O trabalho artístico no Brasil

entre a pandemia e o pandemônio

Autores

Palavras-chave:

Trabalho artístico, Cultura, COVID-19, Censura, Pandemônio

Resumo

Examino a dupla agenda dos trabalhadores da cultura e das artes, o enfrentamento ao vírus e ao pandemônio administrativo do governo Bolsonaro. Minudencio aspectos da conjuntura do coronavírus e características da cultura brasileira desde o impeachment de 2016 que reverberam fortemente no trabalho artístico. Evidencio a necessidade de visibilidade ao trabalho do artista e a luta contra a censura. A análise é feita a partir de estatísticas, notícias e legislações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, Ronaldo de. Bolsonaro presidente: conservadorismo, evangelismo e a crise brasileira. Novos estud. Cebrap, São Paulo, v. 38, n. 1, p. 185-213, jan.–abr. 2019.

BECKER, Howard S. Art worlds. Berkeley: University of Califonia Press, 1982.

BRUM, Eliane. “Fui morto na internet como se fosse um zumbi da série The Walking Dead”, El Pais, Opinião, Madri, Belo Horizonte, 12 de fevereiro, 2008. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2018/02/12/opinion/1518444964_080093.html. Acessado no dia 13/08/2020.

CANDIDO, Marcia Rangel; CAMPOS, Luiz Augusto. Pandemia reduz submissões de artigos acadêmicos assinados por mulheres, Blog DADOS, 2020, 14 de maio, 2020]. Disponível em: http://dados.iesp.uerj.br/pandemia-reduz-submissoes-de-mulheres/. Acessado no dia 15 de agosto de 2020.

CARNEIRO, Júlia Dias. 'Queermuseu', a exposição mais debatida e menos vista dos últimos tempos, reabre no Rio. BBC Brasil, Rio de Janeiro, 16 de agosto de 2018. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-45191250. Acesso no dia 13 de agosto de 2020.

COLI, Juliana. Vissi D’arte: por amor a uma profissão. São Paulo: Annablume, 2006.

ELIAS, Norbert. Mozart: Sociologia de um Gênio. São Paulo: Zahar, 1997.

FIRJAN. Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro. Mapeamento da Indústria Criativa no Brasil. Estudos e pesquisas. Ambiente socioeconômico, fevereiro, 2019. Disponível:https://www.firjan.com.br/EconomiaCriativa/downloads/MapeamentoIndustriaCriativa.pdf. Acessado em 13/08/2020.

GIMENEZ, Fernando A. P. Empreendedor cultural: uma identidade rejeitada? Pol. Cult. Rev., Salvador, v. 11, n. 1, p. 369-392, jan./jun. 2016.

KISSLER, Stephen. et al. Projecting the transmission dynamics of SARS-COV-2 through postpandemic period, Science, v. 368, n. 6493, p. 860-868, maio de 2020. Disponível em: https://science.sciencemag.org/content/early/2020/08/11/science.abb5793. Acessado em 14 de agosto de 2020.

LYNCH, Christian E. C. Conservadorismo caleidoscópico: Edmund Burke e o pensamento político do Brasil oitocentista. Lua Nova, n. 100, p. 313, 362, 2017.

MACHADO, Ana Flávia et al. Efeitos da Covid-19 na Economia da Cultura no Brasil. CEDEPLAR. Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional da Universidade Federal de Minas Gerais. Nota técnica, 2020. Disponível em: https://www.cedeplar.ufmg.br/noticias/1235-nota-tecnica-efeitos-da-covid-19-na-economia-da-cultura-no-brasil. Acessado no dia 11 de agosto de 2020.

MADEIRA, R. M, QUADROS, M. P. Fim da direita envergonhada? Atuação da bancada evangélica e da bancada da bala e os caminhos da representação do conservadorismo no Brasil. Opinião Pública, Campinas, v. 24, n. 3, p. 486-522, set.-dez., 2018.

MAIA, Maria Carolina. Peça censurada sobre Jesus travesti prega amor e respeito. Veja. Entretenimento. São Paulo, 28 de setembro de 2017. Disponível em: https://veja.abril.com.br/entretenimento/peca-censurada-sobre-jesus-travesti-prega-amor-e-respeito/. Acesso no dia 13 de agosto de 2020.

MENGER, Pierre-Michel. Retrato do artista enquanto trabalhador: metamorfoses do capitalismo. Lisboa: Editora Roma, 2005.

MIGUEL, Luís Felipe. O pensamento e a imaginação no banco dos réus: ameaças à liberdade de expressão em contexto de golpe e guerras culturais. Pol. Cult. Rev., Salvador, v. 11, n. 1, p. 37-59, jan./jun. 2018.

MORAES, Reginaldo C. Neoliberalismo: de onde vem, para onde vai? São Paulo: Editora Senac, 2001. Disponível em: https://reginaldomoraes.files.wordpress.com/2012/01/livro_neoliberalismo.pdf . Acessado em: 20 de março de 2021.

MORAES, Reginaldo C. Reformas neoliberais e políticas públicas: hegemonia ideológica e redefinição das relações estado-sociedade. Educ. Soc., Campinas, v. 23, n. 80, p. 13-24, set. 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/es/v23n80/12921.pdf. Acessado em: 20 de março de 2021.

NIKLAS, Jan. HQ censurada por Crivella está esgotada na Bienal desde quarta-feira. O Globo, Rio de Janeiro, 3 de setembro de 2019. Disponível em: https://oglobo.globo.com/cultura/hq-censurada-por-crivella-esta-esgotada-na-bienal-desde-quarta-feira-23931244. Acesso no dia 13 de agosto de 2020.

OBEC/BA. Observatório de Economia Criativa da Bahia, Boletim 1, 13/04/2020, 2020. Disponível em https://ufrb.edu.br/proext/economiacriativa-covid19/. Acessado em 13 de agosto de 2020.

OBEC/BA. Observatório de Economia Criativa da Bahia, Boletim 2, 24/04/2020, 2020. Disponível em https://ufrb.edu.br/proext/economiacriativa-covid19/. Acessado em 13 de agosto de 2020.

OBEC/BA. Observatório de Economia Criativa da Bahia, Boletim 3, 08/08/2020, 2020. Disponível em https://ufrb.edu.br/proext/economiacriativa-covid19/. Acessado em 13 de agosto de 2020.

PICHONERI, Dilma Fabri Marão. Músicos de orquestra: um estudo sobre educação e trabalho no campo das artes. 128 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, São Paulo, 2008.

PINHO, Angela. Professores vão à Justiça contraordem de Dória de recolher apostilas. Folha de São Paulo, Cotidiano, São Paulo, 10 de setembro de 2019. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2019/09/professores-vao-a-justica-contra-ordem-de-doria-de-recolher-apostilas.shtml. Acessado no dia 13 de agosto de 2020.

REIS, Cacilda F. dos. Sonhos, incertezas e realizações: as trajetórias de músicos e dançarinos afro-brasileiros no Brasil e na França. 290 f. Campinas, Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2012.

SANTOS, J. D. Para além do espetáculo: o trabalho de atores de teatro em Salvador. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, Campinas, 2020.

SCRUTON, Roger. Como ser um conservador. 1ª ed. Rio de Janeiro: Record, 2015.

SEGNINI, Liliana R.P. Os músicos e seu trabalho: diferenças de gênero e raça. Tempo Social, Revista de Sociologia da USP, v. 26, n. 1, p. 75-86, 2014.

SEGNINI, Liliana R.P. Trabalho, imigração e relações de gênero no contexto da mundialização: músicos do Leste europeu no Brasil. Revista latinoamericana de estudios del trabajo, v. 23, p. 221-250, 2018. Disponible en: <http://alast.info/relet_ojs/index.php/relet/article/view/336>. Fecha de acceso: 31 jul. 2019.

WILLIAMS, Raymond. Marxismo e Literatura. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.

WU, Chin Tao. Privatização da cultura: a intervenção corporativa nas artes desde os anos 80. São Paulo: Editora SESC, 2006.

Downloads

Publicado

2022-06-22

Como Citar

DANTAS, J. O trabalho artístico no Brasil: entre a pandemia e o pandemônio. Proa: Revista de Antropologia e Arte, Campinas, SP, v. 11, n. 2, p. 199–210, 2022. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/proa/article/view/16566. Acesso em: 19 ago. 2022.

Edição

Seção

Relatos e Experiências