Banner Portal
Arquivo e hibridização
PDF

Palavras-chave

Arquivo
Paulo Gaiad
Hibridizações
O Banquete
Multiplicidade interpretativa.

Como Citar

SIEBERT, M. C. Arquivo e hibridização: multiplicidades interpretativas nas obras de Paulo Gaiad. Revista Visuais, Campinas, SP, v. 3, n. 5, p. 116–125, 2017. DOI: 10.20396/visuais.v3i5.12024. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/visuais/article/view/12024. Acesso em: 23 mar. 2023.

Resumo

O presente artigo busca analisar o arquivo como um sistema de potenciais hibridizações, as quais permitem conexões entre percepções e/ou sensibilidades que podem ser, à priori, consideradas distantes ou desconexas. Essas questões serão discutidas a partir da obra do artista Paulo Gaiad e das interpretações múltiplas que ela sugere devido às hibridizações presentes nela, não só pelo viés da fatura e das suas obras de técnica denominada "mista", mas também pelo discurso do próprio artista.  A questão da multiplicidade interpretativa na obra de Gaiad será colocada em um diálogo com o texto "O Banquete" de Platão, no qual essa questão é debatida a cerca do sentimento do amor. 

https://doi.org/10.20396/visuais.v3i5.12024
PDF

Referências

BASCHIROTTO, Viviane. Considerações sobre o gesto na fatura, in Paulo Gaiad. In: Dossiê Paulo Gaiad, Revista Punctum, Florianópolis: UFSC, 2012.

CHEREM, Rosângela, SOARES, Luiz Felipe. (Con-)ficções: imaginação poética e vestígios mnemônicos. In: Dossiê Paulo Gaiad, Revista Punctum, Florianópolis: UFSC, 2012.

DERRIDA, Jacques. Mal de arquivo: uma impressão freudiana. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001. Itaú Cultural. Disponível em: http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa9163/paulo-gaiad?utm_source=paulo%20gaiad&utm_medium=/pessoa9163/paulo-gaiad&utm_campaign=pagina_busca. Acesso em: 18 dez. 2016.

NARLOCH, C. Das artes liberais ao hibridismo: as revoluções dos conceitos nas artes visuais. In: LAMAS, Nadja de Carvalho. (Org). Arte contemporânea em questão. Joinville (SC): Editora da Univille, 2007.

PLATÃO. O banquete. São Paulo: Martin Claret, 2015.

Downloads

Não há dados estatísticos.