Satyricon

Autores

  • Pedro Paulo A. Funari Universidade Estadual de Campinas
  • Marina Cavicchioli Universidade Federal da Bahia

Palavras-chave:

Satyricon. Resenha.

Resumo

O ano de 2009 marca quarenta anos do lançamento do filme de Federico Fellini, Fellini Satyricon e, segundo alguns, 1940 anos da primeira edição do livro de Petrônio que inspirou o a produção cinematográfica. Como quer que seja, as comemorações acumulam-se e a divulgação de duas edições da obra do autor latino e de versão digital da obra-prima felliniana mostra a vitalidade da obra latina. Como adverte o grande latinista italiano Luca Canali, na sua introdução, Petrônio pode ser considerado o pai do romance moderno, daí o renovado interesse pelo livro romano. O estudioso itálico considera-o não apenas o mais belo romance antigo, como entre os mais bonitos de todos os tempos. Carnavalesco, policromo, sempre entorno ao centro motor de Priapo – o deus fálico - a obra atribuída a Petrônio não julga ou condena, mas narra. Dentre os autores latinos de temas sexuais, Petrônio é o mais casto, sempre adepto da metáfora e da sugestão, antes que da linguagem baixa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Paulo A. Funari, Universidade Estadual de Campinas

Professor Titular, Departamento de História, Coordenador do Núcleo de Estudos Estratégicos (NEE/Unicamp).

Marina Cavicchioli, Universidade Federal da Bahia

Doutorado em História pela Universidade Estadual de Campinas, Brasil(2009). Coord. de linha de pesquisa da pós graduação da Universidade Federal da Bahia.

Downloads

Publicado

2011-10-07

Como Citar

Funari, P. P. A., & Cavicchioli, M. (2011). Satyricon. Phaos: Revista De Estudos Clássicos, (8). Recuperado de https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/phaos/article/view/9516

Edição

Seção

Resenha