A arquitetura e o habitus no museu paisagem de arte contemporânea (MPAC)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/visuais.v8i2.17422

Palavras-chave:

Público, Habitus, Museu paisagem de arte contemporânea (MPAC), Arte contemporânea

Resumo

O estudo das relações entre os públicos, a arquitetura e a expografia de museus paisagens de arte contemporânea (MPACs) são fundamentais para os projetos de curadoria e design de exposições nesses espaços. O objetivo deste ensaio teórico é problematizar as relações entre a arquitetura da arte e a interação com os públicos nos MPACs. Partimos dos conceitos de Habitus (Bourdieu, [1966]2007), caixa arquitetônica (Cruz Pinto, 2007) e museu ativo (Montaner, 1995), utilizando a pesquisa qualitativa com revisão bibliográfica. Concluímos que o diálogo entre a arquitetura da arte, o parque/jardim, as exposições de arte e os públicos em MPACs tem de estar permanentemente presentes, desde a concepção inicial do museu, até as modificações cotidianas por ocasião das montagens e desmontagens de exposições temporárias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Robson Xavier da Costa, Universidade Federal da Paraíba

Pós-Doutor pelo Universidade de São Paulo. Docente e Investigador dos Programas de Pós-Graduação em Artes Visuais e do Programa de Pós-Graduação em Computação, Comunicação e Arte da Universidade Federal da Paraíba.

Referências

ARTHUR, Paul; PASSINI, Romedi. Wayfinding: people, signs and arquitecture. Oakville, Ontário: Focus Strategic Communications, incorporated, 2002.

BOURDIEU, Pierre. As regras da arte: gênese e estrutura do campo literário. Trad. Maria Lucia machado. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

BOURDIEU, Pierre; DARBEL, Alain . [1966]. O amor pela arte: os museus de arte na Europa e seu público. Trad. Guilherme João de Freitas Teixeira. São Paulo: Edusp, 2007.

BRUZZI, Hygina Moreira. Do visível ao tangível: em busca de um lugar pós-utópico. Belo Horizonte: C/Arte, 2001.

CASTILLO, Sonia Salcedo del. Cenário da arquitetura da arte. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

CRUZ PINTO, Jorge. A caixa - Metáfora e Arquitectura. Col. Arquitectura e Urbanismo. Vol. I. Lisboa: ADC Editores/Universidade Técnica de Lisboa, 2007.

DUARTE, Rui Barreiros. Determinantes conceptuais dum Museu Temático. In: GUIMARÃES, Cêça (Org.). Museografia e arquitetura de museus: conservação e técnicas sensoriais. Rio de Janeiro: Faculdade de Arquitetura da UFRJ, 2012, p. 70 a 81.

FREIRE, Ricardo. O melhor passeio que você ainda não fez. 22 de setembro de 2010. Disponível em: http://www.viajenaviagem.com/2010/09/inhotim-o-melhor-passeio-que-voce-ainda-nao-fez/. Acesso em: 16.07.2013.

GONÇALVES, Lisbeth Rebollo. Entre cenografias – o museu e a exposição de arte no século XX. São Paulo: EDUSP/FAPESP, 2004.

GRANDE, Nuno (Editor). Museumania: museus de hoje, modelos de ontem. Colecção de arte contemporânea público de Serralves. Nº 12. Porto, Portugal: Fundação de Serralves, 2009.

LOURENÇO, Maria Cecília França. Museus acolhem moderno. São Paulo: EDUSP, 1999.

LYNCH, Kevin. A boa forma da cidade. Trad. Jorge Manuel Costa Almeida e Pinho. Lisboa: Edições 70, 2010.

LYNCH, Kevin. A imagem da cidade. Trad. Maria Cristina Tavares Afonso. Lisboa: Edições 70, 2009.

MONTANER, Josep Maria. Museos para el nuevo siglo/Museums for the new century. Edição em catalão/inglês. Barcelona: Editorial Gustavo Gilli, 1995.

MOTA, Renata Vieira da. Museu e cidade: o impasse dos MACs. Tese de doutorado. Orientadora Drª Maria Cecília França Lourenço. São Paulo: FAU/USP, 2009.

NUNES, Hélio. Instituto Inhotim. Disponível em: http://www.canalcontemporaneo.art.br/brasa/archives/002515.html. Acesso em: 16.07.2013.

PLAZA, Ferran Urgell. Manual de estúdios de público de museos. Gijón, Espanha: Editorial TREA, 2014.

RASMUSSEN, Steen Eiler. Arquitetura vivenciada. Trad. Álvaro Cabral. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

RICOEUR, Paul. In: ABREU, Pedro Marques de. Moral da história: o conceito de narratividade na concepção de exposições. In: GUIMARÃES, Cêça (Org.). Museografia e arquitetura de museus: conservação e técnicas sensoriais. Rio de Janeiro: Faculdade de Arquitetura da UFRJ, 2012.

SERRA, Richard. Andar é medir. In: LEITE, Elvira e VICTORINO, Sofia. Arte e paisagem. Colecção Cadernos de Arte Contemporânea #1. Porto – Portugal: Fundação de Serralves, 2006.

TUAN, Yi-Fu. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. São Paulo: DIFEL, 1980.

Downloads

Publicado

2022-12-06

Como Citar

COSTA, R. X. da . A arquitetura e o habitus no museu paisagem de arte contemporânea (MPAC). Revista Visuais, Campinas, SP, v. 8, n. 2, p. 48–62, 2022. DOI: 10.20396/visuais.v8i2.17422. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/visuais/article/view/17422. Acesso em: 3 fev. 2023.