4414. Acesso em: 25 fev. 2024.

Resumo

Neste ensaio abordarei algumas reflexões sobre as tensões produzidas entre arte e espaço urbano, dentro de uma perspectiva antropológica sobre a produção social da cidade e do objeto artístico. Tenho como ponto de partida o caso do projeto de instalações permanentes denominado Esculturas Urbanas. Ele desenvolveu instalações de cinco esculturas pelo centro da cidade do Rio de Janeiro entre os anos de 1996 e 1997 e dividiu-se entre dois objetivos. O primeiro pretendia formar uma comissão curadora, capaz de selecionar obras para a cidade, enquanto o segundo referia-se à “qualificação” de áreas “degradas” do Centro através dessas esculturas.

https://doi.org/10.20396/eha.13.2018.4414
PDF

Referências

Agier, Michel. 2011. Antropologia da cidade: lugares, situações, movimentos. São Paulo: Terceiro Nome.

Arantes, Otília F. 1996. Cultura da cidade: animação sem frase. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, n. 24: 229-242.

Arantes, Otília F. 2002b. Uma Estratégia Fatal: A cultura nas novas gestões urbanas. In: A cidade do pensamento único: desmanchando consensos, Arantes, O, Vainer, C. e Maricato, E. (ed.). Rio de Janeiro, Vozes, 11-74.

Becker, Howard S. 1982. Art Words. Berkley, California Press.

Bourdieu, Pierre. 2011. A distinção: Crítica Social do Julgamento. São Paulo. Zouk.

Brito, Ronaldo. 1975. Análise do circuito. In: Malasartes, v.1 n.1, Rio de Janeiro, 5-7.

Büttner, Claudia. 2002. Projetos artísticos nos espaços não-institucionais de hoje. In: Cidade e Cultura: esfera pública e transformação urbana. Pallamin, Vera (ed.), São Paulo. Estação Liberdade: 73-103.

Danto, Arthur. 2005. A transfiguração do lugar-comum. Cosac &Naify.

Danto, Arthur.2006. Mundo da Arte. Artefilosofia, Ouro Preto, n. 1:13-25.

Del Rio, Vicente. 1991. Desenho Urbano e Revitalização na Área Portuária do Rio de Janeiro: A Contribuição do Estudo da Percepção Ambiental. Tese FAU-USP, São Paulo.

Del Rio, Vicente. 2000. Requalificação urbanística e recuperação da imagem da cidade: O projeto Rio Cidade para os bairros do Méier e do Leblon, Rio de Janeiro. Paisagem, Ambiente, Ensaios, nº 13: 9-28.

Deutsche, Rosalyn. 1996. Evictions: Art and Spatial Politics. Cambridge: MIT Press. Featherstone, Mike. 1995. Cultura de consumo e pós-modernismo, São Paulo, Studio Nobel.

Furegatti, Sylvia. 2007. Arte e meio urbano: Elementos de formação estática extramuros no Brasil. São

Paulo, Tese de doutorado FAU-USP.

Gell, Alfred. 1998. Art and agency: an anthropological theory. Oxford, Clarendon.

Grimp, Douglas. 2015. Sobre as Ruínas do Museu. São Paulo, Martins Fontes.

Herzog, Cátia. 2012. Arquitetura da festa: arte pública e neoconcretismo no Rio de Janeiro. Dissertação PUCRio, Rio de Janeiro.

Huyssen, Andreas. 1994. Escapando da Amnésia: o museu como cultura de massa. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, n. 23: 35-58.

Krauss, Rosalind. 1988. A escultura no campo ampliado. Revista Gávea, nº 06: PUC RJ: 86-93.

Magalhães, Roberto. 2002. Preservação e requalificação do Centro do Rio nas décadas de 1980 e 1990: A construção de um objeto difuso. São Paulo. In: http://www.light.com.br/foster/web/aplicacoes/documentos/adm/documento.asp?documento=65611235&inline=1.

Molotch, Harvey. 1979. The City as a Growth Machine: Toward a Political Economy of Place. American Journal of Sociology, v. 82, n 2: 309-332.

O’Doherty, Brian. 2002. No Interior do Cubo Branco: a ideologia do espaço da arte. São Paulo. Martins Fontes.

Pallamin, Vera. 2013. Cidade, Cultura e arte urbana contemporânea: tensões consideradas à luz da relação entre criação e resistência, São Paulo. Texto de candidatura à livre docência à FAU-USP.

Pasquotto, Geise. 2011. Edifícios Culturais e a reabilitação de áreas centrais: O Complexo Cultural Teatro da Dança de São Paulo. Dissertação de Mestrado, Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo. Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP.

Peixoto, Nelson Brissac. 2012. Intervenções urbanas: Arte/Cidade. São Paulo: Senac-SP.

Rubino, Silvana. 2009. Enobrecimento Urbano. In: Plural de Cidade: novos léxicos urbanos. Fortuna, C. e Leite,Rogério (Ed.). Coimbra: Edições Almeida: 25-40.

Vaz, Lilian e Jacques, Paola. 2001. Reflexões sobre o uso da cultura nos processos de revitalização urbana. Anais do IX ENANPUR, Rio de Janeiro: 664/674.

Zukin, Sharon. 1987 Gentrification: Culture and Capital In The Urban Core. Annual Review of Sociology. 13:129-147.

Zukin, Sharon. 1989. Loft living: culture and capital in urban change. New Brunswick: Rut- gers University Press.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2018 Isaura de Aguiar

Downloads

Não há dados estatísticos.