O verbovisual nas obras de Hélio Oiticia
PDF

Palavras-chave

Hélio Oiticica
Verbovisual
Texto

Como Citar

GALEAZZI, A. E. O verbovisual nas obras de Hélio Oiticia. Encontro de História da Arte, Campinas, SP, n. 13, p. 200–208, 2018. DOI: 10.20396/eha.13.2018.4340. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/eventos/index.php/eha/article/view/4340. Acesso em: 26 fev. 2024.

Resumo

As queimaduras ainda estão cicatrizando, e seria difícil, para não falar da irresponsabilidade, iniciar este texto sem, ao menos, lembrar do incêndio no Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista, Rio de Janeiro, ocorrido no dia dois de setembro de 2018. Acidental ou não, o incêndio foi crime. Havia pedido de socorro desde o começo desse ano, picos de energia ocorrendo há semanas, “vaquinha” para manter o espaço aberto. Havia muito problema e nenhum socorro. Sequer na pior hora daquela noite, quando o fim já estava anunciado, houve o devido socorro. Os hidrantes sem água. É preciso lembrar que nossas discussões acadêmicas não podem ignorar os pulsos externos às paredes das Universidades que, paradoxalmente, nos protegem e sufocam. Nós, que temos uma vida que se vincula a esses espaços públicos, perdemos um pouco do que somos com a tragédia. Espero que o acontecimento sirva de alerta para outras instituições públicas e para nossas escolhas de representantes governamentais.

https://doi.org/10.20396/eha.13.2018.4340
PDF

Referências

AGAMBEN, G. O uso dos corpos. Homo Sacer, IV, 2. São Paulo: Boitempo, 2017.

BARTHES, R. O Grau Zero da Escrita. Lisboa: Edições 70, 2014.

BONDÍA, J. L. “Notas sobre a experiência e o saber da experiência”. Revista Brasileira de Educação, n. 19 , Jan/Fev/Mar/Abr, 2002, p. 20-28.

COCCIA, E. A vida sensível. Florianópolis: Cultura e Barbárie, 2010.

GARRAMUÑO, F. A experiência opaca: literatura e desencanto. Rio de Janeiro: EdUerj, 2012.

GARRAMUÑO, F. Frutos estranhos: sobre a inespecificidade na estética contemporânea. Rio de Janeiro: Rocco, 2014.

GARRAMUÑO, F. “Formas da impertinência”. In: Expansões contemporâneas: Literatura outras formas. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014b. p. 91-108.

GULLAR, F. Teoria do Não Objeto. In: Experiência neoconcreta: momento-limite da Arte. São Paulo: Cosac Naify, 2007.

JUSTINO, M. J. Seja marginal, seja herói. Paraná: Editora UFPR, 1998.

LOEB, A. V. “Os Bólides do Programa Ambiental de Hélio Oiticica”. Revista Ars, ano 9, no 17, p. 48-77, 2010.

MACIEL, M. E. As ironias da ordem: coleções, inventários, enciclopédias ficcionais. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

OITICICA, H. Aspiro ao grande labirinto. Rio de Janeiro: Rocco, 1986.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2018 Annelise Estrella Galeazzi

Downloads

Não há dados estatísticos.