Itinerância e polimorfismo
PDF

Palavras-chave

Belo Horizonte
Urbanismo
Itinerância
Polimorfismo

Como Citar

MIRANDA, Gabriela. Itinerância e polimorfismo: atuação de artistas durante a construção da capital mineira. Encontro de História da Arte, Campinas, SP, n. 13, p. 427–436, 2018. DOI: 10.20396/eha.13.2018.4409. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/eventos/index.php/eha/article/view/4409. Acesso em: 21 abr. 2024.

Resumo

O presente trabalho faz parte das pesquisas realizadas pelo grupo Memória das Artes Visuais em Belo Horizonte (MAV-BH), o qual tem se esforçado por analisar obras artísticas pertencentes aos Museus públicos de Belo Horizonte. O que se segue neste artigo visa a valorização de obras de arte, produzidas por indivíduos que foram reconhecidos em seu próprio tempo enquanto artistas, e que foram responsáveis por criar um imaginário paisagístico, entre 1894 e 1908, que hoje está, em parte, compondo o acervo do Museu Histórico Abílio Barreto (MHAB). 

https://doi.org/10.20396/eha.13.2018.4409
PDF

Referências

ALMEIDA, Marcelina das Graças. Belo Horizonte, arraial e metrópole: memória das artes plásticas na capital mineira. In: RIBEIRO, Marília Andrés; SILVA, Fernando Pedro (Orgs.). Um século de história das artes plásticas em Belo Horizonte. Belo Horizonte: C/Arte: Fundação João Pinheiro. Centro de Estudos Históricos e Culturais, 1997, p. 72-108.

BARRETO, Abílio. Belo Horizonte: memória histórica e descritiva – História Antiga e História Média. Belo Horizonte: Fundação João Pinheiro, Centro de Estudos Históricos e Culturais, 1995.

BAXANDALL, Michael. Padrões de Intenção: a explicação histórica dos quadros. Trad. Vera Pereira. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

BELLUZZO, Ana Maria de Moraes. O Brasil dos viajantes: Imaginário do novo mundo. Vol. 1. São Paulo - Metalivros. Salvador - Fundação Emílio Odebrecht, 1994.

BELLUZZO, Ana Maria de Moraes. O Brasil dos viajantes: Um lugar no universo. Vol. 2. São Paulo - Metalivros. Salvador - Fundação Emílio Odebrecht, 1994.

BELLUZZO, Ana Maria de Moraes. O Brasil dos viajantes: A Construção da Paisagem. Vol. 3. São Paulo - Metalivros. Salvador - Fundação Emílio Odebrecht, 1994.

BUENO, Alexei. O Brasil do século XIX na coleção Fadel. Rio de Janeiro: Ed. Fadel, 2004.

CAMPOS, Luana Carla Martins. “Instantes como este serão para sempre”: práticas e representações fotográficas em Belo Horizonte (1894 – 1939). Dissertação (Mestrado em História) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009.

FREIRE, Priscila. Guignard e a paisagem mineira: o antes e o depois. Belo Horizonte: Galeria do Centro Cultural Minas Tênis Club, 2017.

GIANNETTI, Ricardo. Emílio Rouède: tempo de Minas. In: VALLE, Arthur; DAZZI, Camila (Org). Oitocentos — Tomo II: Arte Brasileira do Império à República. Rio de Janeiro: EDUR-UFRRJ/DezenoveVinte, 2010, p. 540- 551.

GIANNETTI, Ricardo. Ensaios para uma história da arte de Minas Gerais no século XIX. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

GIANNETTI, Ricardo. O ateliê de pintura de Honório Esteves. In: VALLE, Arthur; DAZZI, Camila (Ed.). PORTELLA, Isabel Sanson; SILVA, Rosangela de Jesus (Org.). Oitocentos — Tomo IV: O Ateliê do Artista. Rio de Janeiro: CEFET/RJ, 2017. Il. p. 243-261.

GIANNETTI, Ricardo. Frederico Steckel: pintor-decorador do império e da república. In: SANTOS, Amanda Basilio; AIRES, Anderson Pires; SANTOS, Carlos Alberto Ávila (org.). Anais do IV Colóquio Internacional — A Casa Senhorial: Anatomia dos Interiores. 1. ed. – Pelotas: CLAEC, 2017. p. 156-179. JULIÃO, Letícia. Sensibilidades e representações urbanas na transferência da Capital de Minas Gerais. História (São Paulo) v.30, n.1, p.114-147, jan/jun, 2011, p. 135.

MADEIRA, Angélica. Itinerância dos artistas: a construção do campo das artes visuais em Brasília (1958–2008). Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2013.

OLIVEIRA, Carlos Alberto. Émile Rouède, o correspondente de Ouro Preto. (c) Urbana: Rev. Eletrônica Cent. Interdiscip. Estud. Cid. Campinas, SP v.9, n.2 [16] p.335-353 mai./ago. 2017.

SQUEFF, Letícia. O Brasil nas letras de um pintor: Manuel de Araújo Porto Alegre [1806-1879], Campinas, São Paulo: Editora da UNICAMP, 2004.

TAVARES, André. Émile Rouède, Olavo Bilac e a criação de uma história das artes em Minas Gerais no século XIX. Rotunda, Campinas, n. 2, agosto 2003, p. 25-35.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2018 Gabriela Miranda

Downloads

Não há dados estatísticos.