Banner Portal
A presença indígena brasileira nas Bienais de São Paulo
Capa: Eliseu Visconti. Garotos da Ladeira, c. 1928. Óleo sobre tela, 57 x 81 cm. Coleção Particular. Fonte da Imagem: Catálogo Raisonné https://eliseuvisconti.com.br/obra/p560/
PDF

Palavras-chave

Artes indígenas
Arte indígena contemporânea
Bienal de São Paulo
Protagonismo indígena

Como Citar

MARQUES, D. A presença indígena brasileira nas Bienais de São Paulo. Revista de História da Arte e da Cultura, Campinas, SP, v. 4, n. 1, p. 73–88, 2023. DOI: 10.20396/rhac.v4i1.17374. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/rhac/article/view/17374. Acesso em: 4 mar. 2024.

Resumo

Este texto tem como objetivo refletir sobre a presença indígena nas Bienais de São Paulo, relacionando-a ao recente e crescente protagonismo indígena nas artes visuais brasileiras. Busca apresentar por um lado, um breve mapeamento desde a primeira edição, a partir da consulta em catálogos, materiais impressos, vídeos, fotografias e páginas virtuais que abordaram as temáticas. E por outro, analisar a participação de cinco artistas indígenas, que vivem em território brasileiro, na 34ª Bienal de Arte de São Paulo, onde foi realizado um trabalho de campo dentro do espaço expositivo, ocasião em que aliamos observação e captação fotográfica (olhar); conversas e entrevistas gravadas (escutar); notas em um caderno de campo (escrever).

https://doi.org/10.20396/rhac.v4i1.17374
PDF

Referências

BIENAL de São Paulo. 34ª edição. Catálogo Faz escuro mas eu canto. OSE, Elvira. (org.) Curadoria: Jacopo Crivelli Visconti, Paulo Miyada, Carla Zaccagnini, Francesco Stocchi, Ruth Estévez. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 2021.

ACADEMIA da Língua Nheengatu. Disponível em: https://webindigena.iel.unicamp.br/nheengatu/index.php/167-2/. Acesso em: 2 jun. 2023.

AMARANTE, Leonor. As bienais de São Paulo / 1951 a 1987. São Paulo: Projeto, 1989, p. 237.

BANIWA, Denilson. Hackenado a 33ª Bienal de Artes de SP. Youtube. 17 nov. 2018. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=MGFU7aG8kgI. Acesso em: 10 ago. 2022.

ENTREVISTA concedida por ARAÚJO, Heloísa Helena. Entrevista XXV. [nov. 2021]. Entrevistadora: Daiane Marques. São Paulo, 2022. 1 arquivo mp3 (2 min. e 46 seg.).

ENTREVISTA concedida por BANDEIRA, Pedro Lessa. Entrevista II. [nov. 2021]. Entrevistadora: Daiane Marques. São Paulo, 2022. 1 arquivo .mp3 (36 min. e 25 seg.).

ENTREVISTA concedida por CARDOSO, Diego Borges; FERNANDES, Lucas. Entrevista XXI. [nov. 2021]. Entrevistadora: Daiane Marques. São Paulo, 2022. 1 arquivo .mp3 (10 min. e 31 seg.).

ENTREVISTA concedida por EMI, Lia Cazumi Yokoyama. Entrevista VII. [nov. 2021]. Entrevistadora: Daiane Marques. São Paulo, 2022. 1 arquivo .mp3 (39 min. e 34 seg.).

ENTREVISTA concedida por FLORIANO, Letícia; MONTEIRO, Viviane. Entrevista XXI. [nov. 2021]. Entrevistadora: Daiane Marques. São Paulo, 2022. 1 arquivo .mp3 (10 min. e 31 seg.).

ESBELL, Jaider. A Arte Indígena Contemporânea como armadilha para armadilhas. Jaider Esbell. 9 jul. 2020. Disponível em: http://www.jaideresbell.com.br/site/2020/07/09/a-arte-indigena-contemporanea-como-armadilha-para-armadilhas/. Acesso em: 10 ago. 2022.

ESBELL, Jaider. Arte Indígena Contemporânea e o grande mundo. Jaider Esbell. 14 jun. 2018. Disponível em: http://www.jaideresbell.com.br/site/2018/06/14/territorios/. Acesso em: 1 jun. 2023.

FUNDAÇÃO Bienal de São Paulo. Exposição Arte Plumária do Brasil. Catálogo da 17ª Bienal de São Paulo, 1983. Disponível em: http://www.bienal.org.br/publicacoes/2127. Acesso em: 10 ago. 2022.

GOLDSTEIN, Ilana. Da “‘representação das sobras” à “reantropofagia”: Povos indígenas e arte contemporânea no Brasil. MODOS: Revista de história da arte, v.. 3, n. 3, set./dez., 2019, p. 68-96. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/mod/article/view/8663183/25044. Acesso em: 10 ago. 2022.

JESUS, Naine Terena de. Manifestações estéticas indígenas: pensar o fazer arte indígena no Brasil. Revista Estado da Arte, v. 3, n. 2, 2022, p. 2. Disponível em: https://doi.org/10.14393/EdA-v3-n2-2022-66614. Acesso em: 1 de jun. 2023.

KRENAK, Ailton; CESARINO, Pedro N. As alianças afetivas. In: Incerteza Viva: Dias de estudo. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, p. 182, 2016.

MACHADO, Ricardo. Nem modernista, nem anti-modernista, a Arte Indígena Contemporânea (e cosmopolítica) na vanguarda de um Brasil que jamais foi moderno. Unisinos. 25 abr. 2022. Disponível em: https://www.ihu.unisinos.br/categorias/159-entrevistas/618002-nem-modernista-nem-anti-modernista-a-arte-indigena-contemporanea-e-cosmopolitica-na-vanguarda-de-um-brasil-que-jamais-foi-moderno. Acesso em: 1 jul. 2022.

MAM - Museu de Arte Moderna de São Paulo. Apresentação da exposição Moquém_Surarî: arte indígena contemporânea. YouTube. 16 set. 2021. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=zT5q2zID2Ac&t=2380s. Acesso em: 1 jul. 2022.

MORAIS, Carolina. Saiba onde ver arte indígena contemporânea em São Paulo. Folha de São Paulo, 1 dez. 2021. Disponível em: https://guia.folha.uol.com.br/passeios/2021/12/saiba-onde-ver-arte-indigena-contemporanea-em-sao-paulo.shtml. Acesso em: 11 de ago. 2022.

PIPA. Sobre o Prêmio. Disponível em: https://www.premiopipa.com/sobre-o-premio/. Acesso em: 10 ago. 2022.

QUEIROZ, Elisa Vieira; ALMEIDA, Débora Caroline Viana. Entre vistas, mundos e rios: arte e tecnologia digital na pussanga de Denilson Baniwa. Palíndromo, v. 13, n. 29, 2021, p. 266. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/palindromo/article/view/19247. Acesso em: 2 jun. 2023.

ROCHA, Marcelo Garcia. Arte indígena contemporânea por Denilson Baniwa. Rotura, n. 2, 2021, p. 95. Disponível em: publicacoes.ciac.pt/index.php/rotura/index/article/view/39. Acesso em: 2 jun. 2023.

SAAVEDRA, C. Literatura e arte indígena no Brasil. Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas. n. 33, p. 102–120, 2021. Disponível em: https://revistaveredas.org/index.php/ver/article/view/686. Acesso em: 29 maio. 2023.

SALA XINGU TERRA. Bienal de São Paulo. Disponível em: http://www.bienal.org.br/post/557. Acesso em: 10 ago. 2022.

TAVARES, Artur. O que são 70 anos diante de 521, meu querido. Elastica. 5 out. 2021. Disponível em: https://elastica.abril.com.br/especiais/jaider-esbell-bienal-mam/. Acesso em: 1 jul. 2022.

TERENA, Naine. Arte indígena no Brasil: midiatização, apagamentos e ritos de passagem. Oráculo Comunicação, Educação e Cultura, p. 26, 2022. Disponível em: https://oraculocomunica.eco.br/wp-content/uploads/2022/12/Arteindigena_NaineTerena.pdf. Acesso em: 1 jun. 2023.

TERENA, Naine. Quase um prólogo: Da máquina de roubar almas à máquina de registrar memórias. In: 32ª Bienal de São Paulo: Incerteza Viva: Dias de Estudo. Pesquisa para a 32ª Bienal em Santiago, Chile; Acra, Gana; Lamas, Peru; Cuiabá e São Paulo. Jochen Volz e Isabella Rjeille (Org.) São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, p.135, 2016. Disponível em: https://issuu.com/bienal/docs/32bsp_reader_web. Acesso em: 29 maio. 2023.

TERENA, Naine; PITTA, Fernanda. Retomando narrativas: a Mostra do Redescobrimento e o protagonismo indígena. In: MYADA, Paulo (org.). Bienal de São Paulo desde 1951. São Paulo: Bienal, 2022.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Daiane Marques

Downloads

Não há dados estatísticos.