Colecionismo e autenticidade
Na imagem, há seis caixas de papelão com desenhos no fundo, dispostas em duas fileiras. Na fileira superior, a primeira caixa apresenta o desenho de uma árvore sem folhas, a segunda caixa apresenta uma tartaruga e a terceira caixa apresenta uma cadeira de rodinhas estofada. Na fileira inferior, a primeira caixa apresenta uma penteadeira com espelho de cabeça para baixo e as duas últimas caixas juntas formam o desenho de uma mesa de ponta cabeça. No canto superior direito, há o nome da revista e abaixo dele, a indicação de "10 anos". Na parte inferior, estão as informações sobre o volume e número da revista, bem como o ISSN.
PDF (Español (España))

Palavras-chave

Colonialismo
Autenticidade
Arte africana
Tradição
Arte turística

Como Citar

OVALLE, Bárbara Igor. Colecionismo e autenticidade: o colecionismo europeu e a categorização da arte africana tradicional. Proa: Revista de Antropologia e Arte, Campinas, SP, v. 9, n. 2, p. 189–202, 2019. DOI: 10.20396/proa.v9i2.17565. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/proa/article/view/17565. Acesso em: 24 jul. 2024.

Resumo

No presente trabalho, e de acordo com o ensaio de Sidney Kasfir intitulado “African Art and Authenticity: a Text with a Shadow”, abordaremos aspectos relativos ao fenômeno da divulgação da arte africana tradicional por parte do colecionismo europeu dos séculos XIX e XX, partindo da sua revalorização, avaliada pelos critérios de autenticidade e tradição, chegando até as categorias que UNESCO tem proposto para sua catalogação e diferenciação respeito da arte africana turística.

https://doi.org/10.20396/proa.v9i2.17565
PDF (Español (España))

Referências

BAUDRILLARD, Jean. El sistema de los objetos.Ciudad de México: Siglo XXI, 1969.

BUSCA, Joëlle. L’art contemporain Africain: Du colonialisme au postcolonialisme. París, L’Harmattan, 2000.

DIAWARA, Manthia. Africa ́s Art of Resistance. In: DIAWARA, Manthia. In Search of Africa. Massachussets/Londres: Harvard University Press, 1998, p.174-212

FUNDACIÓN ANTONI TÀPIES. África explora: arte africano del siglo XX. 1993. Disponible en: http://www.fundaciotapies.org/site/spip.php?rubrique199. Acceso: 1 sept. 2016.

RANGER, Terence. El invento de la tradición en el África Colonial. En: HOBSBAWM, Eric; RANGER, Terence. La Invención de la tradición. Barcelona: Crítica, 2002, p. 219-272.

KASFIR, Sidney. African Art and Authenticity: A Text with a Shadow. En: OGUIBE, Olu; ENWEZOR, Okwui. Reading the Contemporary: African Art from Theory to the Marketplace. Londres: Institute of International Visual Arts, 1999, p. 88-113.

MISOSOAFRICA, Un día en la vida de los bushmen. Santiago, 15 sept. 2011. Disponible en: http://misosoafrica.wordpress.com/2011/09/15/un-dia-en-la-vida-de-los-bushmen/. Acceso: 10 ago. 2017.

VANSINA, Jan. A arte e a sociedade após 1935. En: MAZRUI, Ali A.; WONDJI, Christophe História Geral da África: África desde 1935. Brasília: UNESCO, 2010. 8v. cap. 20. p. 697-760.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2019 Bárbara Igor Ovalle

Downloads

Não há dados estatísticos.