Materiais para o ensino e a aprendizagem de matemática e os Centros de Vivências Lúdicas: : Oficinas Pedagógicas da rede pública de ensino do Distrito Federal

Palavras-chave: Oficinas Pedagógicas (OPs). Tangram. Formação continuada de professores.

Resumo

Neste trabalho objetivou-se apresentar as Oficinas Pedagógicas (OPs) como lócus para produção de materiais de ensino e de aprendizagem e para formação continuada de professores da rede pública do Distrito Federal (DF). Utilizou-se como referencial teórico Alferes e Mainardes (2011), Fiscarelli (2008), Gallego e Jiménez (2012) e Souza (2013). Como exemplo dos materiais utilizados no trabalho dessas OPs, elegemos o Tangram para análise e verificamos os saberes, os valores e os significados construídos em torno de sua utilização. Concluímos que as OPs são um espaço permanente e disponível aos professores, mantendo seus cursos alicerçados no fazer manual, com a ludicidade como eixo, sendo provocadoras de autoformação e formação coletiva prático-teórica e experiencial.

Biografia do Autor

Monica Menezes de Souza, SEEDF

Possui graduação em Ciências Com Habilitação Em Matemática pelo Centro de Ensino Unificado de Brasília (1989), mestrado em Educação pela Universidade de Brasília - UnB (2003), mestrado em Educação pela Universidade Católica de Brasília - UCB (2002) e doutorado em Educação Matemática pela Universidade Anhanguera de São Paulo - UNIAN (2015). Atualmente é professora da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal - SEEDF. Tem experiência na área de Matemática, com ênfase em Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: geometria, atividade interdisciplinar, ensino e aprendizagem, educação matemática e lúdico.

Carmyra Oliveira Batista, SEEDF, COMPASSODF

Doutorado em Educação pela Universidade de Brasília (2008), mestrado em Educação pela Universidade de Brasília (2003),especialização em Educação Matemática pela Universidade do Sul de Santa Catarina-UNISUL (2005), especialização em Fundamentos Educacionais para a Formação dos Profissionais para a Educação Básica - início de escolarização pela Universidade de Brasília (2003). Professora da SEEDF, atuando na Escola de Aperfeiçoamento dos Profissionais da Educação-EAPE. Participa do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação Matemática-COMPASSODF.

Rosália Policarpo Fagundes de Carvalho, UDF, SEEDF, COMPASSODF

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Católica de Brasília (2000), mestrado em Educação pela Universidade Católica de Brasília (2005) e doutorado em Educação Matemática pela Universidade Anhanguera de São Paulo (2017) Integrante do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação Matemática COMPASSODF e do Grupo de Pesquisa de História da Educação Matemática no Brasil. Atualmente é professora da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal - SEEDF e do Centro Universitário do Distrito Federal - UDF, atuando principalmente nos seguintes temas: História da Educação Matemática; Educação Matemática; Metodologia do ensino de Matemática na Educação Infantil e nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental.

Edilene Simões Costa dos Santos, UFMS, COMPASSODF

Possui doutorado em Educação em Ciências e Matemática pela Universidade de Brasília, mestrado na área de Educação/ Ensino e Aprendizagem pela Universidade Católica de Brasília ,especialização em Manejo de recursos ambientais pela Universidade Federal de MS e graduação em Ciências Habilitação Em Matemática pelo UniCeub/D.F Professora do Instituto de Matemática da UFMS - Programa de Pós-graduação em Educação Matemática da UFMS a partir de 2015. Faz parte dos grupos de pesquisa: Compasso-DF, GPHEME, GHEMATe.

Referências

ALFERES, Marcia Aparecida; MAINARDES, Jefferson. A formação continuada de professores no Brasil. Seminário de Pesquisa do PPE. Universidade Estadual de Maringá, 2011. Disponível em: http://www.ppe.uem.br/publicacoes/seminario_ppe_2011/pdf/1/001.pdf. Acesso em: 1 fev. 2019.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais – Introdução e Terceiro e Quarto ciclos do Ensino Fundamental - Matemática. Brasília: MEC/SEF, 1998. 148 p.

BRASÍLIA. Secretaria de Estado de Educação. Catálogos de jogos das Oficinas Pedagógicas. 1997.

BRASÍLIA. Secretaria de Estado de Educação. Catálogos de jogos das Oficinas Pedagógicas. 2007.

BRASÍLIA. Secretaria de Estado de Educação. Curso Na prática a teoria é outra? Oficinas Pedagógicas. 1999.

BRASÍLIA. Portaria Nº 388, de 29 de Novembro de 2018. Dispõe sobre as atividades desenvolvidas pelas Oficinas Pedagógicas (Centros de Vivências Lúdicas - Oficinas Pedagógicas) da Rede Pública de Ensino do Distrito Federal e dá outras providências. Disponível em: http://www.planejamento.gov.br/assuntos/orcamento-1/orcamentos-anuais/2018/legislacao/alteracoes/portaria-mp-no-388-de-29-de-novembro-de-2018.pdf/view. Acesso em: 15 dez. 2018.

BRASÍLIA. Secretaria da Educação do Distrito Federal. Fundação Educacional do Distrito Federal. Departamento Geral de Pedagogia. Orientação Pedagógica Nº 8. 1989a.

BRASÍLIA. Secretaria da Educação do Distrito Federal. Documento Síntese do I Encontro das Oficinas Pedagógicas. 1989b. mimeo.

BRASÍLIA. Secretaria de Educação. Fundação Educacional. Lugar da criança é na escola. Balanço de quatro anos do Governo Democrático e Popular na Educação. 1998.

ENAPHEM - Encontro Nacional de Pesquisa em História da Educação Matemática, 2., 2014. Anais... Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/135307. Acesso em: 15 dez. 2018.

ENAPHEM - Encontro Nacional de Pesquisa Em História da Educação Matemática, 3., 2016, São Mateus, ES. Anais [...] Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/171651. Acesso em: 15 dez. 2018.

FISCARELLI, Rosilene B de O. Material didático: discurso e saberes. São Paulo: Editores Junqueira & Marin, 2008.

GALLEGO, Dolores C.; JIMÉNEZ, Encarna S. El uso de materiales en la enseñanza de la matemática escolar (1925-1936). In: Foro Ibérico de Museísmo Pedagógico – V Jornadas Científicas de la SEPHE, 3., 2012. Anais [...] Disponível em: http://congresos.um.es/fimupesephe/fimupesephe2012/paper/viewFile/15021/11991. Acesso em: 10 jan. 2019.

IMENES, Luiz Márcio; LELLIS, Marcelo. Matemática 6ª e 7ª séries. São Paulo: Editora Scipione, 1997.

KISHIMOTO, Tizuko M. O brincar e suas teorias. São Paulo: Pioneira, 1998.

MUÑIZ, Elza Lúcia M.; SOUZA, Mônica Menezes de; FERREIRA, Cristina de Fátima F. Oficinas pedagógicas da SEEDF: espaço lúdico de formação continuada de professores. In: Congresso Luso Brasileiro da História da Educação – COLUBHE, 10., 2014. Anais [...]

NEGRINE, Airton. Ludicidade como ciência. In: SANTOS, Santa Marli (Org.). Ludicidade como ciência. Petrópolis: Vozes, 2001.

OFICINAS pedagógicas – 30 anos. Entrevista de Maria Eunice Fernandes. 2016a. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=4dnq3gMW3lk&t=145s. Acesso em: 27 jan. 2019.

OFICINAS pedagógicas – 30 anos. Entrevista de Ruiter Lima. 2016b. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=4dnq3gMW3lk&t=145s. Acesso em: 27 jan. 2019.

SILVA, Maria José de Aragão Capdeville. Oficinas Pedagógicas na história: um espaço de construção da ludicidade na educação do Distrito Federal. Revista Com Censo Brasília, Revista RCC#10, Brasília: SEEDF, v. 4, n.10, p. 79-82, jun. 2017.

SOUZA. Rosa de Fátima. Objetos de ensino: a renovação pedagógica e material da escola primária no Brasil, no século XX. Educar em Revista, Curitiba: Editora UFPR, n. 49, p. 103-120, jul./set. 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/er/n49/a07n49.pdf. Acesso em: 20 jan. 2019.
Publicado
2019-12-02
Como Citar
Souza, M. M. de, Oliveira Batista, C., Policarpo Fagundes de Carvalho, R., & Simões Costa dos Santos, E. (2019). Materiais para o ensino e a aprendizagem de matemática e os Centros de Vivências Lúdicas: : Oficinas Pedagógicas da rede pública de ensino do Distrito Federal. RIDPHE_R Revista Iberoamericana Do Patrimônio Histórico-Educativo, 5, e019022. https://doi.org/10.20888/ridphe_r.v5i0.9856
Seção
DOSSIÊ TEMÁTICO