Dos muros ao papel
PDF

Palavras-chave

Pixo
Cidade
Arte

Como Citar

FIGUEROA , Silvia Fatima Roque. Dos muros ao papel: uma tradução tradução intersemiótica de três pixos de Fortaleza-CE. Proa: Revista de Antropologia e Arte, Campinas, SP, v. 9, n. 1, p. 227–241, 2019. DOI: 10.20396/proa.v9i1.16541. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/proa/article/view/16541. Acesso em: 18 jul. 2024.

Resumo

A análise ora apresentada trata de uma experiência de tradução ou transmutação intersemiótica de três pixos encontrados no bairro de Meireles, Fortaleza. É nessa passagem da forma que tem-se por objetivo rever conceitos de arte e obra de arte por meio de um diálogo entre autores da antropologia da arte, artistas e comunicadores. Trata-se de uma experiência que provoca repensar a apreensão estética que construímos dos objetos e as repercussões que isso pode significar na dinâmica social de uma cidade.

https://doi.org/10.20396/proa.v9i1.16541
PDF

Referências

BRASIL. Constituição. (1998) Lei Nº 9.605, 12 de fevereiro de 1998.

BENJAMIN, Walter. A modernidade e os modernos. Vol. 41. Tempo Brasileiro, 1975.

BENJAMIN, Walter. A tarefa do Tradutor. Revista Humboldt, n° 40, Munique, Bruckmann, 1979, pp. 38-44. (Tradução de Fernando Camacho.)

BOURDIEU, Pierre. A distinção: crítica social do julgamento. São Paulo: EdUsp, 2007

CAMPOS, Haroldo de. Semiótica como prática e não como escolástica. Entrevistadores:

Armando Sergio Prazeres, Irene Machado e Yvana Fechine. São Paulo: PUC-SP, 2001.

Entrevista concedida a revista Galáxia. Disponível em: http://www.revistas.univerciencia.org/index.php/galaxia/article/viewArticle/1264. Acesso em: 31 jan. 2017.

CAPELLATO, Igor Alexandre; BORGES, Fernanda Carlos; BOCCARA, Ernesto Giovanni. Metamorfose híbrida, percepção do tempo-espaço: uma tentativa de compreender a essência da arte, o ato humano de ressignificar compulsivamente diante da arte. 2015. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/VISUAL/article/viewFile/39168/19744 em 21/01/2017. Acesso em: 31 jan. 2017.

DIOGENES, Glória. Artes e intervenções urbanas entre esferas materiais e digitais: tensões legal-ilegal. Anál. Social [online], n.217, pp.682-707. 2015 Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/pdf/aso/n217/n217a01.pdf. Acesso em: 1 de outubro de 2018

DUCHAMP, Marcel. Duchamp du signe. Paris: Flamarion. 1994.

DUCHAMP, Marcel. O Ato Criador In: BATTCOCK, Gregory. A Nova Arte. São Paulo. Perspectiva: 2004. Disponivel em: https://osocoracional.wordpress.com/2009/02/01/o-ato-criador-marcel-duchamp/. Acesso em: 21 jan. 2017.

GELL, A. 1998. Art and Agency: an antropological Theory. Oxford: University Press

Gell, Alfred. "A tecnologia do encanto e o encanto da tecnologia." Concinnitas, Rio de Janeiro 1.8 (2005): 40-63.

Gell, Alfred. A rede Vogel: armadilhas como obra de arte e obras de artes como armadilhas. In, Revista do programa de pós-graduação em artes visuais eba. Rio de Janeiro: UFRJ, 2001

Gell, Alfred.Definição do problema: a necessidade de uma antropologia da arte. In, Revista Poiésis, n 14, p. 243-261, Dez. de 2009.

INGOLD, Tim. 2011a. “Part V – Drawing making writing”. In Being Alive – Essays on movement, knowledge and description. Londres e Nova York: Routledge.

LAGROU, E. A Fluidez da Forma. Arte, alteridade e agência em uma sociedade amazônica (Kaxinawa, Acre). Rio de Janeiro: Topbooks, 2007.

MARTIN, Judy. Guia Completa de Caligrafia. Técnicas e materiales. Madrid: Tursen-Hermann Blume, 1999

PAZ, Octavio. Marcel Duchamp ou o Castelo da pureza. São Paulo: Perspectiva, 2002

PLAZA, Julio. Tradução Intersemiótica. São Paulo: Perspectiva, 2003

PIXO. Direção: João Wainer e Roberto T. Oliveira. São Paulo: Sindicato Paralelo Filmes, 2009. 61 minutos. Disponível em: https://vimeo.com/29691112. Acesso em: 30 jan. 2016.

SALLES, Cecília Almeida. Gesto Inacabado: processo de criação artística. São Paulo: Annablume, 1998.

SAMAIN, E. Como Pensam as Imagens, São Paulo, Unicamp, 2012

SANTAELA, Lúcia. O Que é semiótica. São Paulo: Brasiliense. 5ed. 1987

SANTOS, Ludmila Helena Rodrigues dos et al. Triste sina ser poeta de latrina: um estudo antropológico/artístico dos grafitos de banheiro. 2012. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/223. Acceso em: 24 jan. 2017.

TOTSTÓI, Leon. O que é a arte? Sào Paulo: Experimento. 1994.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2019 Silvia Fatima Roque Figueroa

Downloads

Não há dados estatísticos.