História oral, velhice e o tempo presente: o contexto do patrimônio cultural rural paulista

Palavras-chave: Velhice. História Oral. Patrimônio

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar e refletir sobre a contribuição da história oral nos estudos sobre o patrimônio e as ações de educação patrimonial em fazendas históricas paulistas. As questões aqui problematizadas fazem parte de uma pesquisa recentemente concluída, onde o patrimônio é explorado como espaço educacional dentro de uma visão da educação não formal no contexto rural, voltado para o público idoso, de formações educacionais e classes sociais diversas. A pesquisa sobre o patrimônio cultural rural paulista se torna um trabalho sobre a utilização dos bens culturais como fonte de lazer e turismo, possibilitando um exercício de sensibilização para a valorização dos espaços rurais, a partir da análise das representações dos sujeitos e seus papéis, o imaginário rural, e da decodificação dos valores existentes naquele espaço.

 

Biografia do Autor

Lívia Morais Garcia Lima, UNISAL - Centro Universitário Salesiano de São Paulo

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP . Realizou estágio de pesquisa doutoral pela Universidade Pontifícia de Salamanca - Espanha, como bolsista BEPE - FAPESP (2013 - 2014). Possui mestrado em Gerontologia pela Universidade Estadual de Campinas (2010) e é graduada em Turismo pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2007). É pesquisadora do GEPHOM - Grupo de Estudo e Pesquisa em História Oral e Memória (EACH-USP). Atualmente é docente do Programa de Mestrado em Educação do Unisal - Americana/SP.

Referências

AFONSO, Almerindo. Sociologia da educação não formal: Reactualizar um objecto ou construir uma nova problemática? In: ESTEVES, A. J; STOER, S. R. A sociologia na escola. Porto: Afrontamento, 1989.

ALMEIDA, Maria. Prefácio. In: PAES, M.T.D; OLIVEIRA, M.R.S (orgs). Geografia, Turismo e Patrimônio Cultural. São Paulo: Annablume, 2010.

BARRETTO, Margatita. Turismo e Identidade Local: Uma visão antropológica. Campinas, (SP): Papirus; 2001.

CABRAL, Magaly. Memória, patrimônio e educação. In: Resgate: Revista de Cultura, p. 35-42, n. 13. Campinas (SP): Centro de Memória UNICAMP, 2004.

DAVIS, K. Biography as critical methodology. In: Newsletter Research Committee of ISA, n. 38, Utrecht University, 2003.

DEBERT, Guita. A construção e a reconstrução da velhice: família, classe social e etnicidade. In: NERI, Anita, DEBERT, Guita. (orgs.). Velhice e sociedade. Campinas (SP), Papirus; 1999.

FAUSTINO, Ricardo. O turismo em espaço rural como modo de valorização do Patrimônio Cultural: estudos de caso na média depressão periférica paulista: o caso das Fazendas Capoava e Ibicaba [tese – doutorado]. São Paulo (SP). Programa de Pós – Graduação em Geografia. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Universidade de São Paulo/ USP; 2006.

GARCIA, Valéria Aroeira. A educação não formal como acontecimento. Tese de doutorado. Faculdade de Educação - Universidade Estadual de Campinas, 2009.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo (SP): Vértice; 1990.

LANG, Beatriz Gordo (org). História Oral: procedimentos e possibilidades. In: Desafios da pesquisa em Ciências Sociais. Texto 8, série 2. São Paulo: CERU, p. 91 – 112, 2001.

LANG, Beatriz Gordo; CAMPOS, Maria Cristina.; DEMARTINI, Zeila. Historia Oral, Sociologia e Pesquisa: a abordagem do CERU. São Paulo: Humanitas, 2010.

MARINS, Paulo. Preservação do patrimônio rural no Estado de São Paulo: entre ação governamental e práticas sociais. In: CORREIA, Tania; BORTOLUCCI, Maria Angela. (orgs). Lugares de produção: arquitetura, paisagens e patrimônio. São Paulo: Annablume, 2013.

MEIHY, José; HOLANDA, Fabíola. Historia Oral: como fazer, como pensar. São Paulo: Contexto, 2007.

OLIVEIRA, Gláucia. Gestão e vivências de velhices nas Repúblicas de Idosos de Santos [dissertação - mestrado]. Programa de Pós – Graduação em Antropologia. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Universidade de São Paulo. São Paulo/USP; 2009.

PORTELLI, Alessandro. O que faz a história oral diferente. In: Projeto História: Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em História e do Departamento de História da PUC-SP. (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo). São Paulo: 1997.

SIMSON, Olga, PARK, Margareth, FERNANDES, Renata Sieiro. Educação não formal: Cenários da criação. Campinas (SP): Editora da UNICAMP/Centro de Memória; 2001.

SIMSON, Olga, GIGLIO, Zélia. A arte de recriar o passado: história oral e velhice bem-sucedida. In: NERI A. L. (org). Desenvolvimento e Envelhecimento: Perspectivas Biológicas, Psicológicas, Sociológicas. Campinas (SP): Papirus; 2001.

SANTHIAGO, Ricardo; MAGALHÃES, Valéria. Depois da utopia: a história oral em seu tempo. São Paulo: Letra e Voz: FAPESP, 2013.

TOGNON, Marcos. Patrimônio: entre passado e presente. In: PARK, M.B. (org). Formação de Educadores: memória, patrimônio e meio ambiente. Campinas – SP: Mercado de Letras, 2003.

TOGNON, Marcos. Patrimônio Cultural Rural Paulista: espaço para pesquisa, educação e turismo (oitava chamada para o Programa de Pesquisas em Políticas Públicas da FAPESP – PPPP/2007). Cidade Universitária Zeferino Vaz, Campinas, SP: Centro de Memória – UNICAMP; 2007.

THOMPSON, Paul. Histórias de Vida como Patrimônio da Humanidade. In: HISTÓRIA FALADA: memória, rede e mudança social. SESC SP: Museu da Pessoa: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo. São Paulo: 2006.

Publicado
2019-04-30
Como Citar
Lima, L. M. G. (2019). História oral, velhice e o tempo presente: o contexto do patrimônio cultural rural paulista. RIDPHE_R Revista Iberoamericana Do Patrimônio Histórico-Educativo, 5, e019007. https://doi.org/10.20888/ridphe_r.v5i0.9701
Seção
DOSSIÊ TEMÁTICO