Cultura artística ituana
PDF

Palavras-chave

Cultura artística
Itu
Ourives

Como Citar

ZEQUINI, A. Cultura artística ituana: explorando o caso do ourives Thomaz da Silva Dutra. Encontro de História da Arte, Campinas, SP, n. 13, p. 184–190, 2018. DOI: 10.20396/eha.13.2018.4338. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/eventos/index.php/eha/article/view/4338. Acesso em: 26 fev. 2024.

Resumo

O Oficial de Ourives, mulato, Thomaz da Silva Dutra, pai de Miguel Archanjo Benício de Assumpção Dutra, o Miguelzinho Dutra, viveu em Itu entre os anos de 1809 até o seu falecimento em 1835. Diante da pesquisa documental realizada, principalmente, em documentos pertencentes ao Arquivo do Museu Republicano de Itu, como Inventários post-mortem e Testamentos relacionados aos membros de sua família, aliado a um importante documento de suas Memórias escrito por Miguel Dutra, pertencente ao acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo e ainda pouco conhecido pelos pesquisadores de sua biografia, intitulado “Depósito dos Trabalhos de Miguel Archanjo Benicio de Assumpção Dutra – 1847” possibilitou o levantamento de informações sobre a Vila de Itu na época em que Thomaz, seu filho Miguel e família ali residiram. As informações acerca da rede de sociabilidade em torno especialmente de seu Miguel Dutra, permitiram levantar algumas informações importantes sobre sua formação artística que aprendeu junto aos membros das ordens religiosas que em Itu se estabeleceram e estavam em plena atividade na Vila de Itu do início do século XIX e, desmistificar o fato de ter sido este artista um autodidata.

https://doi.org/10.20396/eha.13.2018.4338
PDF

Referências

ANDRADE, Mário de. Padre Jesuíno, do Monte Carmello. São Paulo: Martins ed. 1963.

BARBAS, Manoel Valente. A Igreja de Nossa Senhora da Candelária de Itu. A Pintura e Douração Internas Originais e a reforma descaracterizadora de sua fachada. Revista ASBRAP n. 11.

DUTRA, Miguel. Depósito dos trabalhos Miguel Archanjo Benicio Assumpção Dutra, 1847. Documento Manuscrito pertencente à Biblioteca Walter Way – Estação Pinacoteca datado de 1847.

CERQUEIRA, Carlos Gutierrez. Entalhador da Matriz revela-se em inventário do mecenas da Itu Colonial. Resgate-História e Arte II. Disponível em: https://docs.google.com/viewer a=v&pid=sites&srcid=ZGVmYXVsdGRvbWFpbnxyZXN YXRlaGlzdG9yaWFlYXJ0ZXxneDo2YzVlNTEwYmMyYjA4 TY0. Acesso em 10 set. 2018.

NARDY FILHO, Francisco. Sacerdotes Ituanos. Jornal A Federação, Itu, SP. 18 dez. 1949.

PETRONE, Maria Thereza. A lavoura canavieira em São Paulo: expansão e declínio (1765-1851). São Paulo. Difusão Europeia do Livro. 1968. (Coleção "Corpo e Alma do Brasil", volume 21).

QUEIROZ, Suely Robles Reis de. Algumas notas sobre a lavoura do açúcar em São Paulo no período colonial. Anais do Museu Paulista. Vol. 21, 1968.

RIBEIRO, José Jacinto. Cronologia Paulistana, 2º. Vol. Primeira Parte. São Paulo: s/ed. 1901.

SERGL. Marcos Julio. Tese Doutorado. Ópera e Música Sacra em Itu. Departamento Artes Cênicas da Escola de Comunicação e Artes.USP, 1999.

TOSCANO, João Walter. Itu/Centro Histórico: Estudos para Preservação. Dissertação de Mestrado. São Paulo, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, USP, 1981.

ZEQUINI, Anicleide. História de Fazendas: o Bairro do Pirahy, atual Pedregulho. Itu, SP. 2016. Disponível em: http://www.itu.com.br/artigo/as-fazendas-de-acucar bairro-pirahy-itusao-paulo-20161215.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2018 Anicleide Zequini

Downloads

Não há dados estatísticos.