Universidades do Brasil, da Espanha e da Itália na Pandemia da COVID-19 numa perspectiva comparada

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rbec.v2i..13780

Palavras-chave:

COVID-19, Governança, Universidades, Rankings Acadêmicos, Educação Comparada

Resumo

Investiga como as universidades brasileiras, espanholas e italianas mais bem situadas no ranking da Times Higher Education 2020, têm conduzido suas atividades durante a pandemia da Covid-19. A partir de pesquisa junto aos endereços eletrônicos das respectivas instituições e apoiados na literatura que analisa as mudanças que vêm ocorrendo no ensino superior, em perspectiva comparada, traça-se um panorama de como as universidades reagiram às restrições impostas pela pandemia. Um traço geral é que as universidades estrangeiras rapidamente migraram suas atividades de ensino para o modo remoto e no Brasil somente as estaduais paulistas o fizeram, enquanto as universidades federais paralisaram suas atividades de ensino no início da pandemia da COVID-19.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Remi Castioni, Universidade de Brasilia

Doutor em Educação pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. Professor Pesquisador da Universidade de Brasília. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq.

Adriana Almeida Sales de Melo, Universidade de Brasília

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. Professora da Universidade de Brasília.

Referências

Altbach, P. (1998). Comparative Higher Education: knowledge, the University and development. Wesport: Ablex Publishing.

Antunes, F. (2008). O espaço europeu de ensino superior para uma nova ordem educacional?. ETD - Educação Temática Digital, 9, 1-28. https://doi.org/10.20396/etd.v9in.esp.725

Balbachevsky, E., & Kohtamäki, V. (2019). Autonomia e Governança Universitária: uma abordagem comparativa USP (Brasil) e UTA (Finlândia). In: Marcovitch, J., et al (org.). Repensar a Universidade: Impactos para a Sociedade. São Paulo: Com-Arte/FAPESP. P. 235-48.

Calderón, A. I., & França, C. M. (2018) Rankings acadêmicos na educação superior: tendências da literatura ibero-americana. Avaliação: revista da avaliação da educação superior, Sorocaba, v. 23, p. 448-466.

Calderón, A. I., Pedro, R. F., & Vargas, M. C. (2011). Responsabilidade social da educação superior: a metamorfose do discurso da UNESCO em foco. Revista Interface – Comunicação, Saúde, Educação. V.15, n.39, p.1.185-98, out-dez.

Capano, G. (2011). Government continues to do its job. A comparative study of governance shifts in the higher education sector. Public Administration, v. 89, n. 4, p. 1622–1642.

CAPES (2020). Research in Brazil. A report for CAPES by Clarivate Analytics. Brasília: Clarivate Analytics. Disponível em: https://bityli.com/ibJuX. Publicado em 01/2018. Acesso em: 30 abr. 2020.

CNE/MEC. (2020). Reorganização do Calendário Escolar e da possibilidade de cômputo de atividades não presenciais para fins de cumprimento da carga horária mínima anual, em razão da Pandemia da COVID-19. Parecer N. 5/2020, aprovado em 28 abr. 2020. Brasília: CNE. Disponível em: https://bityli.com/x0IUi.

Melo, A. A. S. (2004). A mundialização da educação. Maceió: Edufal.

Osborne, S. P (2006). The New Public Governance? Public Management Review, v. 8, n. 3, p. 377–387.

Reimers, F. M., & Schleicher, A. (2020). A framework to guide an educational response to the COVID-19 Pandemic of 2020. OECD.

Sadlak, J. (2007). Why higher education is changing – Implications for access, governance, quality evaluation and funding. The Council of Higher Education, Ankara: Binkent University.

SantannaPisa (2020). Endereço eletrônico. Disponível em: https://www.santannapisa.it/it. Acesso em: 15 mai.

SNS (2020). Endereço eletrônico. Disponível em: https://www.sns.it/. Acesso em: 15 mai.

Torres, R. M. (2001). Educação para todos, a tarefa por fazer. São Paulo: Artmed.

UAB (2020). Endereço eletrônico. Disponível em: https://www.uab.cat/. Acesso em: 15 mai.

UAM (2020). Endereço eletrônico. Disponível em: https://www.uam.es. Acesso em: 15 mai.

UB (2020). Endereço eletrônico. Disponível em: https://www.ub.edu/web/ub/ca/. Acesso em: 15 mai.

UFMG (2020). Endereço eletrônico. Disponível em: https://ufmg.br/. Acesso em: 15 mai.

UFRGS (2020). Endereço eletrônico. Disponível em: http://www.ufrgs.br/ufrgs/inicial. Acesso em: 15 mai.

UFSC (2020). Endereço eletrônico. Disponível em: https://ufsc.br/. Acesso em: 15 mai.

UNAV (2020). Endereço eletrônico. Disponível em: https://www.unav.edu/. Acesso em: 15 mai.

UNIBO (2020). Endereço eletrônico. Disponível em: https://www.unibo.it/it. Acesso em: 15 mai.

Unicamp (2020). Endereço eletrônico. Disponível em: https://www.unicamp.br/unicamp/. Acesso em: 15 mai.

UNIPD (2020). Endereço eletrônico. Disponível em: https://www.unipd.it/. Acesso em: 15 mai.

UNISR (2020). Endereço eletrônico. Disponível em: https://www.unisr.it/homepage. Acesso em: 15 mai.

UPF (2020). Endereço eletrônico. Disponível em: https://www.upf.edu/inicio. Acesso em: 15 mai.

USP (2020). Endereço eletrônico. Disponível em: https://www5.usp.br/. Acesso em: 15 mai.

Downloads

Publicado

2020-09-30

Como Citar

Castioni, R., & Almeida Sales de Melo, A. (2020). Universidades do Brasil, da Espanha e da Itália na Pandemia da COVID-19 numa perspectiva comparada. RBEC: Revista Brasileira De Educação Comparada, 2, e020003. https://doi.org/10.20396/rbec.v2i.13780

Edição

Seção

Artigos