Warburg
PDF

Palavras-chave

Renascimento
Ninfa
História da Arte

Como Citar

AMARO, H. Warburg: a Ninfa em fuga - de onde ela vem?. Encontro de História da Arte, Campinas, SP, n. 13, p. 455–477, 2018. DOI: 10.20396/eha.13.2018.4412. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/eventos/index.php/eha/article/view/4412. Acesso em: 26 fev. 2024.

Resumo

A presente comunicação tenciona comentar as investigações do historiador da arte Aby Warburg sobre a Ninfa – figura que ocupa uma posição protagonista no contexto de seus estudos sobre o resgate da Antiguidade pagã durante o Renascimento florentino. Anseia, ainda, articular escritos de  autores contemporâneos que verificam a importância dessa iconografia como parte do centro gravitacional do estudioso hamburguês. Na nota introdutória de sua tese de doutorado, entregue à Universidade de Estrasburgo, em março de 1893, Warburg escreve que comparou as conhecidas pinturas mitológicas de Sandro Botticelli, com as concepções correspondentes na literatura poética e na teoria da arte daquele tempo, na tentativa de esclarecer o que era de maior interesse aos artistas do Quattrocento. No entanto, durante seu processo de pesquisa, a análise de o Nascimento de Vênus [fig. 1] e a Primavera [fig. 2], viabilizaram observações ainda mais ambiciosas que apenas um mapeamento das predileções artísticas do Renascimento florentino. 

https://doi.org/10.20396/eha.13.2018.4412
PDF

Referências

AGAMBEN, Giorgio. Ninfas. São Paulo: Hedra/Coleção Bienal de São Paulo, 2012.

ALBERTI, Léon. Da pintura. São Paulo/Campinas: Editora UNICAMP, 2015.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Ninfa moderna. Essai sur le drape tombe. Paris: Gallimard, 2002.

DIDI-HUBERMAN, Georges. A imagem sobrevivente: História da arte e tempo de fantasmas segundo Aby Warburg. Trad. Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Contraponto, 2013.

FERNANDES, Cássio. Aby Warburg e o problema da mudança do estilo na arte do Renascimento. Revista Figura, Studies on the Classical Tradition, V. 5 – N. 1, 2017. p. 72.

GHELARDI, Maurizio. De Arsenal a Laboratório: Fragmento de uma autobiografia. Revista Figura, Studies on the Classical Tradition, V. 5 – N. 1, 2017. p. 17.

KIRCHMAYR, R. L’enigma della Ninfa, da Warburg a Freud. Un’ipotesi in due sequenze. Revista Engramma Online. Set/out. 2012.

QUEIRÓZ CAMPOS, Daniela. Ninfa: a criatura fluída. Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Revista Concinnitas, ano 17, V.01, n. 28, set/2016. p. 473.

WARBURG, Aby. A Renovação da Antiguidade Pagã: contribuições científico-culturais para a história do Renascimento europeu. Trad. Markus Hediger. Rio de Janeiro: Contraponto, 2013.

WARBURG, Aby. Ninfa Florentina. Fragmento de um projeto sobre as ninfas. Porto: ProjectoYmago, KKYM, 2012.

WARBURG, Aby. Histórias de Fantasma para Gente Grande. Org. Leopoldo Waizbort. Trad. Lenin Bicudo Bárbara.São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2018 Heloize Amaro

Downloads

Não há dados estatísticos.